T: Hebr. 11, 1-3

L: Domingo 9 CdH

 

Irmãos,

Nós vivemos num mundo onde a ciência domina as escolas. As crianças descobrem isso quando vão para escola. Elas aprendem a observar as coisas, memorizar, e usar a sua lógica para analisar as coisas. O uso da lógica é muito importante, pois assim as pessoas podem provar as coisas. No mundo as pessoas querem ver provas. Se você não puder provar a sua tese, as pessoas não acreditarão em suas palavras.

A igreja é diferente. Não é como na escola. Aqui ninguém pede provas. Ninguém pergunta: Prove que Deus existe; prove que o mundo foi criado. Mas aqui na igreja se pergunta: em que você crê? O nosso Credo Apostólico começa com esta palavra importante: CREIO. Nós cremos nas coisas que não podemos provar. Nós cremos nas coisas que não podemos ver.

 

DEUS NOS AJUDA A CRER NAS COISAS QUE NÃO PODEMOS VER.

  1. CRER SEM VER
  2. CRER E ESPERAR
  3. CRER E TER CERTEZA

 

Crer é um ato muito importante na igreja. Tem que crer, pois só assim vamos ser salvos. Quem não crê, não será salvo.  Mas o que é crer? A palavra de Deus nos ensina, em Hebreus 1, o seguinte:  A fé é uma posse antecipada do que se espera, um meio de demonstrar as realidades que não se vêem. Crer é, em primeiro lugar: ter certeza. A fé nos dá segurança. Segurança a respeito de realidades que nós não podemos ver com os nossos olhos. Segurança a respeito de realidades que nós não podemos provar.

Não posso provar que Deus existe.

Não posso provar que existem anjos.

Não posso provar que o céu e a terra foram criados por Deus.

Eu CREIO que isso aconteceu. CREIO EM DEUS PAI, TODO-PODEROSO, CRIADOR DO CÉU E DA TERRA. Eu creio, mas não posso provar. Creio, mas não vi que Deus criou os céus e a terra.

Assim posso continuar, pois todo Credo Apostólico está cheio de fatos milagrosos que não posso provar. Creio em Jesus Cristo. Ele vivia em Israel na época do governador romano Pôncio Pilatos, não posso provar isso, mas CREIO que ele é o único filho de Deus. Não vi, mas creio que foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria. Não vi, mas creio que ele foi crucificado, morto e sepultado....Para ler mais, clique aqui.

 

T: João 1, 18

L: Domingo 8 CdH H. 24

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Acabamos de ler os artigos 8 e 9 da nossa Confissão Belga. Esses artigos falam sobre a Trindade de Deus: um só Deus, três pessoas. Artigo oito nos ensina que devemos tomar cuidado quando falamos sobre a trindade; e art. 9 nos ensina o testemunho das Escrituras sobre a trindade. Os dois artigos juntos já servem como um sermão. Então, o que ainda posso dizer para completar as palavras da nossa confissão?

Devemos saber mais sobre Deus? Podemos saber mais sobre Ele? A própria confissão diz: E, embora essa doutrina ultrapasse o entendimento humano, cremos nela baseados na Palavra e esperamos desfrutar de seu pleno conhecimento e fruto no céu.

Prestem atenção nisso, irmãos: essa doutrina ultrapassa o entendimento humano! É bom observar isso! Nós podemos observar as coisas deste mundo e tentar analisá-las, tentar entender como elas funcionam, mas o nosso Deus não é um objeto que podemos observar e analisar. Ninguém jamais viu a Deus, o Filho unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou, disse João. Nós não podemos comparar Deus com ninguém.

O profeta Isaías disse: “Com quem comparareis a Deus? Ou que coisa semelhante confrontareis com ele? Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável!”

“Deus é grande e não o podemos compreender, disse Eliú a Jó (Jó 36,26). Deus ultrapassa o entendimento humano. Ele é sempre maior. Ele é Deus.

Isso não quer dizer que é impossível conhecer Deus, mas o nosso conhecimento tem limites. O nosso conhecimento é um dom de Deus. O nosso conhecimento é baseado na Revelação de Deus. Deus só pode ser conhecido por Deus mesmo. O nosso conhecimento vem...Para ler mais, clique aqui.

