T: Rom. 2, 1-11 & 3, 1-20 

L: Domingo 4 CdH  

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

É normal, em todas as escolas, o professor avaliar os seus alunos. E os resultados finais são escritos num boletim; Português: um 8; Matemática: um 6; Comportamento: um 9; e há muito mais. A cada ano os resultados são avaliados, e se estiverem bons, o aluno será premiado. OU poderá continuar num grau mais alto, OU receberá a prova de que se formou. Dessa forma, os alunos são estimulados a produzir bem, e descobrem o nível deles; em algumas matérias você não é tão bom, mas em outras matérias você produz bem. E isso é bom para o seu respeito próprio.

Pois ninguém gosta de ouvir: você não é bom, e não presta de jeito nenhum. E se ouvir isso REGULARMENTE, um aluno fica sem estímulo e finalmente pensa: “Nada me importa! Não presto e nunca faço uma coisa boa!”. O aluno vai embora! Se um aluno é criticado várias vezes, fica desmotivado! E, por causa disso, os professores tentam estimular os seus alunos, premiando os bons resultados. Isso estimula os alunos e lhes dá um brio.

Considerando isso, a situação na igreja deve ser estranha para muitas pessoas. Na sociedade elas são premiadas por causa dos bons resultados, mas aqui na igreja elas ouvem: O que você fez não vale nada; você é corrompido e não consegue fazer bem algum e é inclinado para todo mal. Esta mensagem é perpendicular a sua experiência diária. Esta mensagem gera um conflito; e quando as pessoas ouvem esta mensagem a cada domingo, eles ficam sensíveis; e finalmente se irritam com essa mensagem.

Às vezes as pessoas já ficam irritadas se ouvirem os primeiros capítulos do nosso Catecismo; Imagine que o pastor, a cada domingo...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 3 CdH

P. 6: Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?

R.: Não, Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é, em verdadeira justiça e santidade para conhecer corretamente a Deus, seu Criador, amá-lo de todo o coração e viver com ele na eterna felicidade, para louvá-lo e glorificá-lo.

P. 7: De onde vem, então, essa natureza corrompida do homem?

R.: Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso.

Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado.

P. 8: Mas somos tão corrompidos que não conseguimos fazer bem algum e somos inclinados para todo mal?

R.: Somos sim, se não nascermos de novo pelo Espírito de Deus.

 

 

Texto: Gênesis 3, 15

Leitura: Domingo 3 CdH

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Faz tempo que li um uma meditação sobre Gênesis 3,15. O Autor desta meditação criticou a ideia de que o homem é corrompido com uma natureza pecaminosa. O autor até usou Gênesis 3,15 para mostrar que o homem era bom! Desde o início - ele disse - existe um contraste, uma inimizade entre o homem e o mal. O homem detesta o mal e sabe que o mal é ruim. O mal é seu inimigo. A consciência do homem nunca viverá em paz com o mal, ele disse.  Então o homem não é tão mau como o catecismo de Heidelberg nos ensina.

 

Pensando sobre isso, quero defender o ensino do nosso catecismo. Não por obrigação ou por costume, mas porque acredito que o catecismo tem plena razão quando diz que o homem é corrupto. O nosso Catecismo reflete fielmente no ensino das sagradas escrituras e quero mostrar isso. Então, vamos em primeiro lugar ler o Domingo 3 do nosso Catecismo. [Leitura]....Para ler mais, clique aqui.