L.: Domingo 49 Catecismo [2020]

T.: Lc. 22, 39-46

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

Nós vivemos em tempos difíceis. Estamos no meio de uma crise global, causada pelo Corona vírus. Nós nos parecemos com o povo de Israel, quando ainda estava no Egito, antes da instituição da Páscoa. Eles receberam de Deus a ordem de entrar em suas casas, fechar as portas e ficar em isolamento, para que o anjo da morte não entrasse em suas casas. Nós recebemos, também, a ordem de ficar isolados em nossas casas, para que o vírus não entre.

Então, estamos em tempos difíceis; Deus parou o mundo, para que o mundo abra os olhos e pense em sua fragilidade e procure o seu socorro em Deus, o Pai de Jesus Cristo. Este tempo de isolamento é, ao mesmo tempo, uma oportunidade para orar, meus irmãos! Procurar a Deus em oração. Jesus nos ensinou a orar. A dizer: Pai nosso, glorificado seja o teu nome, venha o teu reino, e seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu.

Hoje à noite vamos dar atenção à terceira petição:  Pai, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu! O que essa petição significa para nós? Nós sabemos que o próprio Jesus orou essa oração um pouco antes de morrer. Na noite em que foi traído, ele subiu ao Monte das Oliveiras para orar e disse: Pai, se queres, afaste de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua! 

Sabe, irmãos, estou curioso para saber como vocês entendem essa oração. Muitas pessoas, especialmente jovens, consideram essa oração como uma declaração de resignação. Um tipo de fatalismo. O que deve ser feito, deve ser feito, porque ninguém pode escapar do seu destino. Deus tem seu plano, e nós não... Para ler mais, clique aqui.