L: Lucas 11, 52 + Mt 16,13-20

T: Domingo 31 CdH

 

Queridos Irmãos/irmãs em Cristo,

Na Capela Sistina, em Roma, Itália, se encontra um afresco com a imagem de Jesus e os seus discípulos. Eles se encontram numa grande praça, que parece com a praça em frente do palácio do Vaticano. Jesus está no meio da praça, e em frente dele está Pedro ajoelhado, e os outros apóstolos estão em redor de Pedro. Jesus oferece duas grandes chaves a Pedro. Uma chave de ouro e outra chave preta. Uma chave para abrir o reino dos céus e outra para fechar. Existem milhares de quadros com esse tema.

 

Baseado nessas imagens o povo recebeu a ideia de que Pedro é o porteiro do céu. Essa ideia existe até hoje; especialmente na mente dos católicos. São Pedro é, de um lado, o protetor dos pescadores, e do outro lado o porteiro do céu, o guardião das chaves do reino de Deus. Assim ele vive na imaginação de muitas pessoas. Até existem muitas piadas sobre Pedro, que está na entrada do céu e decide se alguém pode entrar, sim ou não. Com certeza vocês conhecem esse tipo de piada.

 

O problema de uma piada é que ela entra facilmente em nossa mente, e quando entra, começa a envenenar os pensamentos. Parece como uma semente errada que cria uma planta venenosa. Vou dar dois exemplos. O primeiro erro é que na mente das pessoas as chaves serão usadas só no final da sua vida. Então, durante toda a sua vida uma pessoa vive fora do reino dos céus, e só depois da morte uma pessoa vai descobrir se pode entrar, sim ou não.

O segundo erro é que não fica claro como as chaves funcionam. Parece que as chaves são símbolos que dizem que a autoridade de abrir e fechar... Para ler mais, clique aqui.