 

 

L.: Domingo 7 CdH

T.: Tiago 2, 14-26

 

Domingo 7 CdH

 

P. 21: O que é a verdadeira fé?

R.: A verdadeira fé é o conhecimento e a certeza de que é verdade tudo o que Deus nos revelou em sua Palavra. É também a plena confiança de que Deus concedeu, por pura graça, não só a outros, mas também a mim a remissão dos pecados, a justiça eterna e a salvação somente pelos méritos de Cristo. O Espírito Santo opera essa fé em meu coração por meio do evangelho.

 

Texto: Domingo 7B

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

O que é a verdadeira fé? Essa é uma pergunta importante, pois existe muita confusão sobre isso. Há muitas pessoas que estão dizendo que creem, mas praticamente ninguém observa nada da fé delas; e existem outras pessoas, que também dizem que creem, mas elas têm a sua própria fé; são pessoas autônomas, que constroem a sua própria igreja, conforme as suas próprias ideias; essas pessoas leem a bíblia, mas só pegam da sua Bíblia o que parece útil para a própria vida. Assim elas constroem o seu próprio reino, a sua própria Igreja e até o seu próprio céu; tudo parece muito religioso, mas não é a verdadeira fé.

Há também muitas pessoas que realmente creem. Mas a fé delas não é muito firme, não tem muitas raízes, pois o único fundamento da fé delas é o COSTUME. Elas creem, porque foram criadas dessa maneira. A mãe fez isso e a avó e assim elas foram criadas. Os pais as ensinaram com muita autoridade e elas aceitaram isso automaticamente. Por causa disso elas vão para igreja. De fato elas creem por causa de uma outra pessoa, por causa dos pais ou dos avós. Bom, dá para entender que isso não é a verdadeira fé.

Imagine que um dos seus amigos vai casar. E você o pergunta: ‘olá, rapaz, porque você vai casar?' E ele responde: Por quê? Por causa dos meus pais e da minha família. Eles esperam que eu me case com essa moça. Quem ouve isso, entende que isso não é um verdadeiro amor.  Não há amor. Esse casamento é feito por costume e não por amor. A mesma coisa pode acontecer com a fé. As pessoas podem ir para a igreja, visitar os cultos, mas a fé delas não é verdadeira. Ninguém pode crer por causa dos pais; crer é realmente conhecer a Deus e amá-lo.

Assim há também pessoas, que creem porque querem fazer parte de um grupo. Cada pessoa do grupo crê. É uma coisa comum. É uma coisa da família, ou do ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1B

 

A) Introdução;

O primeiro domingo tem uma dificuldade se você quiser prega-lo inteiramente, porque ele tem duas partes que estão ligadas uma com a outra, mas o conteúdo delas é bem diferente. Por causa disso separei estas partes. A segunda pergunta e resposta merece um tratamento especial, porque encontramos pela primeira vez a divisão do Catecismo em três partes: Miséria, Salvação e Gratidão.  Esta divisão é uma chave hermenêutica, que abre as escrituras.

Lutero encontrou uma chave desse tipo quando descobriu que o crente é salvo pela fé em Cristo Jesus; os professores de Heidelberg encontraram outra chave, que também ajuda a entender as sagradas escrituras.

 

B) Tema;

O catecismo pergunta aqui: o que você deve saber para viver e morrer nesse fundamento? O crente precisa saber de algumas coisas; então a questão é conhecimento; aqui se fala sobre os elementos básicos da fé cristã; O catecismo quer nos ensinar como teremos a segurança da fé.

 

C) A Luz das Sagradas Escrituras;

Os professores de Heidelberg foram iluminados pelo Espírito Santo quando colocaram todos os elementos básicos da fé numa estrutura lúcida: tem que se ter conhecimento de sua miséria, de sua salvação e de sua gratidão. Esta estrutura parece um pouco artificial, mas eles aprenderam isso pelas sagradas escrituras, porque a estrutura da Bíblia é assim. Pensem na estrutura geral da Palavra de Deus: o Antigo Testamento nos ensina sobre a nossa miséria, os Evangelhos nos ensinam a nossa Salvação, e as epístolas dos apóstolos nos ensinam a nossa gratidão. Deixa me explicar isso um pouco.

