Leitura: Domingo 48B CdH

Texto: Efésios 4, 7-16

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Mais uma vez vamos dar atenção à segunda petição da oração “Pai Nosso”: Venha o teu Reino. Domingo passado já tratamos essa petição pela primeira vez e observamos que essa petição tem vários aspectos. Quando oramos “venha o teu reino”, devemos pensar na obra da regeneração do Espírito de Deus em nossa vida.

 

Venha o teu Reino! Isso quer dizer: Na minha vida; no meu coração!

Venha o teu Reino! Quer dizer também: em nossa igreja!

Venha o teu Reino! No mundo perverso;

Venha o teu Reino! Até no céu!

 

São quatro aspectos do reino de Deus. O reino de Deus deve se manifestar:

1) no meu coração;

2) na nossa igreja;

3) no mundo em redor de nós;

4) e até no céu.

Hoje vamos falar sobre o segundo aspecto: venha o teu reino na nossa igreja!

O nosso Catecismo abre os nossos olhos para este aspecto, porque ele diz no seu comentário: “Governa-nos por tua Palavra e por teu Espírito de tal maneira que, cada vez mais, nos submetamos a ti”. Esse é o aspecto particular do reino de Deus. Mas ele fala também sobre o aspecto eclesiástico do reino de Deus, dizendo: “conserva e aumenta tua igreja”.

Prestem atenção que o catecismo diz: “conserva e aumenta a tua igreja”. É bom observar isso. A igreja é de Cristo!! Nós somos de Cristo! O primeiro aspecto já mostra isso. A igreja somos nós! E nós somos ungidos pelo Espírito de Cristo. Isso quer dizer: o Espírito de Cristo habita em nós; somos de Cristo, pertencemos a Cristo.

O Artigo 27 da Confissão Belga fala sobre a igreja e diz: Cremos e confessamos uma só igreja católica ou universal. Ela é uma santa congregação e assembléia dos verdadeiros crentes em Cristo, que esperam toda a sua salvação de Jesus Cristo, lavados pelo seu sangue, santificados e selados pelo Espírito Santo... Para ler mais, clique aqui.

T.: Atos 1,1-10 + Mt. 28, 18

L.: Domingo 19 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Crer é ter Jesus Cristo como Rei.

 

A ascensão de Jesus Cristo está ligada a isso.

Jesus Cristo subiu ao céu e está sentado a direita de Deus Pai, o Todo Poderoso!

Vocês acreditam nisso? Vocês realmente acreditam nisso?

Não somente ali (na cabeça), mas também aqui (no coração)!

Vocês aceitam Jesus Cristo como rei na sua vida?

O que isso quer dizer?

Cristo é rei.

Se eu digito essas palavras na tela do meu computador para pesquisar no Google o que isso quer dizer, O Google me mostrará o estatua “Cristo é Rei”, que está perto da cidade de Lisboa em Portugal.

Milhares de pessoas já visitaram este lugar, que se tornou um ponto turístico.

Milhares de pessoas querem ver o “Cristo é Rei”, mas será que elas também aceitam Cristo como Rei na sua vida? O que isso significa ter Jesus Cristo como Rei?

Isso significa no primeiro lugar: adoração e respeito

Cristo está assentado a direita de Deus Pai, o todo poderoso!

Toda a autoridade lhe foi dado no céu e na terra.

Os discípulos o adoraram quando ouviram isso (Mt 28,17) e o serviram (Mt 28,19)

Isso significa no segundo lugar: submissão

Se Cristo é o nosso Rei, nós somos os seus servos!

Isso significa no terceiro lugar: obediência

Os servos devem obedecer à palavra do rei;

Se ele diz: Vamos, nós temos que ir.

Se ele diz: Venhamos, nós temos que vir.

 

Cristo é rei.

Muitas pessoas gostam dessa ideia, porque querem que Cristo as ajude.

Elas aceitam Jesus como rei, enquanto ele faz o que elas querem.

E se ele não o fará, elas o rejeitam como rejeitam qualquer político.

 

A história de Jesus já mostra isso... Para ler mais, clique aqui.

Texto: 1 Pedro 3: 1-6

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Pedro escreveu aos irmãos em Ásia Menor, a atual Turquia. Eles estavam sendo perseguidos; eles se converteram a Cristo e agora eles estavam sofrendo por causa disso. Eles se tornaram estrangeiros. Houve um constrangimento do lado da família, dos colegas, dos amigos, e dos próprios maridos, pois os crentes não participavam mais da vida ímpia em que participavam anteriormente. Os crentes se afastaram e viviam uma vida santa. Houve irmãos que sofreram por causa disso. Então, Pedro escreveu esta carta para exortar, edificar e consolá-los. Por isso Pedro fala sobre Jesus Cristo, que também sofreu. Ele deu exemplo a todos nós. Devemos seguir os passos de Jesus Cristo, tomando a nossa cruz e vivendo uma vida submissa às autoridades, aos patrões e aos maridos que são descrentes.

