Skip to content

Berichten getagd ‘Salvação’

Jesus Cristo é o nosso Salvador

 

 

Domingo 11 CdH

P. 29. O nome de “Jesus” significa “Salvador”. Por que o Filho de Deus tem esse nome?
R.: Porque ele nos salva de todos os nossos pecados e porque em ninguém mais devemos buscar ou podemos encontrar salvação.

 

Texto: 1 Pedro 1, 1-21
Leitura: Domingo 11 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Lemos o primeiro capítulo da primeira carta de Pedro aos irmãos, que viviam em Ásia menor. E neste primeiro capítulo Pedro lhes oferece um resumo da Bíblia. Ele faz isso nos versículos 10-12:

“Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada.
Investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar”.

A frase é longa e complicada, irmãos. Então vamos cortá-la e analisar: Pedro fala sobre as profecias do Antigo Testamento e sobre as pregações dos
Apóstolos do Novo Testamento. E ele mostra que ambos, tanto os profetas, como os apóstolos falaram sobre a mesma coisa: sobre O CRISTO. Sobre Cristo e sobre A NOSSA SALVAÇÃO. O Cristo Jesus veio para nos salvar! Este é o evangelho, que foi pregado desde o início. Esta é a mensagem principal da Bíblia.

Então chegamos a um ponto importante no nosso catecismo, quando ele começa a falar sobre Jesus Cristo. E logo, falando sobre o nome de Jesus, o
catecismo segue o ensino da Bíblia inteira que diz que Jesus Cristo é o nosso Salvador. E ele é um Salvador completo. Toda a sua vida foi dedicada a isso: à...Para ler mais, clique aqui.

Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo

 

Texto: Domingo 7A                                                 

Leitura: 2 Cor. 5,11-21

 

Irmãos,

Vocês acham que TODOS os homens vão para o céu? Verdadeiramente, TODOS? Por exemplo: os seus vizinhos, vão para o céu? E todos os outros... Na sua rua? Aqui na Igreja ninguém os viu, ou só uma vez, mas depois... Será que vamos vê-los no céu? Isso cabe também por todas as outras pessoas aqui em Maceió, e não só aqui em Maceió, mas também todas as pessoas nas outras cidades e estados do Brasil. Todas as pessoas que estão em outros países ao redor do Brasil. Ou melhor, no mundo todo... Verdadeiramente TODAS AS PESSOAS.

Apesar de como elas se chamam; apesar de como se aparecem; como elas são ou o que elas fizeram. Se forem pobres ou feios, assassino ou muçulmano, soldado ou mulher, negro ou doente, etcetera, etecetera. Posso continuar assim. Verdadeiramente, TODAS as pessoas. TODO mundo.

Essa é de fato a pergunta principal que encontramos aqui no Domingo 7. TODOS OS HOMENS, ENTÃO, TORNAM-SE SALVOS POR CRISTO, ASSIM COMO PERECERAM EM ADÃO? Não, diz o Catecismo. Somente aqueles que, pela verdadeira fé, são unidos a Cristo.

Nem todo mundo concorda com essa resposta. Há pessoas que acham essa resposta limitada demais. Eles são confundidos com outros textos na Bíblia. Por exemplo, 2 Cor. 5,19 onde está escrito que Deus estava em Cristo reconciliando consigo O MUNDO, não imputando aos homens as suas transgressões. Olhem, aquelas pessoas dizem que lá esta escrito claramente que Deus estava reconciliando consigo O MUNDO. Não a igreja, mas o mundo. Não somente os crentes, mas graça para todas as pessoas. Uma reconciliação geral. Isso é a mensagem que podemos ouvir ao nosso redor. E essa mensagem não é nova. Essa mensagem foi ouvida na época da Reforma e antes também.

Graça para todo mundo...Para ler mais, clique aqui.