            O antigo testamento nos ensina a nossa miséria. Isso já começa em Gênesis 3, onde lemos que o homem caiu em pecado. Essa é a nossa miséria: o pecado! Adão e Eva pecaram e a natureza pecaminosa se espalhou pelos seus filhos e netos: por todo gênero humano. Os primeiros capítulos do livro de Gênesis mostram isso. O resultado disso foi o dilúvio, que limpou a terra e destruiu a sociedade perversa. Mas Deus salvou Noé e a sua família. Deus ia começar de novo com eles. Uma nova geração. Mas logo depois nós descobrimos que o pecado estava também na arca de Noé; o pecado estava no coração de Noé e dos seus filhos. Noé caiu em pecado e os seus filhos e netos ...Para ler mais, clique aqui.

Texto: Efésios 6, 1-4                                

Leitura: Domingo 27 CdH

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

“O batismo infantil é a maior e principal abominação do Papa”.

Assim fala o primeiro artigo da primeira confissão que os anabatistas adotaram na cidade de Schleitheim, em 1527. Eles rejeitaram radicalmente o batismo infantil. De acordo com os anabatistas:

"O batismo deve ser dado a todos aqueles que se arrependem e mudam de vida, e que verdadeiramente acreditam que seus pecados são levados por Cristo, e a todos aqueles que andam na ressurreição de Jesus Cristo, e que desejam ser sepultados com Ele na morte, para que possam ser ressuscitados com Ele, e para todos aquele que, com esta compreensão, o pedem a nós e o procuram para si. Isso exclui todo batismo infantil, a maior e principal abominação do Papa”.

O movimento dos anabatistas foi um movimento radical que se espalhou em toda a Europa na época da Reforma. Tanto a igreja de Roma, como também os Luteranos e as igrejas Reformadas conheciam o batismo infantil. Mas os anabatistas o rejeitaram rigorosamente.

Em 1543 houve um grande tumulto na igreja de Cornaux (perto de Neuchatel, na Suiça), quando o pastor quis batizar uma criança. Uma pessoa que estava no meio da congregação se levantou, gritou e disse: “Onde está escrito nas Sagradas Escrituras que as crianças devem ser batizadas?”. Prestem atenção que naquela época a igreja reformada ainda não conhecia o Catecismo de Heidelberg, nem a forma do Batismo, que seria feita vinte anos depois, em 1563.

Essa pergunta - Onde está escrito nas Sagradas Escrituras que as crianças devem ser batizadas?- se repetia várias vezes nas discussões com os anabatistas. Eles sempre faziam esta pergunta e provavelmente por causa disso os professores reformados de Heidelberg colocaram uma resposta sobre o batismo infantil no...Para ler mais, clique aqui.

Texto: Romanos 14,21                                                                    

Leitura: Romanos 14, 1-23

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Este capítulo fala sobre um aspecto da vida da igreja que todo mundo reconhece. Qualquer igreja tem irmãos fracos e irmãos fortes. Um crê que pode comer ou beber tudo, enquanto o irmão mais fraco acredita que não pode comer tudo, nem beber. Essas opiniões diferentes sempre existiam, não somente hoje, mas também antigamente. O apóstolo Paulo experimentou isso na congregação de Coríntios e ele sabe que existe o mesmo problema na igreja em Roma.

Paulo trata este assunto e na primeira parte ele enfatizou que os mais fortes devem acolher e abraçar o mais fracos na fé; Os irmãos devem respeitar um ao outro. Não julgar, nem condenar o outro, mas respeitar as opiniões diferentes. Paulo mesmo não entra nos assuntos, mas ele fala sobre a comunhão fraternal. Como devemos tratar o irmão que tem outra opinião? Ele falou sobre este aspecto na primeira parte: os versículos 1-12.

Agora, na segunda parte ele se aprofunda mais no assunto e começa a falar sobre a liberdade cristã e o amor fraternal. A nossa liberdade cristã pode ser limitado pelo amor fraternal. Pode ser que me sinto livre para comer ou beber tudo, mas se isso enfraquece meu irmão mais fraco, eu devo pensar duas vezes. O que eu amo mais? A bebida alcoólica ou o meu irmão mais fraco, a favor de quem Cristo morreu?

A palavra de Deus nos ensina aqui que o amor fraternal deve dominar a minha vida. Encontramos a conclusão no vs. 21: É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer].

Observando isso, eu lhes prego o evangelho, que diz:

 

Irmãos, EVITEM OS ESCÂNDALOS E TROPEÇOS

 

Essa exortação serve

  • Para os fortes;
  • Para os fracos;
  • Para que amemos uns aos outros.

