T.: Vários Textos

L.: Domingo 19 CdH

 

Queridos irmãos/irmãs,

O Domingo 19 do Catecismo fala sobre Cristo Jesus, que está sentado à direita de Deus. Isso quer dizer que Cristo é Rei. Ele recebeu toda a autoridade nos céus e na terra. Ele governa. O apóstolo João viu Jesus como rei. Veja Ap. 1, 9-16:

 

“Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus.

Achei-me em espírito, no dia do Senhor; e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia. Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho do homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas. Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força”

 

Ele viu o Cristo glorificado no meio dos candeeiros, que são as sete igrejas mencionadas. Cristo é Rei das Igrejas; Ele é o cabeça das igrejas, que segura as sete estrelas que são os sete anjos ou ministros das igrejas. Ele mandou sete cartas para as igrejas para dizer o que elas devem fazer. Cristo mandou sete ordens para continuar a lutar contra as tentações e pecados que se encontram nas igrejas e... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 18 CdH

P. 46. O que você quer dizer com as palavras: “subiu ao céu”?
R. Que Cristo, à vista de seus discípulos, foi elevado da terra ao céu e lá está para o nosso bem, até que volte para julgar os vivos e os mortos.

P. 47. Cristo, então, não está conosco até o fim do mundo como prometeu?
R. Cristo é verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Segundo sua natureza humana, não está agora na terra, mas segundo sua divindade, majestade, graça e Espírito, jamais se afasta de nós.

P. 48. Mas se a natureza humana não está em todo lugar em que a natureza divina está, as duas naturezas de Cristo não são separadas uma da outra?
R. De maneira nenhuma; a natureza divina de Cristo não pode ser limitada e está presente em todo lugar. Por isso, podemos concluir que a natureza divina dele está na sua natureza humana e permanece pessoalmente unida a ela, embora também esteja fora dela.

P. 49. Que importância tem, para nós, a ascensão de Cristo?
R. Primeiro: ele é, no céu, nosso Advogado junto a seu Pai. Segundo: em Cristo, temos nossa carne no céu como garantia segura de que ele, como nosso Cabeça também nos levará para si como seus membros. Terceiro: ele nos envia seu Espírito como garantia. Pelo poder do Espírito, buscamos as coisas que são do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus, e não as coisas que são da terra.

Texto: Mateus 28, 18-20
Leitura: Cl. 3, 1-11; Domingo 18 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

As palavras que acabamos de ler, em Mateus 28, são as últimas palavras do Senhor. Elas foram ditas um pouco tempo antes da sua ascensão. Jesus se
despediu dos seus discípulos com essas palavras. Uma exortação para continuar com o trabalho e uma consolação, porque ele estará com eles todos os dias até a consumação do século.

O SENHOR DA MISSÃO ESTÁ CONVOSCO ATÉ O DIA FINAL

1) Ele está no céu, segundo sua natureza humana;
2) Ele está na terra, segundo sua natureza divina;
3) Ele está em nós, com o seu Espírito Santo.

1) Ele está no céu, segundo sua natureza humana

A bíblia é bem clara sobre isso, irmãos. No final do evangelho de Lucas e no primeiro capítulo dos Atos dos Apóstolos podemos ler como Cristo, à vista de seus discípulos, foi levado da terra ao céu. Ele subiu ao céu com seu corpo glorificado! Com o ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 14 CdH

 P.: O que você entende quando diz que Cristo “foi concebido pelo Espírito Santo e nasceu da virgem Maria”?

R.: Entendo que o eterno Filho de Deus, que é e permanece verdadeiro e eterno Deus, tornou-se verdadeiro homem, da carne e do sangue da virgem Maria, por obra do Espírito Santo. Assim ele é, de fato, o descendente de Davi igual a seus irmãos em tudo, mas sem pecado.

 

Leitura: Lucas 1, 26-38

Art. 18 Confissão Belga

 

Queridos irmãos em Cristo,

O nascimento de uma criança; cada dia isso acontece... em vários lugares neste mundo. Por um lado isso é uma coisa normal. Para uma obstetra é, acontece todos os dias. Mas, por outro lado, isso não é tal normal. O nascimento de uma criança é também um milagre. Os médicos sabem muito sobre o nascimento de uma criança, mas não tudo! De certa forma eles sabem também que isso é um milagre.

Ainda mais milagroso é o fato de que O FILHO DE DEUS nasceu como uma criança. Uma criança com uma mãe: uma criança, com pezinhos zambetos (tortos/ cambaios) e unhinhas nos dedos; um verdadeiro nenê, que chora se tiver fome; um nenê, que precisa mamar; uma criança normal. Não foi um estranho, com poderes anormais; um menino igual aos seus amigos. Um homem de carne e sangue, como eu e você. Mas ao mesmo tempo ele foi diferente, pois Ele é O FILHO DE DEUS.

Muitas pessoas não creem nisso. Os judeus não creram que Jesus foi o filho de Deus. Nos olhos deles Jesus foi uma pessoa estranha, uma blasfêmia contra Deus. Os muçulmanos também não creem que Jesus é o filho de Deus. Jesus era um profeta. Um homem. Não mais que isso. Vários milhões de Judeus; muitos milhões de muçulmanos; e ainda mais... Para ler mais, clique aqui.

T.Hebr. 4,14 – 5,10

 L.Domingo 6 CdH

 

 

Queridos irmãos,

Um Castigo. Todo mundo sabe o que isso quer dizer. Se uma pessoa fizer de propósito alguma coisa errada, ela será castigada. Se fizer alguma coisa errada na escola, a professora pode dizer: Saia da sala e fique no corredor! E se a criança for muito rebelde e fizer muitas coisas erradas, a diretora pode dizer: saia da escola e fique em sua casa. Num tal momento a criança é isolada. Ela é separada do grupo. Ela está sozinha. Esse é o castigo.

