Leitura: Provérbios 30, 7-9

Texto: Eclesiastes 5, 9-19

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

“Melhor é o que os olhos veem, do que andar ocioso da cobiça”, assim fala o sábio em Eclesiastes 6, 9. Em outras palavras, isso quer dizer: melhor é estar satisfeito e encontrar a sua felicidade nas coisas que você tem, do que estar insatisfeito e caçar o que você não tem: coisas maiores, coisas melhores, um futuro melhor. Tudo isso é vaidade e correr atrás do vento.

Essa observação está cheia de sabedoria, mas pode ser insatisfatória para uma pessoa que é pobre e que não está satisfeita com a sua vida atual, ansiando por uma vida melhor. Quem não quer? A realidade é assim. Pois é, mas, apesar disso, é bom parar e meditar sobre essa palavra cheia de sabedoria, porque o livro de Eclesiastes não é o único livro na Bíblia que fala assim. Esse ditado combina muito bem com a admoestação que encontramos em Hebreus 13, 5, que diz: Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as coisas que tendes; e também com o conselho pastoral de Paulo em 1 Timóteo 6, 8: Tendo sustendo e com que nos vestir, estejamos contentes; além disso, a palavra do nosso supremo profeta Jesus, que disse, em Lucas 12,15: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.

Recentemente eu me perguntei sobre como essas admoestações funcionam em nosso meio, aqui na igreja. Tenho a impressão de que esse ensino do nosso Deus não funciona bem. Porque em vários momentos eu vejo outras atitudes, e irmãos que não estão satisfeitos. Muitos se empenham em ficar ricos, ganhar mais dinheiro, acumular tesouros – eles não manifestam uma satisfação com as coisas que têm, mas correm para ter mais, andam no shopping para comprar, até criando dívidas com seus cartões de crédito e débito, pagando juros em cima de juros, só porque não estavam satisfeitos com as coisinhas que tinham.

Até crentes que receberiam um bom testemunho a respeito da sua doutrina e vida vivem com esta fraqueza da avareza e não conseguem imitar o exemplo de Paulo, que disse (Filipenses 4, 11): aprendi a viver contente em qualquer situação.

Agora, nós não devemos pensar que o autor do livro de Eclesiastes é contra o uso de dinheiro ou a posse de bens, porque não é assim. Com certeza, Salomão aprendeu muitas coisas quando ele devia julgar os processos dos ricos contra os pobres. Ele sabia quanta injustiça e corrupção existia nos negócios na sociedade. Ele viu a avareza, a extorsão, os juros altos e a corrupção dos seus funcionários públicos, dos funcionários altos e dos funcionários ... Para ler mais, clique aqui.

Leitura: Ex. 22, 22-24; Dt 15, 7-11.

Texto: Mc 12, 41-44       

 

Amados irmãos e irmãs,

 

Foi no início do ano, antes da crise, que tive uma boa conversa com alguns irmãos a respeito do texto que acabamos de ler: a história da viúva pobre. Falando sobre este texto aprendi algumas coisas:

  • Em muitas igrejas a viúva pobre serve como EXEMPLO de dedicação:

            “Seja como a viúva pobre, que deu as últimas moedas nas ofertas”.

  • Quando eu disse que ela deu TUDO o que tinha, surgiu uma dúvida: Será que isso quer dizer que nós também devemos dedicar TUDO o que temos ao serviço do Senhor? Os irmãos tinham dúvidas sobre isso, porque acharam que não pode ser assim, que devemos dedicar tudo para depois depender da diaconia.
  • Eu também tive as minhas dúvidas, e prometi que ia pregar sobre este texto.

 

Então, irmãos, hoje vamos ouvir mais sobre essa viúva pobre. E já posso dizer que ela deu TUDO que tinha. As palavras de Jesus não deixam nenhuma dúvida sobre isso. Todos os ricos deram DO QUE LHES SOBRAVA, mas ela, da sua pobreza, deu TUDO o que possuía para viver!! As duas moedinhas não eram o que lhe SOBRAVA, mas era TUDO. Todo capital que ela possuía para viver!!  Então, quem acha que ela serve como bom exemplo para nós, deve pensar duas vezes quando oferece a sua oferta à Igreja. Você é como os ricos que deram do que lhes sobrava, OU você é como a viúva, que deu TUDO o que possuía para viver!!