 

Essa exortação serve para os fortes.

Quem são os fortes na congregação?

Isso é um pouco difícil de se dizer, porque o texto não cita nomes. Mas vou tentar explicar este ponto. Observando os evangelhos, podemos dizer que Jesus é um bom exemplo de um irmão forte. Jesus conhecia as escrituras. Ele tinha um bom conhecimento dos mandamentos; ele dominava este assunto e ...Para ler mais, clique aqui

Texto: Romanos 10: 8-10
Leitura: Romanos 10

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Hoje é um dia especial. O dia em que comemoramos a Páscoa. Hoje celebramos que o nosso Senhor Jesus Cristo foi ressuscitado da morte. Na sexta-feira santa comemoramos que Jesus morreu na cruz, e que ele foi sepultado, mas hoje celebramos que Jesus foi ressuscitado e saiu do sepulcro, como já cantamos no início do nosso culto: Da sepultura saiu! Com triunfo e glória ressurgiu! Ressurgiu, vencendo a morte e o seu poder. Cristo venceu a morte, se levantou e se manifestou vivo aos seus discípulos.

A ressurreição de si mesmo foi o maior milagre de Cristo na sua vida aqui na terra. Ele fez muitos milagres, até ressurgiu outras pessoas da morte, e agora ele mesmo passou pelo vale da morte, e voltou vivo. Ele voltou para nos mostrar a vida. A vida do outro lado, nova, em glória, em vitória. Por causa disso o dia de Páscoa tem um sentido simbólico. Neste dia celebramos A VIDA NOVA que Cristo nos deu.

Por causa disso a igreja apontou este dia para os novatos fazer profissão de fé e para assumir a sua vida nova em Cristo. Neste dia de Páscoa os novatos foram batizados e isso queria dizer que eles estavam mortos em pecados, mas agora eles foram ressuscitados com Cristo. A vida nova com Cristo começou no dia de Páscoa. Então, irmãos, por causa disso decidir que a profissão de fé de nosso irmão (..........) será feita neste dia. (Pode colocar mais informações pessoais). E por causa disso ele vai fazer a sua profissão de fé hoje.

Quero falar um pouco mais sobre isso e por causa disso escolhi o seguinte texto, que encontramos em Romanos 10: 9...Para ler mais, clique aqui

 

Texto: João 20: 24-29                      

Leitura: João 20: 19-31

 

Amados irmãos em Jesus Cristo,

Tomé é um dos apóstolos que se tornou famoso, por causa da sua atitude incrédula. Tomé é um apóstolo conhecido na igreja cristã, desde a antiguidade;  mas a fama dele não é muito boa. Ele recebeu uma fama negativa, como Judas. Tomé é o tipo de pessoa indecisa. Quando uma pessoa é ignorante e não quer ser convencida pelo testemunho das outras pessoas, chamamos esta pessoa “um Tomé”. Isso quer dizer que ela é uma incrédula. Tomé é considerado como um incrédulo. Ele é o representante daquelas pessoas que dificilmente acreditam nos testemunhos das outras pessoas; Ele é como aquelas pessoas que sempre dizem: “Sim, pode ser, mas..... só acredito se eu ver com os meus próprios olhos.”

ANTIGAMENTE Tomé foi usado de tal maneira! Quando os pastores antigos pregavam sobre Tomé, eles gostavam de enfatizar o lado INCRÉDULO de Tomé. Eles usavam Tomé como exemplo para avisar certas pessoas dentro da congregação; os congregados ou os visitantes que ainda não tomaram uma decisão a respeito de Cristo. OU eles usavam Tomé para consolar os membros que tinham dúvidas sobre os milagres que aconteceram na Bíblia. Eles usavam Tomé, dizendo: “está vendo, no meio dos apóstolos havia também uma pessoa com dúvidas”. E dessa maneira eles queriam consolar as pessoas, que tinham dúvidas sobre a sua fé.

Não quero criticar as boas intenções dos pastores antigos, mas quero dizer que eles fizeram uma CARICATURA de Tomé. Eles enfatizaram UM lado de Tomé e esqueceram do OUTRO lado. Pois o mesmo Tomé mostrou também uma fé forte, e um amor grande para com o Senhor. Ele confessou que Jesus é o seu Senhor e o seu Deus.