A salvação não é para todos, mas somente para quem crê em Cristo

Domingo 7 CdH

 

P. 20: Todos os homens, então, tornam-se salvos por Cristo, assim como pereceram em Adão?

R. : Não, somente aqueles que, pela verdadeira fé, são unidos a Cristo e aceitam todos os seus benefícios.

 

Texto: 1 Timóteo 4, 9 e 10

Leitura: Domingo 7a

 

Irmãos,

Há pessoas que dizem que a salvação é para todo mundo. Todas as pessoas vão para o céu. Elas pregam este evangelho nas igrejas e ensinam essa doutrina nos seminários. A salvação é universal. Para todas as pessoas. Não importa se você crê, não importa no que você crê; pode ser que uma pessoa é um muçulmano, ou um budista, ou um pagão; todos eles serão salvos, dizem estes pregadores.

Já na época da Reforma existiam tais pregadores, que enganavam o povo dizendo isso. Os Reformadores lutaram contra esta ideia falsa; Este evangelho não é um evangelho, mas é uma mentira. A Bíblia deixa bem claro que devemos CRER em CRISTO Jesus. Ele é o único caminho para Deus Pai. Os Reformadores ensinaram isso. Nas suas pregações e aqui no Catecismo. Eles colocaram esta pergunta no Catecismo: Todos os homens, então, tornam-se salvos por Cristo, assim como pereceram em Adão? NÃO! Diz a Palavra de Deus: Somente aqueles que, pela verdadeira fé, são unidos a Cristo. Não todos, mas somente aqueles que, pela verdadeira fé, são unidos a Cristo.

Como já disse: Nem todo mundo concorda com essa resposta. Há pessoas que acham essa resposta limitada demais. Elas são confundidas com outros textos na Bíblia. Por exemplo, 1 Tim 4,10. O apóstolo Paulo, que foi enviado para todo o mundo, diz lá: “Ora, é para esse fim que labutamos e nos esforçamos sobremodo, porquanto temos posto a nossa esperança no Deus vivo, Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis”. Quero falar sobre estas últimas palavras: “Deus vivo, Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis”. Essas palavras deram muita confusão na história da Igreja. Pois, baseada nestas palavras há pessoas que dizem que Cristo salva todo mundo....Para ler mais, clique aqui.

O mediador é nosso advogado para com Deus

Domingo 5 CdH

 

P. 12: Então, conforme o justo julgamento de Deus, merecemos castigo nesta vida e na futura. Como podemos escapar desse castigo e, de novo, ser aceitos por Deus em graça?

R. : Deus quer que sua justiça seja cumprida. Por isso nós mesmos devemos satisfazer essa justiça ou um outro por nós.

P. 13: Nós mesmos podemos satisfazer essa justiça?

R. : De maneira alguma. Pelo contrário, aumentamos a cada dia a nossa dívida com Deus.

P. 14: Será que uma criatura, sendo apenas criatura, pode pagar por nós?

R.: Não, não pode. Primeiro: porque Deus não quer castigar uma outra criatura pela dívida do homem. Segundo: porque tal criatura não poderia suportar o peso da ira eterna de Deus contra o pecado e dela livrar outros.

 P. 15: Que tipo de mediador e salvador devemos buscar?                                                                                                                                                   R. : O mediador deve ser um homem verdadeiro e justo, contudo, mais poderoso que todas as criaturas; portanto, alguém que é, ao mesmo tempo, verdadeiro Deus.

 

Texto: 1 Timóteo 2, 5-6

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Já aconteceu de você passar por uma situação em que precisou de um advogado? Às vezes isso acontece. Alguém está com um problema; Ele fez alguma coisa errada e precisa de um advogado para resolver a situação. Ele precisa de um advogado que conheça bem a lei; que conheça também os caminhos da justiça; que tenha bons contatos e saiba falar bem; em poucas palavras, alguém que possa tirá-lo da miséria em que está.

Acontece muitas vezes que alguém precise de um advogado, um tipo de mediador que possa ajudar. Isso acontece na vida real, mas também na vida espiritual com Deus.

Muitas pessoas procuram um mediador que possa funcionar como advogado perante Deus. Deve ser um homem ou uma mulher que tem um bom contato com Deus. Uma pessoa que agrada a Deus. Muitas pessoas pensam que os santos falecidos podem ajudá-los como advogados. Elas procuram esses santos por meio de orações e pedem que o santo interfira em favor delas.

