Domingo 4 CdH

P. 9. Então, Deus exige do homem, em sua lei, o que este não pode cumprir. Isso não é injusto?
R. Não, pois Deus criou o homem de tal maneira que este pudesse cumprir a lei. O homem, porém, sob instigação do diabo e por sua própria rebeldia, privou a si mesmo e a todos os seus descendentes desses dons.

P. 10. Deus deixa sem castigo essa desobediência e rebeldia?
R. Não, não deixa, porque ele se ira terrivelmente tanto contra os pecados em que nascemos como contra os que cometemos, e quer castigá-los por justo julgamento agora, nesta vida, e na futura. Ele mesmo declarou: “Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da Lei, para praticá-las” (Gl. 3,10).

P. 11. Mas Deus não é também misericordioso?
R. Deus na verdade é misericordioso, mas também é justo. Por isso, sua justiça exige que o pecado cometido contra a sua suprema majestade seja castigado também com a pena máxima, quer dizer, com o castigo eterno em corpo e alma.

Texto: Domingo 4
Leitura: Salmo 103

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje vamos falar sobre Domingo quatro do nosso Catecismo em combinação com a Santa Ceia; e esta combinação é complicada. Domingo 4 do nosso Catecismo combina com a Santa Ceia como um pingüim que anda no deserto; ou como um leão na Antártica. O contraste entre Domingo 4 e a Santa Ceia é enorme. O domingo 4 fala sobre a ira de Deus, e a Santa Ceia fala sobre a misericórdia de Deus. Esse Domingo é o fundo do poço da nossa miséria.

Domingo 3 já mostrou que o homem é completamente corrompido e inclinado para todo mal. Domingo 4 continua e diz que tal homem está culpado perante Deus. Deus não deixa sem castigo essa rebeldia e desobediência do homem. Ao contrario: Deus SE IRA TERRIVELMENTE tanto contra os pecados em que nascemos como contra os que cometemos e quer castigá-los nesta vida e na futura.

Deus condenou o homem, dizendo: maldito todo aquele, que não permanece em todas as coisas escritas no livro da lei. Deus disse isso na sua ira. E não nos ajuda pensar na misericórdia de Deus, porque a misericórdia de Deus não prevalece sobre a justiça de Deus! A misericórdia de Deus anda junto com a Justiça de Deus, com mãos dadas. Então, a conclusão de Domingo 4 é essa: DEUS SE IRA TERRIVELMENTE CONTRA TODOS OS HOMENS E TODAS AS MULHERES POR CAUSA DA SUA CORRUPÇÃO. ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 16 CdH

P. 42. Se Cristo morreu por nós, por que devemos nós morrer também?
R. Nossa morte não é para pagar nossos pecados, mas somente significa que morremos para o pecado e que passamos para a vida eterna.

P. 43. Que importância têm, para nós, o sacrifício e a morte de Cristo na cruz?
R. Pelo poder de Cristo, nosso velho homem é crucificado, morto e sepultado com ele, para que os maus desejos da carne não mais nos dominem, mas que nos ofereçamos a ele como sacrifício de gratidão.

P. 44. Por que se acrescenta: “desceu ao inferno”?
R. Porque meu Senhor Jesus Cristo sofreu, principalmente na cruz, inexprimíveis angústias, dores e terrores. Por isso, até nas minhas mais duras tentações, tenho certeza de que ele me libertou da angústia do tormento e do inferno.

Texto: Vários textos
Leitura: Domingo 16 CdH

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje vamos falar sobre uma parte da nossa vida que não agrada a ninguém. Vamos falar sobre o final da nossa vida: sobre a nossa morte! E prestem atenção, irmãos, porque normalmente as pessoas não gostam de falar sobre este assunto. Elas gostam de falar sobre a morte dos outros, mas não gostam de falar, nem de pensar, sobre o final da sua vida. Quem já pensou em sua última vontade: O que deve acontecer com os seus bens depois da sua morte? Quem já pensou no dia do seu enterro? Como quer ser enterrado? Já fez uma liturgia? Por que não? Porque não gosta de pensar nisso? Isso não é estranho? A morte não faz parte da nossa vida? Nós gostamos de controlar toda a nossa vida. Fazemos tudo para controlar toda a nossa vida, mas nos recusamos de controlar o final da nossa vida.