De fato, irmãos, quem lê...Para ler mais, clique aqui.

Texto: João 17, 3

Leitura: Apocalipse 19, 6-10                                      

 

“Cristo nos mandou celebrar esta ceia em sua memória. Nesta mesa nós lembramos que Jesus Cristo nos prometeu a alegria eterna. Aguardamos com grande expectativa a abundância desta alegria no banquete do Casamento do Cordeiro, quando Ele beber conosco o vinho novo no reino do seu Pai. A bíblia fala em vários lugares sobre esta alegria na vida eterna. Como, por exemplo, em Apoc. 19, 6-10.”  Vamos ler isso: [leitura de Apoc. 19, 6-10].

 

Queridos Irmãos em Jesus Cristo,

Hoje falaremos sobre a vida eterna, que experimentaremos no céu. Quem não queria fazer um passeio no céu por um dia? Como seria? As pessoas estariam verdadeiramente felizes? Haveria lá sempre uma festa? Algumas pessoas dizem que é assim, mas quem já experimentou? Quem de vocês, irmãos, conhece uma pessoa que subiu ao céu e depois voltou para dizer como é lá?

Seria ótimo, não seria? Seria como uma pessoa que fez uma viagem longa para um lugar desconhecido neste mundo. Se voltar, ela poderá contar como foi; como as pessoas viviam; e como era bonito etc; acredito que cada um já ouviu tal história. Mas não conheço ninguém que já tenha ouvido uma pessoa falar sobre a sua visita ao céu.

Por causa disso, não é fácil falarmos sobre a vida no céu. Não podemos falar sobre isso conforme as nossas próprias experiências. Infelizmente não! Eu também não posso. Mas isso não quer dizer que não tenho nada para dizer hoje. Pois não baseamos a nossa fé em experiências humanas; em histórias que outras pessoas viram ou ouviram. Mas o fundamento da nossa fé é isso: nós CREMOS no que DEUS nos diz em Sua Palavra. A nossa experiência não é importante, mas a palavra de Deus. Esta é importante. Deixamos Deus nos dizer como é lá. Hoje vamos falar sobre esta alegria, irmãos.

 

DEUS NOS DÁ A ALEGRIA ETERNA.

1) A alegria perfeita depois desta vida;

2) O início desta alegria eterna experimentamos aqui e agora;

 

1) Depois desta vida receberemos a alegria perfeita;

Nós não podemos dizer muito sobre a glória do futuro. Ninguém pode imaginar corretamente como será esta glória. O nosso catecismo, diz num certo lugar (Domingo 22): “Essa glória perfeita, nenhum olho jamais viu, nenhum ouvido ouviu e jamais surgiu no coração de alguém”. O que veremos lá nunca vimos antes; a música que ouviremos lá, nunca ouvimos aqui na terra. Em suma: isso ultrapassará a nossa imaginação. Mesmo assim podemos, discretamente, dizer alguma coisa sobre a vida eterna. A Bíblia fala discretamente sobre isso em Apocalipse 21: 1-8. Vamos ler este trecho. [leitura]....Para ler mais, clique aqui.

 

 

Texto: Juízes 15, 9-20         

Leitura: Hebreus 11, 32             

                                            

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

As crianças gostam muito de ouvir sobre a história de Sansão. Ele age como aqueles heróis da televisão. Sansão é um super homem com grande poder. Ele matou um leão com as suas mãos; quebrou as cordas, novas, como se fossem fios de linho queimados ao fogo; matou 1000 homens com a queixa de um jumento; levantou as portas enormes de uma cidade e colocou-as no topo de uma montanha; ele é um guerreiro, que impressiona por causa do seu poder.

Mas ele é um bom exemplo para os nossos filhos? Os nossos filhos devem seguir o exemplo dele? Também moralmente? Ele se casou com uma mulher descrente; matou muitas pessoas descrentes; destruiu a ceifa de trigo; visitava as prostitutas. Este homem é um bom exemplo? Como devemos avaliar a vida dele?

Sansão é um exemplo para nós?

Vamos observar:

  1. A força de Sansão;
  2. A sua fraqueza;
  3. Sua .

A força.

