Skip to content

Berichten getagd ‘Daniel’

Jesus Cristo é o Filho do Homem

Texto: Daniel 7, 13-14             

Leitura: Mateus 16,13-20 + Domingo 11 CdH

 

Cristo nos mandou celebrar esta ceia em sua memória. Nesta mesa nós lembramos que nosso Senhor se tornou homem para carregar a ira de Deus e para salvar o seu povo; O Novo Testamento mostra isso em vários lugares. Jesus Cristo falou sobre a nossa salvação e em vários momentos ele fez uma conexão com a profecia de Daniel 7 sobre o Filho do Homem. O Filho do Homem veio para buscar e salvar o perdido. Jesus disse isso em Lucas 19,10, após a conversão de Zaqueu, o publicano. E em outra ocasião Jesus disse (Mt 17, 22):  O Filho do Homem está para ser entregue nas mãos dos homens; e estes o matarão; mas ao terceiro dia, ressuscitará.

Quando nós ouvimos essas palavras da boca de Jesus, nós temos a impressão de que Ele se identificou como este ‘Filho do Homem’. Mas em nenhum lugar Jesus disse claramente: Eu sou o Filho do Homem! Ele até perguntou os seus discípulos (Mt 16:13etc): Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou alguns dos profetas. E logo depois ele lhes perguntou: “Mas vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo”. Então, nem o povo, nem os discípulos, identificaram Jesus com a figura que Daniel viu em seus sonhos. Então, quem é este ‘filho do homem’ que Daniel viu e Jesus apontou como Salvador?

Vamos voltar para a profecia de Daniel para refrescar a nossa memória. O que Daniel viu. Vamos ler Daniel 7,13-14: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha com as nuvens do céu um como o Filho do Homem, e dirigiu-se... Para ler mais, clique aqui.

Daniel na cova dos leões, a Babilônia.

Texto: Daniel 6                       

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje vamos continuar com a leitura do livro de Daniel. Chegamos ao sexto capítulo desse livro. Em cima deste está escrito, em minha Bíblia: Daniel na cova dos leões; A maioria das pessoas, lendo esse cabeçalho, pensam no buraco onde estavam os animais ferozes. Mas a cova dos leões não é somente o lugar dos animais. A cova de leões é a Babilônia.

Todo o capítulo nos mostra que Daniel estava no meio dos inimigos, que queriam ver o seu sangue. O diabo estava lá, andando em seu redor, como leão que ruge, procurando-o para devorá-lo.

Vamos observar isso.

O capítulo começa com um novo rei: Dario, rei dos Medos e os Persas.

O Império Babilônico acabou com a morte do rei Belsazar. De acordo com o texto na parede, o império foi dividido entre os Medos e os Persas; e o novo rei é Dario. Ele foi um bom governador, porque gostou de uma boa administração. Provavelmente ele ouviu da fama de Daniel e por causa disso o colocou numa posição alta. Observando o seu trabalho, Dario ficou tão satisfeito que pensava em nomeá-lo como segundo homem do país.

E isso causou inveja! Os outros governadores não gostavam disso. Eles eram  corruptos e perversos, mas Daniel era justo. Os outros governadores queriam eliminá-lo, e tentaram pegá-lo com armadilhas. O texto diz: Então, os presidentes e os sátrapas procuravam ocasião para acusar a Daniel a respeito do reino; mas não puderam achá-la, nem culpa alguma; porque era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa. (vs. 4).

Essa frase já nos mostra que eles tentaram, várias vezes, acusá-lo; Daniel morava numa casa de vidro. Eles o seguiam com olhos de águia para pegá-lo, mas ele... Para ler mais, clique aqui.

O Senhor derrubou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes

T. Lucas 1, 52 e Daniel 4

L. Mateus 13: 31-32; Lucas 1: 31-32;

 

O Senhor derrubou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes!

 

Existe um ditado que diz: “Os sonhos são enganosos”. Mas nem todo mundo concorda com isso. Muitas pessoas acham que os sonhos são importantes e contêm mensagens que vêm de Deus. O problema é a interpretação dos sonhos. A interpretação do sonho pode ser complicada, e por causa disso enganosa. Mas não é sempre assim: existem sonhos simples que se explicam pelos acontecimentos do dia; tal sonho é uma reflexão da mente sobre as coisas que aconteceram; porém existem também sonhos que tem um sentido mais profundo. O livro de Daniel nos mostra isso várias vezes.

O livro de Daniel fala sobre os sonhos de Nabucodonosor.  As ideias e os planos que durante o dia ocupam e preocupavam a mente do rei, se desenvolviam à noite em sonhos maravilhosos ou assustadores. Os nossos planos e desejos que não conseguimos realizar enquanto estamos acordados se realizam duma maneira maravilhosa em nossos sonhos: coisas impossíveis serão realizadas de uma maneira imaginável.

Esses são os sonhos bons; mas existem também sonhos ruins: pesadelos. As coisas horríveis que nos deixam preocupados ou com medo durante o dia se tornam um pesadelo durante a noite: coisas horríveis acontecem em nossos sonhos; coisas que nós tememos durante o dia que se tornam ‘realidade’ durante a noite. Os sonhos revelam os sentimentos escondidos na mente de uma pessoa: a sua fraqueza, a sua impotência de realizar certas coisas, o seu desejo, a sua paixão, o seu medo, a sua humildade ou a sua arrogância.

O primeiro sonho de Nabucodonosor lhe mostrou uma estátua enorme; o segundo, uma árvore enorme.  Nabucodonosor é acostumado a pensar em coisas grandes. A descrição da árvore... Para ler mais, clique aqui.