Quero que vocês parem por um momento e pensem nisso: Como será no final de sua vida; em sua morte? E como será a sua vida depois da sua morte?

Vamos pensar nisso: Eu lhes prego o Evangelho da nossa morte. O Senhor Jesus transformou a maldição da nossa morte numa benção.

A nossa morte:

1) Não é para pagar os nossos pecados;
2) Mas é para passar para a vida eterna;

1. A nossa morte não é para pagar os nossos pecados.

Olhando para esta frase do nosso catecismo, fiquei um pouco confuso, irmãos. Fiquei confuso, porque sempre pensei que a nossa morte era um castigo de Deus por causa do pecado de Adão e Eva. A Bíblia fala isso em Gênesis 2 e 3.
Todo mundo conhece este trecho. É uma das primeiras coisas que um aluno aprende quando começa a estudar a Bíblia. Deus criou Adão e Eva e o Paraíso. Deus colocou Adão e Eva no Paraíso e ali eles podiam comer de todas as
árvores. Mas do fruto da árvore que estava no meio do jardim, disse Deus (Gn. 3,3): “Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais”... Para ler mais, clique aqui.

 

T: Domingo 44B CdH

L: 1 João 3, 1-10

 

Irmãos,

 

Há um tipo de homem que chamamos de perfeccionista. É um homem que quer fazer TUDO perfeitamente. Um homem que não pode ver alguns defeitos em seu trabalho. Ele se sente desconfortável com esses defeitos. TODO o seu trabalho deve ser perfeito. Até os pequenos detalhes. São pessoas exigentes. Consigo mesmas e também com os outros. Eles estão sempre controlando o trabalho dos outros e criticando se houver defeitos.

Encontramos tais pessoas no mundo, mas as encontramos também na igreja. E há igrejas que estão dizendo que o homem deve se esforçar para ser perfeito (isso não é errado), mas elas dizem também (e isso é errado) que o homem pode atingir um estado de perfeição, aqui na terra, durante ESTA vida. Há pessoas neste mundo que estão dizendo que venceram o pecado e que elas não pecam mais; eles se acham perfeitos. E por isso se referem a 1 João 3:9: “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática do pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus”.

João fala sobre os renascidos. Os regenerados. Pedro disse aos membros das congregações (1 Pe. 1, 23): “Fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a Palavra de Deus, a qual vive e é permanente.” Os renascidos são as pessoas que creem em Deus. Eles foram renascidos pelo Espírito de Deus (João 3, 5-6); eles foram chamados das trevas para a luz; da morte para a vida.

A regeneração é o dom de Deus; é a obra imediata, sobrenatural do Espírito Santo, realizada em nós. Seu efeito é fazer com que nós, da morte espiritual, passemos à vida espiritual. Isso muda a disposição de nossa alma, inclinando nosso coração para Deus. O fruto da regeneração é a fé. Uma fé viva. Uma fé com obediência; uma fé com amor...Para ler mais, clique aqui.

T: Salmo 32

L: 1 Samuel 12, 1-15

 

Queridos irmãos/irmãs em Cristo Jesus,

Vocês já descobriram como é difícil pedir desculpas? Como é difícil admitir a culpa de ter feito alguma coisa errada? Quase todos têm problemas com isso. A primeira reação é: não fui eu, foi ela; foi ela: uma outra pessoa! Ou: foram as circunstâncias: ele nasceu assim; nunca foi amado; foi maltratado pelo padrasto, etc.; Ou: foi a máquina que estava com defeito. Sempre o homem aponta para outra coisa ou outra pessoa para se desculpar. Já desde o princípio.  Não foi? Adão disse: foi a mulher que me deste como esposa; e a mulher disse: foi a serpente que me enganou! Está vendo?