De acordo com a igreja de Roma, existem muitas pessoas santas, que podem nos ajudar - a mãe de Jesus, por exemplo, ou os santos apóstolos - mas conforme a Palavra de Deus existe um só Mediador. O apóstolo Paulo escreveu isso ao seu ‘filho espiritual’ Timóteo, dizendo: “Pois há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus, o qual se entregou a ...Para ler mais, clique aqui.

A queda do homem e a sua corrupção

Domingo 3 CdH

P. 6: Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?

R.: Não, Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é, em verdadeira justiça e santidade para conhecer corretamente a Deus, seu Criador, amá-lo de todo o coração e viver com ele na eterna felicidade, para louvá-lo e glorificá-lo.

P. 7: De onde vem, então, essa natureza corrompida do homem?

R.: Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso.

Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado.

P. 8: Mas somos tão corrompidos que não conseguimos fazer bem algum e somos inclinados para todo mal?

R.: Somos sim, se não nascermos de novo pelo Espírito de Deus.

 

 

Texto: Gênesis 3, 15

Leitura: Domingo 3 CdH

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Faz tempo que li um uma meditação sobre Gênesis 3,15. O Autor desta meditação criticou a ideia de que o homem é corrompido com uma natureza pecaminosa. O autor até usou Gênesis 3,15 para mostrar que o homem era bom! Desde o início - ele disse - existe um contraste, uma inimizade entre o homem e o mal. O homem detesta o mal e sabe que o mal é ruim. O mal é seu inimigo. A consciência do homem nunca viverá em paz com o mal, ele disse.  Então o homem não é tão mau como o catecismo de Heidelberg nos ensina.

 

Pensando sobre isso, quero defender o ensino do nosso catecismo. Não por obrigação ou por costume, mas porque acredito que o catecismo tem plena razão quando diz que o homem é corrupto. O nosso Catecismo reflete fielmente no ensino das sagradas escrituras e quero mostrar isso. Então, vamos em primeiro lugar ler o Domingo 3 do nosso Catecismo. [Leitura]....Para ler mais, clique aqui.

O povo que vivia nas trevas viu uma grande luz

Domingo 2 CdH

 P. 3: Como você conhece sua miséria?

R.: Pela lei de Deus.

 

P. 4: O que a lei de Deus exige de nós?

R.: Isso Cristo nos ensina num resumo, em Mateus 22, 37-40:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois dependem toda a lei e os profetas.

 

P. 5: Você pode guardar essa lei perfeitamente?

R.: Não, não posso, porque por natureza sou inclinado a odiar a Deus e a meu próximo.

 

Texto: Mateus 4,16; Mateus 22, 37-40

Leitura: Domingo 2 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Há um texto na bíblia que diz:

“o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz”. (Is. 9, 1-2; Mt. 4,16).

 

Este texto é uma profecia de Isaías sobre Jesus Cristo.

Mateus usou esta profecia de Isaías para mostrar:

1) A nossa miséria,

2) A nossa salvação

Ou talvez seja melhor dizer: o nosso Salvador usou esta profecia, pois logo depois dessas palavras Mateus disse: “Daí em diante JESUS começou a pregar.

 

Jesus é a luz nas trevas; Jesus é a luz, que ilumina a nossa vida. Jesus é a luz que nos dá esperança; Jesus é a luz que nos mostra o caminho para o Reino de Deus. Uma luz é muito importante para uma pessoa que vive na escuridão. Imagine um pescador no alto mar, na escuridão. Ele não tem nada para se orientar, só as estrelas ou a luz do farol. A luz do farol lhe mostra o caminho para o porto seguro. Assim funciona a luz no nosso texto. Jesus é como um farol.

“o povo que vivia nas trevas viu uma grande luz; sobre os que viviam na terra da sombra da morte raiou uma luz” (Is. 9, 1-2; Mt. 4,16).

Então, irmãos, Cristo é essa luz. Cristo dá salvação. Assim começa o Novo Testamento. Assim começa o evangelho. E o nosso Catecismo começa assim também, irmãos. Com outras palavras, mas com a mesma mensagem. A primeira pergunta para nós, que viviam ou ainda vivem nas trevas, é essa: “Qual é o seu único conforto na vida e na morte?”. ...Para ler mais, clique aqui.

