Texto: Mateus 2, 16-18

Leitura: Jeremias 31, 10-17

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Vocês tiveram um bom Natal? Junto com a família ou com amigos, com seus filhos ou netos. Espero que vocês tenham tido dias alegres, pois isso faz parte da festa de Natal. O nascimento de Jesus Cristo causou uma alegria profunda em todos os corações. Podemos ler isso na Bíblia. Havia alegria entre os anjos, alegria entre os pastores, alegria nos corações dos magos. Todos estavam alegres por causa da criança que nasceu. Todos?

Também os moradores de Belém? Os habitantes de Belém estavam também alegres com a vinda do Cristo? Talvez se alegrassem inicialmente com o nascimento, mas também nos anos posteriores? É muito difícil acreditar nisso se lemos a história sobre as crianças assassinadas em Belém. Se houvesse um jornal naquela época, estaria escrito na primeira página com letras maiúsculas: MASSACRE EM BELÉM! Soldados assassinaram todas as criancinhas em Belém! Imaginem, irmãos, que isso acontecesse aqui! Que todos os meninos, de recém-nascidos até três anos, neste conjunto, seriam assassinados num só dia! Que os militares fechariam as ruas, entrariam nas casas, tirariam o seu irmãozinho dos braços da sua mãe e o assassinariam. Não seria horrível? Isso aconteceu em Belém. Nós somos deslocados do berço de Jesus Cristo para o vale da morte das criancinhas de Belém. Isso é o anticlímax do Natal.

Antigamente este texto, Mt 2,16-18, era pregado no domingo depois do Natal. Isso virou um costume, de modo que este domingo recebeu um nome: o domingo das crianças inocentes; crianças que não puderam se defender; crianças inocentes. Hoje vamos prestar atenção nelas. Hoje vamos meditar sobre a vala das criancinhas de Belém. Mateus elevou um monumento no seu evangelho. Um monumento para as criancinhas de Belém, que não tinham culpa... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Atos 15, 28-29                

Leitura: Lev. 17; João 6, 51-58; Atos 15, 12-29; 1 Cor. 10, 23- fim; Apocalipse 2, 14 e 20;

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Faz pouco tempo que a presidente da sociedade das mulheres me perguntou se eu não poderia pregar sobre Atos 15, 28-29. Este texto foi tratado durante uma das reuniões e deu muita confusão; especialmente aqueles pontos sobre o comer do sangue. Então irmãos, vamos pegar a nossa bíblia e ler o trecho inteiro: Atos 15, 12-29 [-]. A parte mais importante para nós hoje a noite são os versículos 23-29.

Esta parte é de fato uma carta, que foi enviada às igrejas missionárias. E esta carta não é uma carta qualquer, pois esta carta foi assinada pelos apóstolos e pelos presbíteros da igreja de Jerusalém. São os homens que andavam com Jesus; eles foram testemunhas oculares e ouviram o ensino do mestre. Jesus lhes deu do seu Espírito Santo. E por causa disso, eles têm um conhecimento profundo da vontade de Deus e dos mistérios do Reino de Deus. Eles são guiados pelo Espírito Santo e isso eles confessam no final da sua carta, dizendo: “Pois pareceu bem ao Espírito Santo e a nós”. Os apóstolos e os presbíteros se deixaram guiar pelo Espírito Santo.

O Espírito Santo que revelou as coisas aos santos profetas. Pedro escreveu sobre este assunto na sua segunda carta (2 Pedro 1, 19-21). Ali, ele escreveu:

Assim, temos ainda mais firme a palavra dos profetas, e vocês farão bem se a ela prestarem atenção, como a uma candeia que brilha em lugar escuro, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça no coração de vocês. Antes de mais nada, saibam que nenhuma profecia da Escritura provém de interpretação pessoal, pois jamais a profecia teve origem na vontade humana, mas homens falaram da parte de Deus, impelidos pelo Espírito Santo.... Para ler mais, clique aqui.