Nós temos a tendência de negar a nossa culpa, apontar outra pessoa como culpada; e se isso não funcionar, vamos justificar ou diminuir o erro. Não é fácil admitir generosamente a nossa culpa. E se acontecer, se alguém faz isso, muitas pessoas nem conseguem acreditar; será que fulano foi sincero? Será que foi a sério? Isso também já mostra como é difícil admitir a sua culpa e pedir desculpas. O homem tem a tendência de esconder a sua culpa. Ele deve ser forçado a admiti-la. Pelas provas, ou por uma testemunha; ou pela GRANDE TESTEMUNHA de todas as coisas: por Deus mesmo.

Davi experimentou isso em sua vida. Ele esteve fraco e pecou; depois ele tentou camuflar o erro dele; ele tentou esconder o pecado. Mas Deus mandou o profeta ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 4 CdH

P. 10: Deus deixa sem castigo essa desobediência e rebeldia?

R.: Não, não deixa, porque ele se ira terrivelmente tanto contra os pecados em que nascemos como contra os que cometemos, e quer castigá-los por justo julgamento agora, nesta vida, e na futura

P. 11: Mas Deus não é também misericordioso?

R: Deus na verdade é misericordioso, mas também é justo. Por isso, sua justiça exige que o pecado, cometido contra a sua suprema majestade seja castigado também com a pena máxima, quer dizer, com o castigo eterno em corpo e alma.

 

Texto: Gênesis 3: 6-13

 

Irmãos,

Quero ler uma parte da Bíblia: Gênesis 3: 6-13. É uma parte que nos mostra o pecado que Adão e Eva cometeram. E nos mostra também como Adão e Eva tentaram fugir da responsabilidade deles. Deus os chama para responsabilizá-los, mas eles estavam com vergonha, pois estavam nus. E por isso se esconderam. Mas Deus os encontrou e perguntou: Quem te fez saber que estavas nu? De onde vem este entendimento? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? E o que Adão e Eva responderam? Prestem atenção! Adão respondeu: A mulher, que me deste por esposa, me deu da árvore, e eu comi; E a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.

Quem não reconhece esse tipo de respostas? Isso é típico de qualquer pessoa. O homem quer fugir da sua responsabilidade. Olha as crianças, se fizerem uma coisa errada. Você a chama e pergunta: Quem fez isso? A resposta: Eu não!!! Ele fez isso. Uma criança, sabendo que pode receber um castigo, logo acusa uma outra pessoa. Assim acontece muitas vezes: olha para as investigações no caso de corrupção. Quando o Juiz pergunta: Quem fez essa obra malfeita? Quase todo mundo responde: EU não! Foi fulano. Assim é o homem pecaminoso. Se for acusado, ele tentará fugir. Assim o nosso catecismo introduz um homem, dizendo: Deus não é injusto? Ele exige do homem, em sua lei, o que este não pode cumprir! Isso não é injusto? ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 3 CdH

P. 6: Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?

R.: Não, Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é, em verdadeira justiça e santidade para conhecer corretamente a Deus, seu Criador, amá-lo de todo o coração e viver com ele na eterna felicidade, para louvá-lo e glorificá-lo.

P. 7: De onde vem, então, essa natureza corrompida do homem?

R.: Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso.

Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado.

P. 8: Mas somos tão corrompidos que não conseguimos fazer bem algum e somos inclinados para todo mal?

R.: Somos sim, se não nascermos de novo pelo Espírito de Deus.

 

 

Texto: Gênesis 3, 15

Leitura: Domingo 3 CdH

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Faz tempo que li um uma meditação sobre Gênesis 3,15. O Autor desta meditação criticou a ideia de que o homem é corrompido com uma natureza pecaminosa. O autor até usou Gênesis 3,15 para mostrar que o homem era bom! Desde o início - ele disse - existe um contraste, uma inimizade entre o homem e o mal. O homem detesta o mal e sabe que o mal é ruim. O mal é seu inimigo. A consciência do homem nunca viverá em paz com o mal, ele disse.  Então o homem não é tão mau como o catecismo de Heidelberg nos ensina.