Quero que vocês pensem nisso! E tenho mais alguma coisa para pensar, pois todo mundo acha que a viúva se destacou no meio dos ricos, porque deu um bom exemplo de dedicação. Ótimo!

Agora eu pergunto. Porque ela é um bom exemplo? Porque...Para ler mais, clique aqui.

Texto: Mateus 7, 7-12

Leitura: Salmo 73

 

Queridos irmãos,

Imagine que seu filho lhe pede comida, pois está com muita fome. Ele pede várias vezes; ele insiste, pois tem muita fome. E o que você faz? Provavelmente dará alguma coisa para ele comer: um pãozinho ou um biscoitinho. E se não tiver nada para dar? Com certeza ninguém, nenhum pai ou mãe, dará pedra em vez de pão ao seu filho. E, também, ninguém dará uma cobra em vez de um peixe. Quem fizer isso não ama os seus filhos, mas os odeia. Podemos imaginar um inimigo fazendo isso, mas não os próprios pais.

Os pais normalmente amam os seus filhos e cuidam deles. O pai rico faz isso, mas o pai pobre também. Talvez o pobre não possa dar tanto quanto o pai rico, mas ele procura o melhor para os seus filhos, e não o pior. Sei que isso não acontece sempre. Existem pais que deixaram a sua família, deixaram a esposa e as crianças e não se preocupam mais com a vida delas. Eles mostram claramente o que Jesus está dizendo: os pais são maus.

Alguns mostraram isso claramente; outros escondem as suas maldades, e mais outros lutam contra isso. Mas todos os pais ou as mães são maus. Jesus não quer dizer que somente os pais são maus. Jesus se refere ao pecado original. Todo mundo é contaminado com este pecado. Pais, mães e crianças também.  Todos nós somos maus. Mas sendo maus, sabemos dar boas dádivas aos nossos filhos:  O pão de cada dia, o material para a escola, roupas para se vestir, às vezes um presente. São as coisas básicas que cada criança precisa na sua vida. O pai que ama os seus filhos, se tiver condições, dá essas coisas.... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Mateus 5, 39

Leitura 1: Mateus 21, 33-46
Leitura 2: Domingo 15 CdH


Queridos irmãos em Jesus Cristo,

“Mas a qualquer que te bate na face direita, volta-lhe também a outra”. Todo mundo conhece estas palavras do nosso Senhor Jesus Cristo. Todo mundo as conhece, mas duvido se todo mundo aqui entende bem estas palavras. Deixe-me verificar isso. Deixe-me fazer uma pergunta: ninguém notou alguma coisa estranha em nosso texto? Olhe mais uma vez, pois há alguma coisa estranha. Ninguém descobriu o que é estranho? Então vamos fazer uma dinâmica.

Peço ao menino X para se levantar e vir até aqui. Vou simular que vou dar um toque na cara do menino. Faço isso com a minha mão direita e toco o lado esquerdo...! Mas Jesus falou sobre o lado DIREITO! Então alguma coisa está errada! Eu só posso tocar o lado direito se faço isso com a minha mão ESQUERDA! Mas será que todos os judeus eram canhotos? Isso não é muito provável. 5% da humanidade são canhotos, e o resto usa a mão direita. Independente de raça, incluindo os Judeus.

Então, irmãos, há alguma coisa estranha neste texto. O primeiro homem que descobriu isso foi Lucas. Lucas fala sobre a mesma coisa em Lc. 6,29. Ele disse: “Ao que te bate numa face, oferece lhe também a outra”. Lucas não falou sobre o lado esquerdo ou o lado direito. Ele deixou isso no meio. E o motivo pode ser que ele não entendeu OU que ele sabia que Jesus falou sobre um costume judaico! Pois com certeza Lucas sabia bem como as coisas funcionavam na vida. Ele era médico e foi treinado para observar os detalhes. Podemos ver isso no seu evangelho. Em Lucas 6,6, por exemplo, Lucas fala sobre um homem cuja mão... Para ler mais, clique aqui.

