T.: Atos 1,1-10 + Mt. 28, 18

L.: Domingo 19 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Crer é ter Jesus Cristo como Rei.

 

A ascensão de Jesus Cristo está ligada a isso.

Jesus Cristo subiu ao céu e está sentado a direita de Deus Pai, o Todo Poderoso!

Vocês acreditam nisso? Vocês realmente acreditam nisso?

Não somente ali (na cabeça), mas também aqui (no coração)!

Vocês aceitam Jesus Cristo como rei na sua vida?

O que isso quer dizer?

Cristo é rei.

Se eu digito essas palavras na tela do meu computador para pesquisar no Google o que isso quer dizer, O Google me mostrará o estatua “Cristo é Rei”, que está perto da cidade de Lisboa em Portugal.

Milhares de pessoas já visitaram este lugar, que se tornou um ponto turístico.

Milhares de pessoas querem ver o “Cristo é Rei”, mas será que elas também aceitam Cristo como Rei na sua vida? O que isso significa ter Jesus Cristo como Rei?

Isso significa no primeiro lugar: adoração e respeito

Cristo está assentado a direita de Deus Pai, o todo poderoso!

Toda a autoridade lhe foi dado no céu e na terra.

Os discípulos o adoraram quando ouviram isso (Mt 28,17) e o serviram (Mt 28,19)

Isso significa no segundo lugar: submissão

Se Cristo é o nosso Rei, nós somos os seus servos!

Isso significa no terceiro lugar: obediência

Os servos devem obedecer à palavra do rei;

Se ele diz: Vamos, nós temos que ir.

Se ele diz: Venhamos, nós temos que vir.

 

Cristo é rei.

Muitas pessoas gostam dessa ideia, porque querem que Cristo as ajude.

Elas aceitam Jesus como rei, enquanto ele faz o que elas querem.

E se ele não o fará, elas o rejeitam como rejeitam qualquer político.

 

A história de Jesus já mostra isso... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 16b CdH

P. 44. Por que se acrescenta: “desceu ao inferno”?

R. Porque meu Senhor Jesus Cristo, sofre, principalmente na cruz, inexprimíveis angústias, dores e terrores. Por isso, até nas minhas mais duras tentações, tenho certeza de que ele me libertou da angústia e do tormento do inferno.

Texto: 1 Pedro 3: 18-22
Leitura: Domingo 16b

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Hoje vamos falar sobre o inferno. Isso não é um assunto que tocamos regularmente uns com os outros; e não é um assunto sobre o que os nossos
pastores pregam regularmente. Há outras igrejas onde os pastores pregam regularmente sobre a condenação e o inferno, mas aqui não. Nas nossas
igrejas os membros pensam, sim, sobre esses assuntos, mas não falam muito sobre isso. Não é diretamente uma realidade na nossa vida. O céu e o inferno existem no horizonte da nossa vida.

Somente por causa disso já é bom que falemos especialmente sobre este assunto. Não dá para negar este assunto ou para esquecer que o inferno
existe. Há pessoas que dizem que o inferno não existe, mas o nosso Senhor Jesus Cristo fala sobre isso. Para Jesus o inferno existia realmente: ele falou sobre isso, ele avisou contra isso, ele viu o poder do inferno em redor dele, ele viu o poder do inferno aqui na terra, e ele lutou contra isso. Jesus Cristo falou sobre isso e por causa disso a igreja de Cristo não pode ficar calada; é por causa disso que a igreja fala sobre isso nesta confissão, dizendo que ‘Jesus Cristo desceu ao inferno’. Hoje queremos descobrir o que isso quer dizer, pois não é tão fácil para entender.

O significado da descida de Cristo ao inferno:

1) Na história da igreja;
2) Nas suas mais duras tentações.

O significado da descida de Cristo ao inferno na história da igreja

Irmãos, esta parte é a mais complicada do nosso credo apostólico. Por causa dela havia muitas discussões na história da igreja. Há muitas opiniões
diferentes sobre esta parte da doutrina. ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 15 CdH

 P.: O que você quer dizer com a palavra “padeceu’’?

R.: Que Cristo, em corpo e alma, durante toda a sua vida na terra, mas principalmente no final, suportou a ira de Deus contra o pecado de todo o gênero humano.

 

Texto: 1 Pedro 2: 21-25; 3: 13-18;

Leitura: Domingo 15ª

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Hoje vamos falar sobre o sofrimento de Jesus Cristo. O Credo Apostólico dá um grande passo. Ele pula do nascimento de Jesus até a morte de Jesus. Ele nasceu da virgem Maria .... E padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. O Credo não fala sobre as coisas boas que aconteceram na vida de Jesus, mas focaliza no sofrimento e na morte de Jesus. Por quê?

Este ‘porque’ é muito interessante, pois falando sobre isso nós vamos descobrir a importância do sofrimento de Jesus para nós.

 

A importância do sofrimento de Jesus para nós.

  1. O sofrimento de Jesus é um sinal para nós;
  2. O sofrimento de Jesus é uma benção para nós;
  3. O sofrimento de Jesus é um exemplo para nós.