 

Pensando sobre isso, quero defender o ensino do nosso catecismo. Não por obrigação ou por costume, mas porque acredito que o catecismo tem plena razão quando diz que o homem é corrupto. O nosso Catecismo reflete fielmente no ensino das sagradas escrituras e quero mostrar isso. Então, vamos em primeiro lugar ler o Domingo 3 do nosso Catecismo. [Leitura]....Para ler mais, clique aqui.

Texto: Marcos 3, 28-30

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Há pessoas que dizem: o brasileiro tem sempre um jeitinho para tudo. Não é?

A criatividade de um brasileiro para resolver as coisas é famosa. Quando ele encontra uma situação complicada ele nunca vai dizer “isso não tem jeito”.

Muitas pessoas pensam assim. Até mesmo com os problemas com Deus.

Elas pensam que existe um jeito para se reconciliar com Deus. Ir para a Igreja, rezar várias vezes “Ave Maria”, dar dinheiro, e outras coisas. Conforme elas, cada pecado tem jeito; elas não sabem que existe também um pecado SEM jeito.

Esse pecado se chama: o pecado contra o Espírito Santo.

No passado, muitos crentes pensaram sobre esse pecado contra o Espírito Santo. Eles ficaram muito preocupados. Especialmente por causa do fato que não existe nenhuma remissão por esse pecado. Jesus Cristo mesmo diz isso claramente. Nós podemos ler isso em Marcos 3: 28-30. Jesus diz: “Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno”. Esse pecado NÃO TEM PERDÃO, PARA SEMPRE. Assim está escrito. E o que isso quer dizer?

 

Muitas pessoas estão preocupadas com essas palavras; às vezes elas têm medo. E elas se perguntam: Eu cometi esse pecado? Ou a minha mulher ou o meu marido, ou uma das minhas crianças? O problema é que não está perfeitamente claro que tipo de pecado é mencionado aqui. Sobre o que Jesus está falando? Sobre um pecado especial? E esse pecado está ligado com um dos dez mandamentos? Será que um daqueles mandamentos tem um peso tão forte, assim que se passarmos os limites da tolerância, quando pecarmos... Para ler mais, clique aqui.

 

Texto: Salmo 90: 7-12

Leitura: João 11: 40

Todo o gênero humano está debaixo da ira de Deus. A Bíblia nos ensina isso. Encontramos um exemplo no Salmo 90; um salmo de Moisés. Moisés foi quem escreveu os primeiros cinco livros da bíblia; e ele sabe por que todo gênero humano é o objetivo da ira de Deus.

A ira é causada pelo pecado. Já no primeiro livro da Bíblia se fala sobre isso. Como Deus criou os primeiros habitantes da terra: Adão e Eva. Eles deviam viver conforme a vontade de Deus, mas não o fizeram, em vez disso,  eles se tornaram rebeldes e estragaram tudo. Desde aquele momento a ira de Deus foi provocada contra eles. Deus lhes deu a vida eterna, mas depois do pecado Ele tirou esta benção; depois de ter pecado, a vida do homem e a sua mulher foi limitada. Eles irão morrer. Deus lhes deu saúde, mas depois do pecado Ele tirou esta benção; depois de ter pecado a vida do homem e a sua mulher se tornou fraca. Eles podiam ficar doentes.

Deus abençoou a terra, mas depois do pecado Ele tirou a sua benção; depois da queda do homem a terra foi amaldiçoada e a terra vai produzir espinhos e abrolhos. A morte, doenças, pragas, seca, espinhos e abrolhos, infertilidade, esterilidade, tudo isso é provocado pela ira de Deus. Ou talvez seja melhor dizer: tudo isso foi provocado por causa do pecado do homem. Deus lhe deu a sua benção, coisas boas: vida, saúde, fertilidade, uma terra boa para viver, com árvores frutíferas. Um paraíso. Mas o homem queria mais; o homem queria tudo para si mesmo. Ele queria ser como Deus; e por causa disso ele provocou a ira de Deus e Deus tirou as suas... Para ler mais, clique aqui.