T. Lucas 1, 52 e Daniel 4

L. Mateus 13: 31-32; Lucas 1: 31-32;

 

O Senhor derrubou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes!

 

Existe um ditado que diz: “Os sonhos são enganosos”. Mas nem todo mundo concorda com isso. Muitas pessoas acham que os sonhos são importantes e contêm mensagens que vêm de Deus. O problema é a interpretação dos sonhos. A interpretação do sonho pode ser complicada, e por causa disso enganosa. Mas não é sempre assim: existem sonhos simples que se explicam pelos acontecimentos do dia; tal sonho é uma reflexão da mente sobre as coisas que aconteceram; porém existem também sonhos que tem um sentido mais profundo. O livro de Daniel nos mostra isso várias vezes.

O livro de Daniel fala sobre os sonhos de Nabucodonosor.  As ideias e os planos que durante o dia ocupam e preocupavam a mente do rei, se desenvolviam à noite em sonhos maravilhosos ou assustadores. Os nossos planos e desejos que não conseguimos realizar enquanto estamos acordados se realizam duma maneira maravilhosa em nossos sonhos: coisas impossíveis serão realizadas de uma maneira imaginável.

Esses são os sonhos bons; mas existem também sonhos ruins: pesadelos. As coisas horríveis que nos deixam preocupados ou com medo durante o dia se tornam um pesadelo durante a noite: coisas horríveis acontecem em nossos sonhos; coisas que nós tememos durante o dia que se tornam ‘realidade’ durante a noite. Os sonhos revelam os sentimentos escondidos na mente de uma pessoa: a sua fraqueza, a sua impotência de realizar certas coisas, o seu desejo, a sua paixão, o seu medo, a sua humildade ou a sua arrogância.

O primeiro sonho de Nabucodonosor lhe mostrou uma estátua enorme; o segundo, uma árvore enorme.  Nabucodonosor é acostumado a pensar em coisas grandes. A descrição da árvore... Para ler mais, clique aqui.

 

Texto:  Isaías 53: 7    

Leitura: Mc. 14: 53-61; Mc. 15: 1-5 & 1 Pe 2: 18-23

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Imagine que o seu filho entra na sala chorando e dizendo: “Ô mainha, os meus coleguinhas estão me chateando; eles colocam apelidos em mim e bateram em mim”. Como será a sua reação? Muitos pais reagem assim: “Se ele colocar um apelido em você, coloque nele também; se ele bater em você, bata nele também!”. Muitas crianças são criadas dessa maneira. E dessa maneira muitas crianças reagem: quando um coleguinha bate nelas, elas batem nele de volta. Crianças fazem isso e adultos também. Eles aprenderam a lutar e eles reagem assim. Pois a mãe deles não os ensinou a sofrer, mas a combater.

Para estas crianças é muito difícil entender o que está escrito em Isaías 53. Neste capítulo encontramos também um filho do Senhor; neste capítulo encontramos O SERVO do Senhor. Ele é maltratado, mas ele não reage; não combate, mas sofre. Não reclamou, mas ficou calado. Ele foi criado assim pelo Senhor, e deve ser um exemplo para todos nós. Devemos observar bem este SERVO DE DEUS.

 

O SERVO MUDO DE DEUS

  • Como é observado por Isaías (Isaías 53);
  • Como é observado por Marcos (Mc. 14 e 15);
  • Como é observado por Pedro (1 Pe. 2);

 

O Servo mudo de Deus, como Isaías o observou

Isaías foi um homem que viveu muito tempo atrás. Muito tempo antes do nascimento de Jesus Cristo. Mais ou menos setecentos e cinquenta anos antes do nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Este homem, Isaías, morava em Jerusalém. Ele era professor; professor de profetas. Isaías mesmo foi um profeta. Regularmente ele recebia uma mensagem de Deus. Isso não acontecia todo o dia, mas às vezes. Era um momento muito especial, quando acontecia. E por causa disso ele... Para ler mais, clique aqui.