T: Marcos 9, 38-40

L: Marcos 9, 33-41

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

Já desde o início existe um mal dentro da igreja de Cristo, que era difícil eliminar. Este mal se chama arrogância, o desejo de ser o maior, o desejo de ser servido, atitudes de homens soberbos, que pensam em si mesmos; que pensam que todo mundo anda em redor deles mesmos; que acham que têm melhor conhecimento das coisas, que mandam nos colegas e excluem os que ameaçam a sua posição de líder.

Qualquer grupo, qualquer sociedade, sofre por causa disso. Se tiver uma reunião qualquer de dez ou mais pessoas, que devem discutir um assunto, com certeza haverá uma pessoa no meio delas que quer ser líder. Um tipo de Pedro, que toma a iniciativa de discutir alguma coisa, que é o primeiro a dar a sua opinião; que representa a opinião dos outros ou que é mais rigoroso que os outros. Uma pessoa que quer guiar os outros numa certa direção. Sempre tem uma ou mais pessoas que são assim. Algumas são líderes naturais, outras foram criadas assim. Elas gostam de ser servidas e de manipular as pessoas em redor delas.

O grupo dos doze apóstolos sofreu, também, por causa disso. O nosso texto nos revela como os doze discípulos estavam discutindo a questão de quem era o maior. Jesus os chamou à parte, quando chegou em casa, e os perguntou: De que é que discorríeis pelo caminho? E os discípulos guardaram silêncio. Eles não responderam. Provavelmente, porque o assunto era sensível e eles não queriam que o Senhor conhecesse o desejo que estava no coração deles.

Então, eles ficaram calados, como um grupinho de crianças que estavam brigando e não querem dizer à professora qual foi o motivo da briga, sabendo que estavam errados. Mas ...Para ler mais, clique aqui.

Texto: Mateus 5, 39

Leitura 1: Mateus 21, 33-46
Leitura 2: Domingo 15 CdH


Queridos irmãos em Jesus Cristo,

“Mas a qualquer que te bate na face direita, volta-lhe também a outra”. Todo mundo conhece estas palavras do nosso Senhor Jesus Cristo. Todo mundo as conhece, mas duvido se todo mundo aqui entende bem estas palavras. Deixe-me verificar isso. Deixe-me fazer uma pergunta: ninguém notou alguma coisa estranha em nosso texto? Olhe mais uma vez, pois há alguma coisa estranha. Ninguém descobriu o que é estranho? Então vamos fazer uma dinâmica.

Peço ao menino X para se levantar e vir até aqui. Vou simular que vou dar um toque na cara do menino. Faço isso com a minha mão direita e toco o lado esquerdo...! Mas Jesus falou sobre o lado DIREITO! Então alguma coisa está errada! Eu só posso tocar o lado direito se faço isso com a minha mão ESQUERDA! Mas será que todos os judeus eram canhotos? Isso não é muito provável. 5% da humanidade são canhotos, e o resto usa a mão direita. Independente de raça, incluindo os Judeus.

Então, irmãos, há alguma coisa estranha neste texto. O primeiro homem que descobriu isso foi Lucas. Lucas fala sobre a mesma coisa em Lc. 6,29. Ele disse: “Ao que te bate numa face, oferece lhe também a outra”. Lucas não falou sobre o lado esquerdo ou o lado direito. Ele deixou isso no meio. E o motivo pode ser que ele não entendeu OU que ele sabia que Jesus falou sobre um costume judaico! Pois com certeza Lucas sabia bem como as coisas funcionavam na vida. Ele era médico e foi treinado para observar os detalhes. Podemos ver isso no seu evangelho. Em Lucas 6,6, por exemplo, Lucas fala sobre um homem cuja mão... Para ler mais, clique aqui.