O que devemos saber para viver e morrer em paz?

Domingo 1 CdH

 P. 1: Qual o seu único conforto na vida e na morte?

R. : O meu único conforto é que - corpo e alma, na vida e na morte - não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo, que, ao preço do seu próprio sangue, pagou totalmente por todos os meus pecados e me libertou completamente do domínio do pecado. Ele me protege tão bem que, contra a vontade de meu Pai do céu, não perderei nenhum fio de cabelo. Na verdade tudo coopera para o meu bem e o seu propósito é para a minha salvação. Portanto, pelo seu Espírito Santo ele também me garante a vida eterna e me torna disposto a viver para ele daqui em diante, de todo o coração.

 

Texto: Marcos 10, 17-22 & Salmo 49

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Vocês são felizes? E por que sim? Ou por que não? O que falta na sua vida? Por que você não é feliz? O que deixa um homem feliz? Dinheiro? Dinheiro deixa uma pessoa feliz? Parece que sim! Quem tem dinheiro pode comprar o que quiser e pode fazer o que quiser. Isso deixa muitas pessoas felizes. Mas esta felicidade dura para sempre? Esta felicidade é profunda? Podemos realmente comprar TUDO o que o nosso coração deseja? TUDO? Também a vida eterna?

 

A bíblia nos dá um exemplo de um homem que foi muito rico. Ele era riquíssimo. Podia comprar tudo o que queria. TUDO? Não, ele não podia comprar tudo. Ele não podia comprar a vida eterna. E por causa disso ele veio para perto de Jesus com esta pergunta: -Mestre, o que devo FAZER para conseguir a vida eterna? E Jesus o explicou: - faça a vontade de Deus. Obedeça aos mandamentos de Deus. O homem, ouvindo isso, ficou muito feliz, pois ele cumpria todos os mandamentos.

 

Ele cumpria todos os mandamentos? TODOS? Sim, todos! Mas será que ele fez isso com amor? Jesus quer saber isso, e por isso ele disse: - Falta mais uma coisa para você fazer: Vá, venda tudo o que tem e dê o dinheiro aos pobres, e assim você será rico no céu. Depois venha e me siga. O homem, ouvindo isso, ficou muito triste. Ele descobriu a sua pobreza, quando ele ouviu as palavras do Senhor. Apesar da sua riqueza, ele ainda era pobre. Ele tinha muito dinheiro, mas pouco amor. Ele podia viver feliz, mas ele não podia morrer feliz. E quem não pode morrer em paz, nunca vai viver em paz. Então a pergunta é:

 

O que devemos saber para VIVER e MORRER EM PAZ?

1° lugar: devemos saber A NOSSA POBREZA;

2° lugar: devemos saber A RIQUEZA DE CRISTO;

3° lugar: devemos ter certeza que ESTA RIQUEZA É DADA A NÓS POR DEUS....Para ler mais, clique aqui.

Jesus Cristo: o único nome dado aos homens pelo qual devemos ser salvos

Texto: Atos 4, 12

Leitura: Atos 3 e 4, 1-12

Irmãos.

A História que acabamos de ler termina com uma confissão forte de Pedro; Ele glorificou o nome de Jesus, dizendo: “Não há, debaixo do céu, outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

Pedro fala sobre o nome de Jesus. Este nome se mostrou muito poderoso. Pois, usando este nome, Pedro e João curaram um homem que foi paralítico durante 40 anos. Ele sempre estava na entrada do templo, pedindo esmolas. Todo mundo que visitava regularmente o templo o conhecia. Especialmente os sacerdotes e os fariseus. Cada dia na hora da oração eles passavam por ele e sempre ele os chamava, pedindo esmolas.

Quem não conhecia este paralítico? Um homem triste, que não podia andar. Sempre carregado pelos amigos. Mas agora isso mudou. Pedro e João o viram e pararam na sua frente. E Pedro o curou usando O NOME de Jesus. EM NOME DE JESUS CRISTO, O NAZAREU, PÕE-TE A CAMINHAR! E logo ele sentiu o poder de Deus nos seus pés, ele pulou e começou andar. Ele mostrou uma grande alegria, pois foi um grande milagre.

