Domingo 42 CdH

P. 111: O que Deus ordena no oitavo mandamento?

R.: Devo promover, tanto quanto possível, o bem do meu próximo e tratá-lo como quero que os outros me tratem. Além disso, devo fazer fielmente meu trabalho para que possa ajudar ao necessitado.

Texto: 1 Timóteo 6: 3-10

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Eu li uma certa vez no Jornal Gazeta de Alagoas que um habitante de Maceió se tornou um milionário. Ele participou da Mega-Sena e ganhou mais de dois milhões de Reais! Depois disso, alguns irmãos me perguntaram se um crente poderia participar de tal coisa, a Mega-Sena ou outro tipo de loteria. Meditando sobre esta pergunta, eu devo dizer: NÃO! Um cristão não pode participar deste tipo de jogo. Até mesmo se ele for doar 10% ou mais à igreja. Parece-me que este tipo de jogo não está em concordância com a palavra de Deus. Não está em concordância com o oitavo mandamento, nem com o décimo mandamento.

Talvez uma pessoa pense: Mas isso não é um assunto diferente? O sermão não é sobre o oitavo mandamento? Quem joga, furta? Não, não é assim. Quem joga não é um ladrão, mas ele não vive conforme a vontade de Deus. Pois o que Deus quer com este oitavo mandamento? Ele quer proteger a nossa vida, também os nossos bens. Ele quer nos proteger contra ladrões e ele quer nos ensinar para não sermos ladrões, mas para ganhar a nossa renda duma...Para ler mais, clique aqui.

T: Marcos 9, 38-40

L: Marcos 9, 33-41

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

Já desde o início existe um mal dentro da igreja de Cristo, que era difícil eliminar. Este mal se chama arrogância, o desejo de ser o maior, o desejo de ser servido, atitudes de homens soberbos, que pensam em si mesmos; que pensam que todo mundo anda em redor deles mesmos; que acham que têm melhor conhecimento das coisas, que mandam nos colegas e excluem os que ameaçam a sua posição de líder.

Qualquer grupo, qualquer sociedade, sofre por causa disso. Se tiver uma reunião qualquer de dez ou mais pessoas, que devem discutir um assunto, com certeza haverá uma pessoa no meio delas que quer ser líder. Um tipo de Pedro, que toma a iniciativa de discutir alguma coisa, que é o primeiro a dar a sua opinião; que representa a opinião dos outros ou que é mais rigoroso que os outros. Uma pessoa que quer guiar os outros numa certa direção. Sempre tem uma ou mais pessoas que são assim. Algumas são líderes naturais, outras foram criadas assim. Elas gostam de ser servidas e de manipular as pessoas em redor delas.

O grupo dos doze apóstolos sofreu, também, por causa disso. O nosso texto nos revela como os doze discípulos estavam discutindo a questão de quem era o maior. Jesus os chamou à parte, quando chegou em casa, e os perguntou: De que é que discorríeis pelo caminho? E os discípulos guardaram silêncio. Eles não responderam. Provavelmente, porque o assunto era sensível e eles não queriam que o Senhor conhecesse o desejo que estava no coração deles.

Então, eles ficaram calados, como um grupinho de crianças que estavam brigando e não querem dizer à professora qual foi o motivo da briga, sabendo que estavam errados. Mas ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 21 CdH

 55. Como você entende as palavras “a comunhão dos santos”?

Primeiro: entendo que todos os crentes, juntos e cada um por si, têm, como membros, comunhão com Cristo, o Senhor, e todos os seus ricos dons.

Segundo: que todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros.

 

Texto: 2 Coríntios 9, 6-14

Leitura: Domingo 21B

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus.

 

O tema desse culto é 2 Coríntios 9,7 “DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA”.

Escolhi este tema, porque a comissão que cuida da obra diaconal me pediu para fazer um sermão sobre este assunto; Pensando nisso, pensei logo no nosso Catecismo; no domingo 21, que fala sobre a igreja e sobre a comunhão dos santos. A obra diaconal só funciona bem se tiver uma boa comunhão dos santos.

 

O Catecismo pergunta: Como você entende as palavras: “a comunhão dos santos?” Resposta: Primeiro: entendo que todos os crentes, juntos e cada um por si, têm, como membros, comunhão com Cristo, o Senhor, e com todos os seus ricos dons.  Segundo: que todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros. Assim é a comunhão dos santos. No primeiro lugar temos comunhão com Cristo através do Espírito de Cristo; e essa comunhão nos leva à comunhão com os outros membros na igreja de Cristo. Isso acontece automaticamente. Por amor! Com vontade e com alegria!

 

Lendo essa parte do catecismo, fiquei pensando sobre essa segunda parte: todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros. Especialmente as palavras ‘com vontade e alegria’ chamaram a minha atenção. Porque essa alegria e boa vontade faltam muitas vezes na igreja. Um pastor pode falar com as pessoas para que se sentem obrigados a usar os seus dons, mas isso não quer dizer que eles fazem isso com vontade e alegria. Muitas vezes os membros fazem isso por obrigação, mas não por amor. Esta boa vontade e alegria são realmente dons do Espírito Santo!...Para ler mais, clique aqui

Texto: João 12, 1-8

Leitura Eclesiastes 7,1

 

Queridos irmãos de Jesus Cristo,

Acabamos de ler Eclesiastes 7,1. Mais vale o bom nome do que o bom perfume. Esta palavra tem muita sabedoria. E temos um exemplo no Novo Testamento que esclarece este texto completamente.  É a história de Maria, a irmã de Lázaro, que ungiu o nosso Senhor Jesus Cristo. Neste caso: Maria gastou um bom perfume, mas recebeu um bom nome! Pois depois disso Jesus mesmo disse (Mateus 26,13): “Em verdade vos digo: onde quer que venha a ser proclamado o Evangelho, em todo o mundo, também o que ela fez será contado em sua memória”.  Hoje o Evangelho é pregado nesta igreja e vamos nos lembrar esta história de Maria.