Daniel no governo ímpio da Babilônia

T. Daniel 3

L.Vários textos

Queridos irmãos,

Como será viver num país onde o governo é ímpio?

Onde o presidente e os seus ministros são descrentes?

Onde são tomadas decisões que não combinam com a nossa fé?

Pior ainda: onde são tomadas decisões que são contrárias à nossa fé;

Um país onde a igreja fiel sofre e é perseguida; como será?

Existem exemplos neste mundo que nos mostram tal situação delicada da igreja cristã;

Pensem nos países dominados pelos muçulmanos. As igrejas de Cristo sofrem lá.

Não podem se reunir publicamente; só com portas fechadas.

Pensem na China, onde os comunistas governam. Existe uma igreja, mas ela é serva do estado comunista; as verdadeiras igrejas cristãs só podem se reunir nas casas, com portas fechadas;

Pensem na antiga Rússia, onde os comunistas e socialistas governavam; as igrejas foram fechadas; religião era considerada como ópio para o povo; eles trataram pastores como criminosos; como nós tratamos os líderes do tráfico de drogas.

Como será viver num país onde a presidente é socialista? Onde o presidente faz amizade com muçulmanos extremistas e com socialistas extremistas como Hugo Chaves e Fidel Castro? Um governa ímpio que considera a religião cristã como ópio para o povo e que consequentemente tira a religião das escolas públicas? Como será se tal governo puder concluir os seus planos?

Como será o futuro da igreja num país onde o governo é anticristão?

A história de Daniel 3 nos dá uma boa impressão de como é a vida num país pagão, onde o imperador é um ditador que não acredita em Deus, mas se considera como Deus.

Como todos os ditadores, ele quer uma dedicação completa dos seus oficiais. Ele quer ser elogiado e adorado. E como todos os ditadores, ele criou uma estátua... Para ler mais, clique aqui.

O reino de Deus derrubou o sonho de Nabucodonosor

T. Daniel 2, 31-45

L. Mateus 24, 32-44

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Faz uma semana que preguei sobre o sonho de Nabucodonosor.

Naquele momento dei mais atenção ao contexto do que ao próprio sonho.

Desta vez quero dar mais atenção ao conteúdo: o que significa a estátua que Nabucodonosor viu; esse sonho já se realizou, ou ainda se realizará?

Existe uma explicação desse sonho no meio dos pentecostais que diz que o sonho se realizará com a segunda vinda de Cristo, e depois disso ele estabelecerá o seu império de mil anos. O milênio de Apocalipse 20 começará, depois da destruição do quinto império dos homens. Que pensar dessa ideia? No final do sermão darei uma resposta.

Deus revelou a Nabucodonosor por meio do sonho da grande estátua:

  • A decadência dos reinos dos homens;
  • A vitória do reino de Deus;

 

A decadência dos reinos dos homens:

A estátua que Nabucodonosor viu não era igual à uma estátua normal. Normalmente uma estátua é feita inteiramente de bronze ou de ferro, mas essa estátua é diferente.

A cabeça era de fino ouro

O peito e os braços, de prata,

O ventre e os quadris, de bronze;

As pernas de ferro,

Os pés, em parte, de ferro, em parte de barro;

 

Prestem atenção a esses detalhes, porque eles fazem parte do sonho e de seu significado.  Isso quer dizer que houve uma decadência no material que foi usado.

A cabeça foi feita de fino ouro e os pés, em parte, de ferro, em parte, de barro.

Observando a estátua de cima para baixo, podemos concluir que o material de cima é precioso (ouro fino) e o material em baixo é quase sem valor (ferro misturado com barro)... Para ler mais, clique aqui.

 

Deus deixou sua luz brilhar no meio das trevas da Babilônia

T. Daniel 2, 20-23 

L. Daniel 2, 19-35 

 

Daniel 2: Deus deixou a sua luz brilhar no meio das trevas de Babilônia;

A noite era escura. Babilônia estava em trevas. Nuvens cobriram o céu. Havia também trevas no quarto do rei. Nabucodonosor estava na cama dormindo. Mas não era um sono pesado. Pelo contrário, ele estava muito inquieto. Estava suando, e o corpo se revirava várias vezes. O rei teve um pesadelo, um sonho assustador. De repente, ele abriu os olhos. Ele estava assustado. Parecia que uma grande pedra tinha caído em cima dele. Pensou que tivesse morrido. Mas, graças a Deus, isso não aconteceu. Assustado, ele observou as coisas no quarto. Tudo estava em paz.

Que sonho ruim! Ele se virou mais uma vez, porque ainda era madrugada. Tentou dormir, mas enquanto estava cochilando, acordava várias vezes

e cada vez as imagens do primeiro pesadelo voltavam à sua mente. Finalmente acordou, e ficou deitado, pensando. Ele sentiu que os sonhos que teve eram importantes. Os deuses queriam lhe revelar alguma coisa. Uma coisa horrível ia acontecer; um desastre! Ele devia se preparar para isso; ele devia saber o que ia acontecer. Então, logo de manhã, ele mandou chamar todos os seus conselheiros:

Os magos, especialistas na interpretação de sonhos;

Os encantadores, que eram especializados em observar pessoas e interpretar a linguagem do seu corpo;

Os feiticeiros, que tinha muito conhecimento de mágica e feitiçaria;

E os Caldeus, que eram especializados em resolver mistérios, falando com os espíritos.

Todos eles deviam se apresentar! Então, logo pela manhã, os mensageiros saíram do palácio para chamar esses homens urgentemente para o palácio do rei. Todos os conselheiros se vestiram e correram para o palácio; alguns se encontraram nas ruas e se perguntaram: o que está acontecendo? Mas ninguém podia dar a resposta... Para ler mais, clique aqui.

 

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top