Deus também deu um castigo. Quando Adão e Eva pecaram, Deus disse: saia do paraíso! Então eles saíram do Paraíso, e não podiam mais entrar. Deus disse: Vocês pecaram. Vão para o inferno! Não por um minuto, mas para sempre. Esse é o seu castigo. Para vocês e para os seus filhos. Todos merecem isso. Nós também, pois somos filhos de Adão. Temos uma natureza pecaminosa, igual a Adão.

Por consequência, há uma multidão de gente que vive fora do paraíso. Isso quer dizer, fora do Reino de Deus. E eles não sabem como podem entrar. Alguns tentam se livrar do seu sentimento de culpa, falando bem de si mesmo. Outros entram numa terapia; outros ainda tentam se livrar do remorso fazendo muitas boas obras. Assim, todo mundo tenta se livrar do seu remorso, de uma maneira ou de outra. Assim é a sua vida, assim é a sua religião: se livrar do seu remorso; eles querem compensar a sua culpa através de muito zelo, oração e boas obras. Dessa maneira eles querem se livrar do castigo eterno.

Mas esta maneira é errada. Muitas pessoas tentam se justificar; elas querem se salvar. Mas elas esquecem que isso não é possível. Deus nos ensina que isso não é possível. Um homem não pode se salvar. O homem aumenta a sua culpa todos os dias. Tudo o que ele pensa, ou diz, faze-o impuro.

Jó já disse (15,14-15): Como o homem pode ser puro? Como pode ser justo quem nasce de mulher? Pois se nem nos seus santos Deus confia, e se nem os céus são puros aos seus olhos, quanto menos o homem, que é impuro e corrupto, e que bebe iniquidade como água. ...Para ler mais, clique aqui.

T: Hebreus 2, 5-18

L: Domingo 14 CdH

             

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Todos nós somos concebidos, e depois nascemos. Esse é o caminho de todos os homens – sem reserva. Mas há um detalhe que não podemos negar: nenhum dos homens pode definir o momento do seu nascimento! Ninguém decide sobre o momento da sua concepção ou do seu nascimento. Sim, nem mesmo os nossos pais podiam controlar isso, pois pode ser que eles queriam ou não crianças, mas a decisão sobre isso vem de Deus mesmo. Como Jacó, um dia, disse à Raquel (Gn. 30, 2), que queria ansiosamente ter filhos: “Por acaso estou no lugar de Deus, que a impediu de ter filhos?”.

Então, irmãos, nós não podemos controlar o momento da nossa concepção, nem o momento do nosso nascimento. Isso faz uma grande diferença entre nós e Cristo, irmãos. O catecismo diz que o nosso Senhor Jesus Cristo se tornou verdadeiro homem. Isso pode ser entendido duma maneira passiva: isso aconteceu, ele se tornou verdadeiro homem; mas devemos entender como uma decisão dele.

Ele assumiu a verdadeira natureza humana da carne e sangue da virgem Maria...! Assim devemos entender isso. Ele ASSUMIU a verdadeira natureza humana. Ele mesmo fez isso, consciente e voluntariamente: Ele a assume, Ele a aceita; deixa-se nascer, duma maneira e num momento que Ele escolheu! Nós não podemos controlar o nosso nascimento, mas Ele pôde!

Podemos dizer que essa é uma informação crucial neste Domingo. Na edição original do nosso Catecismo está escrito que o nosso Senhor aceitou a natureza humana. Ele veio voluntariamente, sabendo o que estava fazendo, e aceitou a carne e o sangue como sua própria natureza. Ninguém o obrigou a fazer isso, mas Ele o aceitou por livre vontade. E não por uma parte...Para ler mais, clique aqui.

T: Mateus 16, 13-20

L: Domingo 13 CdH

             

Acabamos de ler a história do retiro de Jesus na região de Cesárea de Filipe; uma região alta ao norte de Israel. Um lugar afastado onde ele podia ficar com os seus discípulos sem ser atrapalhado pela multidão que estava o seguindo. Era um retiro, um momento em que ele podia falar calmamente com os seus discípulos.

Um momento para refletir. E, naquele momento, Jesus lhes perguntou: “Quem o povo diz que o Filho do Homem é?”. E, um pouco depois disso, ele disse: “E vocês? Quem vocês dizem que eu sou?

Essa pergunta parece um pouco estranha. Especialmente para aqueles que já conhecem Jesus. Todos os domingos ouvimos falar sobre Jesus Cristo, e todos os domingos nós confessamos: “creio em Jesus Cristo”.

Quem é Jesus? A resposta é clara: Jesus... é JESUS: o Salvador. O Cristo, que foi prometido por Deus. Toda criança que estuda numa escola cristã pode responder esta pergunta.

Será que é tão simples, irmãos?! Talvez vocês não tenham dificuldades com esta pergunta, mas na época de Jesus a situação não era tão simples. Olhem, por exemplo, para João Batista: um grande profeta, que anunciou a vinda do Cristo; mas quando ele estava na cadeia e ouviu sobre Jesus, ele mandou os seus alunos a ele com esta pergunta (Mt. 11, 2-3): “O Senhor é aquele que ia chegar ou devemos esperar outro?”. Em outras palavras: O Senhor é realmente o Cristo que os profetas anunciaram, ou fizemos um erro e devemos ainda esperar a vinda do Salvador? O fato de que Jesus é o Cristo, o Salvador, não era tão claro para todo mundo. Isso é claro para os crentes, mas para os descrentes não. Tem que se CRER nisso. Isso faz parte da nossa FÉ. E uma ...Para ler mais, clique aqui.