O NOME de JESUS o curou. Pedro explica isso ao povo: Não fomos nós que curamos este homem. Graças a fé em seu nome, este homem que contemplais e quem conheceis, foi o Seu nome que o revigorou. É claro que não é um truque dos apóstolos. Pois todas as pessoas já conheciam este homem há muito tempo. Ele era muito conhecido pelo povo de Jerusalém. Todo mundo sabia que este homem era um paralítico.

Pedro e João não curaram um homem desconhecido. Muitas vezes, o contrário acontece nas reuniões especiais de vários curadores. O curador manda ..Para ler mais, clique aqui.

Eu sou a porta, quem entrar por mim será salvo.

Texto: João 10, 9

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Entramos no ano novo. Estamos entrando pela porta do ano (.......). Esta porta é o mês de Janeiro. O nome “Janeiro” vem de uma palavra latina “IANUA”. “Ianua” quer dizer “porta”. Eles chamaram o primeiro mês do ano de “Janeiro”, pois este mês é a porta pela qual entramos no ano novo.

Pensando nisso, me lembrei que Jesus disse: “Eu sou a porta; quem entra por mim será salvo.” Jesus é a porta. Claro, ele não é uma verdadeira porta, mas ele usa uma metáfora. “Eu sou a porta”, ele disse. A porta salva. Quem será salvo são as ovelhas; A porta protege as ovelhas contra os perigos que estão fora da porta. Isso é o ponto da comparação neste capitulo.  Pois num lado Jesus disse: “Eu sou a porta”. E no outro lado ele disse: “Eu sou o bom pastor”. São duas coisas diferentes: O bom pastor E a porta. Mas os dois têm um ponto em comum: OS DOIS PROTEGEM AS OVELHAS.

A porta protege as ovelhas, quando estão no aprisco;

O bom pastor protege as ovelhas, quando estão no campo.

Como é a situação de um pastor com ovelhas. Normalmente ele leva as ovelhas para fora, buscando comida e água. Pense em Salmo 23. Mas no fim do dia; ou no fim da semana, ele volta para casa e as ovelhas ficam no aprisco. Este aprisco é um lugar fechado por muralhas e com uma porta. No começo do dia o Pastor vem e o porteiro abre a porta e o pastor chama as suas ovelhas. Elas conhecem a voz do pastor e o segue.

Podemos comparar a porta do aprisco também com a porta de uma cidade.

A cidade é um lugar seguro...Para ler mais, clique aqui.

Os mistérios do amor de Deus.

Texto: João 3, 16

Leitura: João 3, 1-16

 

Queridos irmãos,

O nosso texto é muito conhecido, pois muitas vezes ele é usado para mostrar o conteúdo da bíblia. O texto é este: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3,16 é considerado como um resumo excelente do evangelho. Muitas pessoas usam este texto assim e - como sempre - quando usamos alguma coisa muitas vezes as cores empalidecem.

Este perigo existe também se usamos um texto da bíblia muitas vezes. No final pensamos que já sabemos o que o texto quer dizer. E o texto, que funciona como sal na comida, perdeu o seu sabor para a nossa vida. Provavelmente todos aqui conhecem o nosso texto e até pensam que conhecem este texto muito bem! Mas será que isso é verdade? O próprio contexto já nos mostra que devemos ter cuidado com tal auto-avaliação. Porque existem vários níveis de conhecimento: podemos conhecer alguma coisa superficialmente ou profundamente.

Observem, por exemplo, esta conversa entre Nicodemos e Jesus. Nicodemos começou a dizer em vs. 2: “Rabi, bem sabemos que és mestre, vindo de Deus...”. Ele achou que tinha ‘conhecimento’. Mas depois disso Jesus fez algumas perguntas e mostrou que ele não sabia NADA. Jesus concluiu em vs. 10: “Como é? Tu és mestre de Israel, e não sabes disto?”. E logo em seguida Jesus diz: “Na verdade, te digo nós dizemos o que sabemos”.

Nesta conversa o conhecimento superficial do teólogo Nicodemos está em contraste com o conhecimento profundo e profético de Jesus. O conhecimento do pastor Nicodemos não se compara com o conhecimento do supremo profeta Jesus. O ministro da palavra é menor do que o mestre Jesus...Para ler mais, clique aqui.

