A ata de divórcio é uma prova que vivemos num mundo perverso

 

 

Texto: Deuteronômio 24: 1-4

Leitura: Mateus 5 e 19

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Existem muitos casais, que são casados pela segunda vez. E a pergunta é: este segundo casamento é legítimo? Porque existem pessoas que dizem que o homem não pode se casar de novo. Depois do divórcio, o homem ou a mulher deve ficar sozinho.

Então, por um lado, observamos uma prática liberal em nosso país: mais do que a metade dos casamentos terminam em divórcio e, depois disso, os divorciados buscam uma outra pessoa e se casam de novo. E por o outro lado ouvimos algumas outras pessoas mais rigorosas dizer: o divórcio é pecado; e o segundo casamento também! Existem opiniões extremas, que causam confusão. Observando isso é bom pegar a Palavra de Deus e buscar uma resposta.

Neste caso, seria bom começar a falar sobre o objetivo do casamento (Gênesis 2) ou sobre o sétimo mandamento (não adulterarás), que protege o casamento; mas não vou fazer isso; observaremos um texto que fala sobre o divórcio. Um texto da lei de Moisés, que fala sobre a possibilidade de se divorciar.  Este texto causou bastante polêmica no meio do povo de Deus. Até os Fariseus, os mestres da lei, discutiram sobre esta lei de Moisés com o nosso mestre Jesus Cristo. E a questão é essa: Jesus Cristo anulou a lei de Moisés que fala sobre a ata de divórcio? Deuteronômio 24, 1-4 ainda é válido? A ata de divórcio ainda é válida na igreja de Cristo? Ou devemos concluir que Jesus Cristo proibiu o divórcio?

 

Vamos, em primeiro lugar, ler a Palavra de Deus que encontramos em Deuteronômio 24, 1-4:

“Quando um homem tiver tomado uma mulher e consumado o matrimônio,

Mas esta logo depois não encontra mais graça a seus olhos,

Porque viu nela algo de ...Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.