Domingo 3

 

A) O texto do catecismo

 

Domingo  3

Pergunta  6.  Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?

Resposta:  Não, Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é, em verdadeira justiça e santidade,  para conhecer corretamente a Deus,  seu Criador, amá-lo de todo o coração, e viver com Ele em eterna felicidade,  para louvá-lo e glorificá-lo.

 

Pergunta  7.  De onde vem, então, essa natureza corrompida do homem?

Resposta:  Da queda e desobediência dos nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso.

Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado.

 

Pergunta 8.  Mas somos tão corrompidos que não conseguimos fazer bem algum e somos inclinados para todo o mal?

Resposta:  Somos sim, se não nascermos de novo pelo Espírito de Deus.

 

B) A Introdução;

Este domingo é muito pesado, quando analisamos o seu conteúdo. Há três respostas que tocam tópicos profundos da doutrina da igreja. A primeira resposta (R. 6) fala sobre a criação do homem de acordo com a imagem de Deus (que já é um tópico bem discutido); a segunda resposta (R. 7) fala sobre a queda do homem no paraíso; e a terceira resposta (R. 8) toca a doutrina do pecado original, que se estendeu a todos os homens; e ela explica a incapacidade total do homem de fazer bem algum; e além disso fala também sobre a necessidade da regeneração.

É impossível tratar todos estes assuntos em um só sermão de tal maneira que todas as partes serão bem elaboradas. O sermão ficaria muito pesado e muito longo.

Por outro lado devemos dizer que não seria aconselhável dividir este domingo em duas ou três partes, porque este domingo não fala principalmente sobre a criação do homem de acordo com a imagem de Deus, mas sobre as origens da nossa miséria.  Toda ênfase deve cair nessa questão: de onde veio o mal e como isso nos afeta?

Isso não quer dizer que o pregador não pode falar sobre a criação do homem de acordo com a imagem de Deus. Isso pode sim, mas sempre no contexto da nossa miséria e não para pregar sobre a criação do homem em si.  Quem quer pregar sobre a criação, deve fazer isso quando chega ao Domingo 9. Ali terá a oportunidade de falar sobre a imagem de Deus, porque a imagem de Deus se manifesta em nós, quando somos regenerados para serem filhos de Deus.  O homem perdeu esta imagem e este...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 2

 

A) O Texto do catecismo

 

Domingo  2

Pergunta 3. Como você conhece sua miséria?

Resposta: Pela lei de Deus.

Pergunta 4. O que a lei de Deus exige de nós?

  Resposta: Cristo nos ensina isso, em um resumo, em Mateus 22.37-40:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”. Este é o grande e primeiro mandamento.

O segundo, semelhante a este, é: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas”.

Pergunta 5. Você pode guardar essa lei perfeitamente?

Resposta: Não, não posso, porque por natureza sou inclinado a odiar a Deus e a meu próximo.

 

B) A Introdução;

Este domingo começa com o pressuposto de que o homem não tem um bom conhecimento de si mesmo. A sua mente é pervertida pelo pecado e a sua maneira de observar as coisas é seletiva. Os seus olhos são ruins e por causa disso ele não enxerga bem as coisas ao redor dele; ele precisa de óculos. Óculos santos com lentes puras, que o ajudam a observar bem a sua vida e o mundo ao redor dele.

Deus lhe oferece estes óculos, sendo a lei de Deus, que é santa e pura. Esta lei lhe oferece uma norma que o ajuda a avaliar as coisas que acontecem. Estes óculos lhe servem para descobrir o que falta na vida de todas as pessoas e, consequentemente, também na sua própria vida. O que nos falta é o amor. Devemos amar a Deus rigorosamente e profundamente. Mas não conseguimos. Essa é a nossa miséria.

 

C) Tema;

O domingo anterior terminou com a pergunta: o que você deve saber para viver e morrer nesse fundamento? E a resposta foi a seguinte: Primeiro, conhecer como são grandes meus pecados e minha miséria. O Domingo 2 continua na mesma linha de pensamento e começa a falar sobre a nossa miséria. Ele quer explicar como nós conseguimos conhecer a nossa miséria e por causa disso ele nos aponta para a lei de Deus. Então o tema é: como conhecer a sua miséria e a profundidade dos nossos pecados.