O motivo de Pedro é um motivo missionário; o objetivo da sua carta é um objetivo evangelístico.  Ele fala sobre isso em (1 Pe 2,11-12), falando sobre os deveres dos cristãos entre os gentios: “Amados, exorto-vos, como a peregrinos e forasteiros neste mundo, a que vos abstenhais dos desejos carnais que promovem guerra contra a alma. Seja bom o vosso comportamento entre os gentios, para que, mesmo que falem mal de vós, como se fôsseis malfeitores, vendo as vossas boas obras glorifiquem a Deus, no dia da Visitação”.

Então, irmãos, as nossas boas obras funcionam assim, funcionam como armas na nossa batalha para conquistar o mundo. Para levar o mundo a adoração a Deus, para que os descrentes glorifiquem a Deus. Este é o tema que é repetido várias vezes nesta epístola. Também em nosso texto, falando às mulheres da igreja...Para ler mais, clique aqui.

Texto: 1 Timóteo 2: 11-13                                                              

Leitura: 1 Cor. 14: 26-39      

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo, queridas irmãs em Jesus Cristo,

 

Hoje vamos falar sobre um texto que sempre deu e ainda dá muitas discussões. Este texto dá uma regra básica em relação aos ofícios na igreja. Falando sobre as mulheres, Paulo diz: “A mulher aprenda em silêncio, com toda a submissão. E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade de homem; esteja, porém, em silêncio. Porque, primeiro, foi formado Adão, depois, Eva. E Adão não foi iludido, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão”.

Estas palavras são palavras claras, não são, irmãos? Paulo fala claramente sobre a posição das mulheres na igreja. Elas devem estar em silêncio. Muitos homens já louvaram Paulo por causa dessas palavras, e ainda mais pessoas o maldisseram. Ele seria antifeminista, ele teria odiado as mulheres. Ele era judeu demais, e por causa disso ele teria dito essas palavras. (Etc, etc). Muitas pessoas se zangavam por causa dessas palavras. Muitas mulheres que queriam ser líderes, presbíteros ou pastoras na igreja, criticaram Paulo e concluíram que ele não prestava. Enquanto muitos homens usaram essas palavras para defender o púlpito contra o avanço das mulheres que queriam falar e ensinar publicamente na igreja, dizendo: a mulher não pode pregar. Pois Paulo disse: “A mulher aprenda em silêncio, com toda a submissão. E não permito que a mulher ensine, nem exerça autoridade como o homem; esteja, porém em silêncio.”.

Então, parece que Paulo é um machista que diz “cala boca, mulher!”.  Assim, as palavras de Paulo parecem duras, ditas com um coração duro, sem amor. Mas não é assim. Quem pensa assim não entende ou não quer entender Paulo. Devemos estudar essas palavras cuidadosamente para entender o que o...Para ler mais, clique aqui.

L. 1 Pe 2, 11-25 

T. Luc. 2, 40-52

 

Queridos irmãos em Cristo,

Doze anos. Esse é um momento importante na vida da maioria das crianças. Isso significa muitas vezes, o fim da infância e a entrada na vida dos adultos. Nessa idade termina a vida na escola fundamental, e o aluno faz uma mudança para o ensino médio; um passo em frente para a vida dos adultos. A criança se sente mais adulta e experimenta também mais responsabilidade, porque a escola exige mais dos alunos. E não somente na escola, mas também em casa e na igreja existem mais expectativas. Na igreja começam as aulas de Catecismo. Os professores nos preparam para entrar no mundo, para funcionar na igreja e para conhecer a Palavra de Deus para que possa andar com Deus. Doze anos é um momento importante na vida de qualquer pessoa.

Não somente hoje, mas também na antiguidade. Antigamente isso significava: terminar a escola e começar a trabalhar, seja na fazenda do seu pai, seja na pescaria, seja na casa de uma outra pessoa. Uma criança de 12 anos entrava automaticamente no mundo dos adultos. A vida de Jesus era assim também. Lucas nos mostra um momento da vida de Jesus, que é caraterístico de toda a sua vida. Essa história conecta vs 40 e vs 52.

No vs 40 se fala sobre a infância de Jesus: “Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele”. Depois ouvimos a história dele no templo, e em vs 52 se diz: “e crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e os homens”. O que caracteriza a vida de Jesus é a sua SABEDORIA! Sabedoria santa. A sabedoria que nos ensina como devemos viver com Deus e com...Para ler mais, clique aqui.