TEMA: MAIS VALE O BOM NOME DO QUE O BOM PERFUME.

  • O AMOR DE MARIA;
  • O VALOR DE JESUS;
  • A MENSAGEM PARA NÓS.

1) O AMOR DE MARIA.

Irmãos, o amor é uma coisa bonita, mas também complicada. O amor tem muitos aspectos e também muitas caras. O amor pode se manifestar de várias maneiras. Existe um exemplo muito conhecido do casal que chegou no escritório de um psicológico porque tinha problemas no casamento. A mulher estava reclamando: não sou feliz, pois ele não me ama mais!! O marido ficou irritado. O que é? Como você pode dizer isso? Faço tudo para te deixar feliz. Trabalho dia e noite para te deixar feliz. E todo fim de semana quando volto para casa, trago um presente para você.  A mulher começa a chorar: mas estes presentes não me interessam! O que eu quero é um pouco de atenção. Quero que você fique perto de mim em casa.

Ouvindo toda história o psicólogo descobriu que os dois se amavam, mas se expressavam de uma maneira deferente; de verdade existem 5 línguas de amor: 1) dar carinho; 2 ajudar; 3) estar junto; 4) conversar; 5) dar presentes.  A mulher queria estar junto: essa era a língua de amor dela; se o marido ficasse em casa para lhe dar atenção, ela ficaria muito feliz. Enquanto a língua de amor do marido era o dar presentes; Ele manifestou o seu amor buscando um presente bonito ou precioso para a sua esposa...Para ler mais, clique aqui.

 

Texto: Provérbios 20, 12      

Leitura: Mateus 20, 29-34

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

O ouvido que ouve e o olho que vê,

         O Senhor os fez, tanto um como o outro”.

Quando lemos este texto, nós nos perguntamos o que esta palavra do Senhor quer nos dizer.  Qual é a sabedoria dessa palavra?  Muitas pessoas tentaram resolver, mas muitas vezes o texto continua um enigma. Vamos também observar o texto e nos perguntar: o que Deus quer dizer a nós?

Não pode ser somente a ideia de que Deus criou o homem, os seus olhos, e os seus ouvidos, porque a Bíblia já revelou isso no livro de Gênesis. Um livro histórico que nos informa sobre os fatos da criação. O livro de Gênesis é assim, mas o livro dos Provérbios é diferente. Este livro fala sobre a sabedoria de Deus; sobre o temor do Senhor e sobre o Grande Mandamento: amar a Deus e amar aos nossos próximos. Este livro nos ensina como devem ser as nossas relações.

Nós devemos TER AMOR! Amor a Deus; e AMOR ao nosso próximo. A esposa, os pais, o filho, o amigo, o irmão, o pobre, o preguiçoso, o justo, o sábio, o rei etc. Os Provérbios mostram todas essas pessoas e nos explica como devemos tratá-las. Como devemos amá-las.

Agora, só é possível ter relações com essas pessoas se podemos VER E OUVIR; Uma pessoa que não pode ver, tem uma grande deficiência em construir relações, porque não pode ver. Mas ainda pode ouvir. O ouvido do cego é muito importante. O cego consegue ouvir detalhes que uma pessoa normal não consegue ver.

Então, imagine que o cego  perderá também a sua audição...!

Li uma vez um livro sobre um cego que foi maltratado por criminosos. Ele... Para ler mais, clique aqui.

 

 

Texto: Rute 2, 20                                             

Leitura: Rute 1,19 - 2

 

Queridos irmãos,

Recentemente ouvimos uma parte da história de Rute, a moça de Moabe, que voltou para Israel com a sua sogra Noemi. Noemi fugiu para Moabe numa época em que o povo de Israel estava sofrendo. Não havia chuvas, a terra estava seca. Não havia trigo, não havia pão. Houve fome no país. E naquela época Elimeleque, Noemi e os seus filhos decidiram emigrar para Moabe, porque acharam que teriam mais chances ali. Mas o projeto ‘Moabe’ não deu certo. Elimeleque morreu, os dois filhos também, e não houve netos.

Então, no final das contas, Noemi decidiu voltar para Belém: a casa do pão. E quando ela entrou na cidade e falou com as velhas amigas, ela disse: “Não me chamem Noemi, melhor que me chamem de Mara, pois o Todo-poderoso tornou a minha vida muito amarga! De mãos cheias eu parti, mas de mãos vazias o Senhor me trouxe de volta. Por que me chamam Noemi? O Senhor colocou-se contra mim! O Todo-poderoso me trouxe desgraça!”.

Assim ela falou quando entrou em Belém, mas uns dias depois disso ela disse: “Seja este homem abençoado pelo Senhor, que não deixa de ser leal e bondoso com os vivos e os mortos!”. No início ela falou palavras amargas sobre O SENHOR, e em menos de uma semana ela mudou de opinião e estava elogiando O SENHOR. Então, podemos nos perguntar: o que aconteceu? Vamos ver isso. O tema do sermão é o seguinte:

 

O Senhor é leal e bondoso com as viúvas.

Vamos dar atenção:

1) À providência do Senhor;

2) Ao Espírito do Senhor.

3) À misericórdia do Senhor.

 

A providência do Senhor.

Já disse uma vez: “Tudo na vida de Rute fala ...Para ler mais, clique aqui.