 

  1. O sofrimento de Jesus é um sinal para nós;

Falando sobre o sofrimento de Jesus nas aulas de catecismo, muitos congregados diziam que Jesus Cristo sofreu no final da sua vida. Isso quer dizer que Jesus Cristo sofreu SÓ no final da sua vida. Mas será que isso é verdade, irmãos?

O nosso Catecismo, falando sobre o sofrimento de Jesus, diz: O que você quer dizer com a palavra “padeceu”? E a resposta é assim: Que Cristo, em corpo e alma, durante TODA a sua vida na terra, mas principalmente no final, suportou a ira de Deus contra o pecado de todo gênero humano. Então, a reposta é essa: “ele padeceu durante TODA a sua vida”.

Os evangelistas nos dizem que Jesus padeceu durante toda a sua vida, desde o início até o fim.  Ele DEVIA padecer. Isso fazia parte do trabalho dele. Sendo o Filho de Deus, que se tornou homem, ele ia sofrer no nosso mundo depravado. Jesus mesmo enfatizou isso e apontou para o Antigo Testamento. Ele falou com os dois discípulos de Emmaus e lhes disse: “Insensatos e lentos de coração para crer em tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória? E começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as escrituras o que a ele dizia respeito” (Lc. 24, 25-27)... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 14 CdH

 P.: O que você entende quando diz que Cristo “foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria”?

R.: Entendo que o eterno Filho de Deus, que é e permanece verdadeiro e eterno Deus, tornou-se verdadeiro homem, da carne e do sangue da virgem Maria, por obra do Espírito Santo. Assim ele é, de fato, o descendente de Davi igual a seus irmãos em tudo, mas sem pecado.

 

Leitura: Lucas 1, 26-38

Art. 18 Confissão Belga

 

Queridos irmãos em Cristo,

O nascimento de uma criança; cada dia isso acontece... em vários lugares neste mundo. Por um lado isso é uma coisa normal. Para uma obstetra é, acontece todos os dias. Mas, por outro lado, isso não é tal normal. O nascimento de uma criança é também um milagre. Os médicos sabem muito sobre o nascimento de uma criança, mas não tudo! De certa forma eles sabem também que isso é um milagre.

Ainda mais milagroso é o fato de que O FILHO DE DEUS nasceu como uma criança. Uma criança com uma mãe: uma criança, com pezinhos zambetos (tortos/ cambaios) e unhinhas nos dedos; um verdadeiro nenê, que chora se tiver fome; um nenê, que precisa mamar; uma criança normal. Não foi um estranho, com poderes anormais; um menino igual aos seus amigos. Um homem de carne e sangue, como eu e você. Mas ao mesmo tempo ele foi diferente, pois Ele é O FILHO DE DEUS.

Muitas pessoas não creem nisso. Os judeus não creram que Jesus foi o filho de Deus. Nos olhos deles Jesus foi uma pessoa estranha, uma blasfêmia contra Deus. Os muçulmanos também não creem que Jesus é o filho de Deus. Jesus era um profeta. Um homem. Não mais que isso. Vários milhões de Judeus; muitos milhões de muçulmanos; e ainda mais... Para ler mais, clique aqui.

 

 

T: Mt. 1, 18-25                               

L: Dom. 11 CdH

(O sermão foi feito na proximidade do natal. Alguns trechos podem ser adaptados.)

 

Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

Quem é Jesus para você?

Você pode ter um momento para pensar sobre isso. Esta pergunta é para todos os que estão aqui. Para as crianças, para os adolescentes, para os jovens, para os solteiros, para os casais, para as viúvas, para os visitantes. Quem é Jesus para você?

[Nesta época do ano muitas pessoas pensam em Jesus e se lembram do nascimento dele]. Jesus é o filho de Maria, que nasceu em Belém, em circunstâncias extraordinárias. Houve anjos nos céus, que anunciaram o nascimento aos pastores, que foram os primeiros a visitar Jesus. Muitas pessoas pensam nisso e colocam um pequeno estábulo em casa para mostrar que o Natal é de Cristo. Mas é só isso? Jesus é o menino fofinho do Natal?

Se perguntar às crianças, provavelmente vou ouvir que Jesus era um homem que fez muitos milagres! A Bíblia para as crianças ensina isso. Conta todas as milagres de Jesus. Uma história mais linda que a outra. Jesus curou a dor de cabeça da sogra de Pedro; curou pessoas com doenças mais sérias: pessoas cegas, surdas, paralíticas; pessoas na beira da morte e até levantou os cadáveres que já estavam no caixão; e até Lázaro, que já estava há quatro dias no sepulcro!! Muitas crianças consideram Jesus com um homem milagroso. Um tipo de super-homem!

Outras pessoas pensam logo na morte de Jesus. Jesus na cruz. Esta imagem é muito forte aqui no Brasil. Esta imagem foi cultivada pelos apóstolos, que pregaram a mensagem da cruz. Como Paulo fez isso, dizendo: “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus!” (1 Cor. 1,18). Jesus na cruz. ...Para ler mais, clique aqui.