Mais do que comoção, a morte de Cristo é sobre salvação.

T: João 18, 33 – 19, 16

L: Domingo 15 CdH

             

Amada congregação do Senhor Jesus Cristo,

 

Cada país e cada região tem seus próprios costumes e tradições para relembrar a morte de Cristo. Por exemplo, existe em Pernambuco o costume de relembrar a morte de Cristo através de um grande espetáculo de teatro (Paixão de Cristo). É uma das maiores peças de teatro do mundo, onde atores famosos procuram imitar as emoções dos sofrimentos de Cristo.

Nas Filipinas, o povo vai mais longe. Eles erigem várias cruzes, e voluntários se oferecem para serem crucificados. As mãos deles são furadas com pregos, e durante umas horas as pessoas ficam penduradas nas cruzes. Assim são feitos vários espetáculos para relembrar a morte de Cristo. As multidões ficam emocionadas.

E a loucura não tem limites. Surgem até pessoas que dizem ser o Cristo. Talvez os irmãos já tenham ouvido de uma pessoa que apareceu num programa sensacionalista de televisão, mostrando as cicatrizes de suas mãos, que tinham sido furadas. Aquela pessoa afirmava ser o Cristo. Assim aconteceu o que o próprio Senhor Jesus já tinha predito: “Aparecerão falsos cristos” (Mt. 24, 23-24).

Mas, irmãos, falando da morte de Cristo, o que seria o mais importante? Será que o mais importante é ter conhecimento dos acontecimentos? Ou será que devemos valorizar, antes de mais nada, as emoções comoventes?

Neste momento é bom vermos o que a antiga igreja cristã confessou a respeito da morte de Cristo no Credo Apostólico. Os irmãos dos primeiros séculos confessaram o seguinte: “Cristo padeceu sob Pôncio Pilatos. Ele foi crucificado.”. Só isto! A antiga igreja se contentou em apenas mencionar que o Senhor Jesus morreu sob o governador Pôncio Pilatos, e que o meio de sua morte foi a crucificação. Esta confissão...Para ler mais, clique aqui.

As primeiras testemunhas da ressurreição de Jesus Cristo

Texto: Marcos 16: 1-8                                           

Leitura: Marcos 15: 40 – 16      

As primeiras testemunhas da ressurreição de Jesus Cristo.

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

O final do evangelho de Marcos é uma história estranha. Há alguns detalhes estranhos. Nós vemos isso quando prestamos atenção à posição das mulheres nessa história. Uma posição estranha. Se fossemos descrever brevemente, seria mais ou menos assim: Elas observaram tudo e não disseram nada. Quem ler os últimos capítulos regularmente encontrará algumas mulheres caladas. Isso já começa no capitulo 15. Lá Marcos fala sobre a morte de Jesus na cruz e, finalmente, ele disse:

Alguma mulheres estavam olhando de longe. Entre elas estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé. Na Galileia estas mulheres tinham-no seguido e servido. Estavam ali também muitas outras mulheres que tinham subido com ele para Jerusalém.”

Então, Marcos tira a nossa atenção para um grande grupo de mulheres, que estavam longe da cruz, olhando... Só olhando... Além disso, ele continua falando sobre o sepultamento de Jesus, por José de Arimateia, e de repente nós lemos:

“Maria Madalena e Maria, mãe de José, viram onde o puseram”.

De novo Marcos tira a nossa atenção para as mulheres caladas, que ficam numa distância, olhando... Só olhando... Mais nada... Primeiramente de longe, depois mais próximo, e finalmente elas entram no primeiro plano. Isso acontece logo na manhã do dia da Páscoa. Dessa maneira Marcos está introduzindo essas mulheres mais e mais. Parece que essas mulheres ficam mais e mais importantes. Mas como? Qual é o papel delas? Elas não dizem nada, não fazem nada, só olhando... Por quê? O que essas mulheres querem? O que elas estão planejando?

Vamos descobrir isso. Mas precisamos conhecer melhor essas mulheres. Marcos introduz brevemente três mulheres no capítulo 15: Maria Madalena, Maria, ...Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top