Domingo 21 CdH

 P.: 54. O que você crê sobre “a santa igreja universal de Cristo”?

R.: Creio que o filho de Deus reúne, protege e conserva, dentre todo o gênero humano, sua comunidade eleita para a vida eterna. Isso ele faz por seu Espírito e sua Palavra, na unidade da verdadeira fé, desde o princípio do mundo até o fim. Creio que sou membro vivo dessa igreja, agora e para sempre.

 

Texto: Mateus 22, 1-14

Leitura: Domingo 21ª CdH

Queridos irmãos,

Hoje vamos falar sobre a IGREJA de Cristo. Como devemos observar a igreja de Cristo? Qual é a verdadeira igreja de Cristo? A igreja de Roma, com as suas igrejas luxuosas, com seus altares e estátuas; com a sua adoração à Maria e aos apóstolos?

Ou as igrejas dos Neo-Pentecostais, como a Igreja Universal do reino de Deus, com a sua hierarquia, os seus bispos, as suas práticas de expulsar os demônios, o falar em línguas estranhas, a lavagem de dinheiro e as suas contas bancárias longe da Receita Federal nas ilhas tropicais.

Ou as igrejas reformadas com as suas fraquezas, a falta de evangelização, a falta de uma boa comunhão dentro das igrejas, a falta de uma boa administração, a falta de cuidado pastoral. Qual é a verdadeira igreja de Cristo? Qual igreja pode servir como bom exemplo? Será que existe uma igreja que pode servir como bom exemplo? Será que existe uma igreja que é perfeita?

A confissão da igreja não se baseou nas observações das igrejas e comunidades religiosas, que se encontram na nossa sociedade. As confissões da igreja – o Credo Apostólico, mas também o Catecismo de Heidelberg – foram baseados na Palavra de Deus. Eles nos ensinam como a igreja deve ser conforme a Palavra de Deus ... Para ler mais, clique aqui.

T.: Romanos 8, 28-39                                         

L.: CdH 21 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje em dia muitas pessoas não acreditam na igreja; acreditam em Cristo, mas não na igreja. A igreja não é importante, Cristo é importante. A igreja não. Existem muitas igrejas. Uma diz isso e a outra diz aquilo, e quem fala a verdade?

Muitas pessoas dizem: a verdadeira igreja de Cristo é invisível. Existem verdadeiros crentes na igreja católica, e também na Assembleia de Deus e na igreja Presbiteriana e na igreja Reformada e o total desses verdadeiros crentes á a igreja de Cristo. Nós não podemos ver esta igreja aqui na terra, porque os seus membros estão escondidos nas igrejas, mas no dia final nós vamos encontrar estes verdadeiros crentes no céu ao lado de Cristo. Então, essa igreja invisível é a verdadeira; a igreja visível é falsa; na igreja visível encontramos padres pedófilos, pastores que querem se enriquecer, pastoras que se acham profetas, presbíteros que nunca visitam o rebanho, membros que brigam e fofocam. A igreja visível é imperfeita, impura e cheia de manchas. Por causa disso muitas pessoas não acreditam na igreja. A igreja não é importante.

Muitas pessoas pensavam assim também na época da Reforma. Elas criticavam a igreja de Roma, mas não queriam reformar a igreja; e não queriam mudar de igreja. Essas pessoas ficavam na igreja romana, porque a igreja visível não é importante; o que é importante é ter Cristo no coração; ser membro da igreja invisível de Cristo. Então estes membros simpatizavam com a reforma, mas não seguiam os reformadores; elas permaneciam na igreja de Roma.

Calvino chamava essas pessoas de “Pseudo-Nicodemitas”. Elas viviam como Nicodemos, que era fariseu, mas... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 20 CdH

 P.: 53. O que você crê sobre o Espírito Santo?

R.: Primeiro: creio que ele é verdadeiro e eterno Deus com o Pai e o Filho.

Segundo: que ele foi dado também a mim. Por uma verdadeira fé, ele me torna participante de Cristo e de todos os seus benefícios. Ele me fortalece e fica comigo para sempre.

 

Texto: Romanos 8, 9-11

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Pode um morto se levantar? A reposta é clara: não! Só se Deus quiser!  Também podemos perguntar: pode um homem que anda na carne, um homem que não é regenerado, agradar a Deus?  A resposta é clara: NÃO! Não pode. Só se Deus quiser; Só se o Espírito de Deus habitar nele.

Paulo fala neste capítulo 8 sobre dois caminhos: o caminho da carne e o caminho do Espírito; quem anda no caminho da carne, ele está no caminho do pecado; ele vive em pecado e não agrada a Deus. Ele não pode agradar a Deus, diz Paulo. Ele só pode agradar a Deus, se Deus quiser; só se for regenerado pelo Espírito de Deus; Paulo usa uma palavra bem forte aqui. Ele diz que o homem da carne está morto em pecado; ele deve ser renascido. Paulo até fala sobre uma ressurreição. Irresistível é a graça de Deus ao que está morto em pecado. Se Deus quiser, Ele vem com o seu Espírito poderoso e entra na nossa vida, porque quer habitar em nós.