T.Hebr. 4,14 – 5,10

 L.Domingo 6 CdH

 

 

Queridos irmãos,

Um Castigo. Todo mundo sabe o que isso quer dizer. Se uma pessoa fizer de propósito alguma coisa errada, ela será castigada. Se fizer alguma coisa errada na escola, a professora pode dizer: Saia da sala e fique no corredor! E se a criança for muito rebelde e fizer muitas coisas erradas, a diretora pode dizer: saia da escola e fique em sua casa. Num tal momento a criança é isolada. Ela é separada do grupo. Ela está sozinha. Esse é o castigo.

Deus também deu um castigo. Quando Adão e Eva pecaram, Deus disse: saia do paraíso! Então eles saíram do Paraíso, e não podiam mais entrar. Deus disse: Vocês pecaram. Vão para o inferno! Não por um minuto, mas para sempre. Esse é o seu castigo. Para vocês e para os seus filhos. Todos merecem isso. Nós também, pois somos filhos de Adão. Temos uma natureza pecaminosa, igual a Adão.

Por consequência, há uma multidão de gente que vive fora do paraíso. Isso quer dizer, fora do Reino de Deus. E eles não sabem como podem entrar. Alguns tentam se livrar do seu sentimento de culpa, falando bem de si mesmo. Outros entram numa terapia; outros ainda tentam se livrar do remorso fazendo muitas boas obras. Assim, todo mundo tenta se livrar do seu remorso, de uma maneira ou de outra. Assim é a sua vida, assim é a sua religião: se livrar do seu remorso; eles querem compensar a sua culpa através de muito zelo, oração e boas obras. Dessa maneira eles querem se livrar do castigo eterno.

Mas esta maneira é errada. Muitas pessoas tentam se justificar; elas querem se salvar. Mas elas esquecem que isso não é possível. Deus nos ensina que isso não é possível. Um homem não pode se salvar. O homem aumenta a sua culpa todos os dias. Tudo o que ele pensa, ou diz, faze-o impuro.

Jó já disse (15,14-15): Como o homem pode ser puro? Como pode ser justo quem nasce de mulher? Pois se nem nos seus santos Deus confia, e se nem os céus são puros aos seus olhos, quanto menos o homem, que é impuro e corrupto, e que bebe iniquidade como água. ...Para ler mais, clique aqui.

T: Apocalipse 12, 7-12

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

O mundo é igual a um palco. Nós observamos o que está acontecendo no palco, mas há também coisas que acontecem atrás das cortinas. Essas coisas são encobertas. Nós podemos observar por meio do jornal e da televisão o que está acontecendo neste mundo, mas não podemos ver as coisas invisíveis; o mundo tem um lado visível e um lado invisível. O lado espiritual.

Os evangelhos nos mostraram o lado visível de Natal. O Apocalipse nos mostrou o lado invisível de Natal. A guerra nos corredores de Natal. A batalha espiritual entre o Dragão e o Filho de Deus. Esta guerra começou no Paraíso e continua até hoje.

Houve uma batalha na terra no dia de Natal: o Dragão tentou matar o Filho, mas o Filho foi arrebatado para o céu; quer dizer que  o campo de batalha se mudou para o céu; porque depois disso o apóstolo João recebeu uma outra visão, que lhe mostrou a batalha que houve no céu: Miguel e os seus anjos pelejaram contra o Dragão e os seus anjos.

 

OS PRIMEIROS ATOS DO GOVERNO DE JESUS CRISTO, QUE TEM O CETRO DE FERRO.

ESSES ATOS TÊM CONSEQUÊNCIAS PARA:
  • MIGUEL E OS SEUS ANJOS;
  • O DRAGÃO E OS SEUS ANJOS;
  • A IGREJA DE CRISTO

 

Miguel e os seus anjos

Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão.

De repente aparece outra cena e outra personagem: Miguel e os seus anjos.

Este Miguel não é um anjo desconhecido.  Já ouvimos falar sobre ele anteriormente.

O profeta Daniel falou sobre este Miguel (em Daniel 10 e 12). Este Miguel é um anjo importante. Ele é chamado (Daniel 12,1) o Grande príncipe, o defensor dos filhos de Israel.  A tarefa dele é proteger os filhos de Israel contra os ataques dos anjos do inimigo.  Em Daniel 10 um homem do céu  apareceu a Daniel e lhe diz que se atrasou porque o príncipe do mal, que dominava o reino da Pérsia, lhe resistiu por vinte e um dias, mas Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar, e assim o homem teve a vitória sobre os reis da Pérsia.

Lendo isso, podemos concluir que Miguel é um anjo especial. Um líder. Um príncipe. Um dos primeiros. E a tarefa dele é proteger os filhos de Israel. Isso explica porque ele aparece aqui.  Porque um dos filhos de Israel, Jesus Cristo, está ameaçado. Ele foi arrebatado ao trono, mas parece que o Dragão e os seus anjos foram atrás dele...Para ler mais, clique aqui.