Falando sobre a vida de Sansão podemos facilmente nos enganar, observando somente o lado humano deste homem. Ele é um homem com grandes poderes e com paixões intensas. Se tal homem vivesse em nossa igreja, ele provavelmente seria disciplinado, baseado no sexto mandamento (não matarás) e no sétimo mandamento (não adulterarás).  Mas não devemos esquecer que tudo isso estava num contexto; pois devemos observar, também, o outro lado da vida dele. O lado divino. Pois foi Deus que estava ativo e Ele usou Sansão. Isso já ficou claro no período antes do seu nascimento. Pois o nascimento dele foi um milagre. Quer dizer: uma coisa sobrenatural, que foi ...Para ler mais, clique aqui.

 

 

Texto: Números 21, 4-9

Leitura: 1 Cor. 10, 1-13

                 João 3, 14-15

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Com certeza já viram na televisão a propaganda contra drogas. Um jovem vende uma coisa e recebe dinheiro, com este dinheiro ele compra uma arma, e com esta arma ele assalta outras pessoas, para receber mais dinheiro para comprar... Drogas! Ajudar a lutar contra as drogas é a mensagem deste filme. É um aviso que vem para nós pela televisão.

Da mesma maneira Deus usa a Bíblia para nos dar um aviso. Deus nos avisa para termos cuidado, pois há muitos perigos ao redor de nós. Assim funciona a história da COBRA DE BRONZE, que acabamos de ler. Essa não é somente uma história dum povo desconhecido, que vivia no passado, numa situação completamente diferente da nossa. Não, irmãos, esta história quer nos ensinar alguma coisa.

Paulo fala sobre isso em 1 Cor. 10. Ele aponta umas quatro histórias que aconteceram durante a viagem de Israel pelo deserto. No vs. 7 ele fala sobre a idolatria com o bezerro de ouro; no versículo 8 ele conta a história do adultério com as filhas de Moab; no versículo 9 sobre a cobra de bronze; e, finalmente, no versículo 10, sobre a rebelião de Coré, Datã e Abiram. E no fim Paulo diz: Irmãos prestem atenção! Leiam bem estas histórias. E não esqueçam, pois elas foram escritas para te acordar, para te avisar contra os perigos do pecado.

Os pecados seguintes: desprezar a Deus, uma vida imoral, tentar ao Senhor, murmurar e ser rebelde contra o Senhor. Se estes pecados dominarem a sua vida, o Senhor não será (mais) o seu Deus; Ele não será mais o grande aliado, o grande amigo, mas se tornará um inimigo; Quem viver assim provocará ao Senhor. Isso acontece. Pode ser que uma pessoa é ...Para ler mais, clique aqui.

 

 

Texto: Êxodo 15: 22-27      

Leitura: Deut. 8

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Quem nunca encontrou um vendedor de seguros? Eles oferecem seguros contra todos os perigos! Oferecem seguro de saúde, seguro contra roubo, seguro para invalidez, seguro contra isso e contra aquilo. Vendem todos esses tipos de seguros; eu me perguntei: eu preciso disso? Não posso me assegurar contra tudo. O meu seguro está aqui: Salmo 121: De onde vem o meu socorro? O meu socorro está em nome do Senhor, criador do céu e da terra. Este é o meu seguro nesta vida. O Senhor quer nos ensinar isso. O povo de Israel devia confiar nisso; e nós também. A história que vamos ler agora mostra isso.

[Ler Ex. 15: 22-27]    

O Senhor cuida do seu povo

  1. Ele sara águas amargas;
  2. Ele sara corações amargos;

O Senhor sara águas amargas

“EU SOU O SENHOR QUE TE SARA”.  Estas palavras são boas. Estas palavras poderiam ser colocadas na parede da frente da igreja. “EU SOU O SENHOR QUE TE SARA”. Mas quem quer entender estas palavras deve estudar a situação em que estas foram ditas. Sempre devemos fazer isso se quisermos entender bem as palavras de uma pessoa. Também nesta situação. Qual é a situação? O que aconteceu?

O povo de Israel estava ali: à beira do mar Vermelho. Eles olhavam para a água. Dentro da água encontravam-se os cadáveres de cavalos, junto com os corpos de soldados. O restante do exército dos egípcios. Eles afundaram no mar. Faz pouco tempo que o povo de Israel passou por este mesmo caminho. Os soldados o seguiram, mas quando os últimos homens de Israel tinham chegado à beira do mar, Moisés levantou os seus braços, e quando os baixou, o muro de água baixou...Para ler mais, clique aqui.