D) A Luz das Sagradas Escrituras;

O Catecismo, de si mesmo, já apresenta um texto bíblico para nos ajudar a conhecer a nossa miséria, sendo o resumo da lei, que encontramos em Mateus 22, 37-40. Podemos dizer que o nosso Catecismo mostra grande sabedoria, começando assim, usando esta palavra de Jesus sobre o Grande Mandamento de Deus para analisar e examinar a vida do homem. O Grande mandamento examina o coração, a alma e a mente das pessoas para descobrir os pensamentos e propósitos do nosso coração. Esta palavra é como um catalisador, que causa uma reação química e mostra logo o Ph da água que é examinada; da mesma maneira, este Grande mandamento mostrará como está a qualidade da nossa vida: se tivermos amor, sim ou não. ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1B

 

A) Introdução;

O primeiro domingo tem uma dificuldade se você quiser prega-lo inteiramente, porque ele tem duas partes que estão ligadas uma com a outra, mas o conteúdo delas é bem diferente. Por causa disso separei estas partes. A segunda pergunta e resposta merece um tratamento especial, porque encontramos pela primeira vez a divisão do Catecismo em três partes: Miséria, Salvação e Gratidão.  Esta divisão é uma chave hermenêutica, que abre as escrituras.

Lutero encontrou uma chave desse tipo quando descobriu que o crente é salvo pela fé em Cristo Jesus; os professores de Heidelberg encontraram outra chave, que também ajuda a entender as sagradas escrituras.

 

B) Tema;

O catecismo pergunta aqui: o que você deve saber para viver e morrer nesse fundamento? O crente precisa saber de algumas coisas; então a questão é conhecimento; aqui se fala sobre os elementos básicos da fé cristã; O catecismo quer nos ensinar como teremos a segurança da fé.

 

C) A Luz das Sagradas Escrituras;

Os professores de Heidelberg foram iluminados pelo Espírito Santo quando colocaram todos os elementos básicos da fé numa estrutura lúcida: tem que se ter conhecimento de sua miséria, de sua salvação e de sua gratidão. Esta estrutura parece um pouco artificial, mas eles aprenderam isso pelas sagradas escrituras, porque a estrutura da Bíblia é assim. Pensem na estrutura geral da Palavra de Deus: o Antigo Testamento nos ensina sobre a nossa miséria, os Evangelhos nos ensinam a nossa Salvação, e as epístolas dos apóstolos nos ensinam a nossa gratidão. Deixa me explicar isso um pouco.

            O antigo testamento nos ensina a nossa miséria. Isso já começa em Gênesis 3, onde lemos que o homem caiu em pecado. Essa é a nossa miséria: o pecado! Adão e Eva pecaram e a natureza pecaminosa se espalhou pelos seus filhos e netos: por todo gênero humano. Os primeiros capítulos do livro de Gênesis mostram isso. O resultado disso foi o dilúvio, que limpou a terra e destruiu a sociedade perversa. Mas Deus salvou Noé e a sua família. Deus ia começar de novo com eles. Uma nova geração. Mas logo depois nós descobrimos que o pecado estava também na arca de Noé; o pecado estava no coração de Noé e dos seus filhos. Noé caiu em pecado e os seus filhos e netos ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1ª (pergunta e resposta 1)

 

A) Introdução;

A primeira pergunta e resposta funcionam como um resumo da fé. Lembro-me que o pastor que nos ensinava o Catecismo disse: “se vocês aprenderem e entenderem esta primeira pergunta e a sua resposta, vocês conhecerão o núcleo do Evangelho”.  E ele tinha razão, porque neste primeiro domingo encontramos tudo o que precisamos saber para ser salvos.

 

B) Tema;

O início do Catecismo  funciona como uma introdução, que quer chamar a atenção do leitor e convidar a continuar a ler. O Catecismo começa com o ‘Cântico da Consolação’, tocando uma partitura fundamental do Novo Testamento. Ele começa a perguntar: o que é seu único conforto na vida e na morte? Uma pergunta interessa a qualquer pessoa. E a resposta é a seguinte: O meu único conforto é que não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo. “Pertencer a Jesus Cristo” é o tema desse domingo. A consolação do crente é o subtema, porque ela depende de Jesus Cristo. A consolação é uma benção do Espírito Santo que todos que pertencem a Jesus Cristo experimentarão.

 

C) A Luz das Sagradas Escrituras;

Saber que nós pertencemos a Jesus Cristo é um motivo de grande alegria e traz muito conforto. O profeta Isaías já falou sobre isso. Em Isaías 40 encontramos a palavra de Deus que Isaías devia pregar: “Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que sua iniquidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do Senhor por todos os seus pecados” (Is. 40, 1-2).

Esta profecia fala sobre o futuro, que se cumpriu em Jesus Cristo. Sabemos isso, porque logo depois dessas palavras Isaías disse: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados. A glória do Senhor se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do Senhor o disse” (Is. 40, 3-5). Esta parte da profecia se cumpriu quando João Batista apareceu (Mt. 3,3). Ele é a voz no deserto, que exortava o povo de Deus para preparar o caminho do Senhor (Luc. 3, 4-6). Ele mesmo foi enviado para preparar o caminho do Senhor, que estava vindo. O povo de Deus devia se examinar, reconhecer os seus pecados e se converter.

Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1,29), disse João Batista quando viu Jesus Cristo se aproximando. E assim ele apontou aos seus discípulos o Salvador que traria consolação ao povo de Deus....Para ler mais, clique aqui.