Assim é a situação do crente. Paulo diz aos irmãos em Roma, mas indiretamente também a todos os verdadeiros crentes: “Mas vós não estais na carne, mas no Espírito, porque o Espírito de Deus habita em vós”. Assim é a situação na congregação de Cristo. E quando Paulo fala sobre o Espírito de Deus que habite em nós, ele também explica o que isso significa. Sobre isso fala o nosso sermão:

 

SE O ESPÍRITO DE DEUS HABITA EM VOCÊ: 

  • VOCÊ TEM A REMISSÃO DOS PECADOS; (Vs. 10)
  • VOCÊ TEM A RESSURREIÇÃO DO CORPO; (Vs. 11ª)
  • VOCÊ TEM A VIDA ETERNA; (Vs. 11b)

 

Se o Espírito de Deus habita em você, você tem a remissão dos pecados

Falando sobre o Espírito de Deus, devemos ter cuidado para não fazermos o mesmo erro que muitas pessoas fazem, quando falam sobre o Espírito Santo. Porque muitas pessoas falam sobre o Espírito Santo, pensando que nesta época é a época do Espírito Santo. Conforme aquelas pessoas, Deus se manifestou no antigo testamento como Pai; no Novo Testamento como Filho e depois Pentecostes como... Para ler mais, clique aqui.

Texto: 2 Tess. 1, 7-10                     

Leitura: 2 Tess. 1, 1-10

              Domingo 19

 

(Algumas alterações podem ser necessárias).

 

Hoje foi anunciada a excomunhão de um(a) irmão(ã) da igreja. Ele foi excomungado porque não vivia e não queria viver de acordo com o [primeiro e quarto] mandamento que Deus nos deu. Ele relaxou, e se afastou da igreja; não visitava mais a igreja para adorar a Deus no dia de domingo, nem participava da santa ceia, embora houvesse sido advertida inúmeras vezes.

Ele foi disciplinado, mas não queria mudar a sua vida. E, finalmente, anunciamos à congregação que ele seria excomungado no dia [06 de fevereiro] se ele não se arrependesse dos seus pecados e manifestasse sinais de um verdadeiro arrependimento. Ele não mostrou esses sinais. [Ele esteve aqui na igreja em dezembro, mas depois disso, não apareceu mais na igreja. Ele podia vir, mas não quis. Podia pedir ajuda, mas não o fez. Assim ele manifestou-se igual àqueles que não conhecem a Deus e não obedecem ao Evangelho de Jesus.

O próprio Jesus falou sobre tais pessoas, e disse (Mt. 18, 15-18):

“Se teu irmão pecar, vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano”.

Considerar um membro da igreja como gentio e publicano quer dizer que ele não é mais membro da igreja. Ele se afastou e vive como descrente, como os gentios e como os publicanos, que não visitavam as sinagogas e não obedeciam a Deus. O pecador tem uma vida igual a essa, e por causa... Para ler mais, clique aqui.

T.: Vários Textos

L.: Domingo 19 CdH

 

Queridos irmãos/irmãs,

O Domingo 19 do Catecismo fala sobre Cristo Jesus, que está sentado à direita de Deus. Isso quer dizer que Cristo é Rei. Ele recebeu toda a autoridade nos céus e na terra. Ele governa. O apóstolo João viu Jesus como rei. Veja Ap. 1, 9-16:

 

“Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus.

Achei-me em espírito, no dia do Senhor; e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia. Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho do homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas. Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força”

 

Ele viu o Cristo glorificado no meio dos candeeiros, que são as sete igrejas mencionadas. Cristo é Rei das Igrejas; Ele é o cabeça das igrejas, que segura as sete estrelas que são os sete anjos ou ministros das igrejas. Ele mandou sete cartas para as igrejas para dizer o que elas devem fazer. Cristo mandou sete ordens para continuar a lutar contra as tentações e pecados que se encontram nas igrejas e... Para ler mais, clique aqui.

T.: Atos 1,1-10 + Mt. 28, 18

L.: Domingo 19 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Crer é ter Jesus Cristo como Rei.

 

A ascensão de Jesus Cristo está ligada a isso.

Jesus Cristo subiu ao céu e está sentado a direita de Deus Pai, o Todo Poderoso!

Vocês acreditam nisso? Vocês realmente acreditam nisso?

Não somente ali (na cabeça), mas também aqui (no coração)!

Vocês aceitam Jesus Cristo como rei na sua vida?

O que isso quer dizer?

Cristo é rei.

Se eu digito essas palavras na tela do meu computador para pesquisar no Google o que isso quer dizer, O Google me mostrará o estatua “Cristo é Rei”, que está perto da cidade de Lisboa em Portugal.

Milhares de pessoas já visitaram este lugar, que se tornou um ponto turístico.

Milhares de pessoas querem ver o “Cristo é Rei”, mas será que elas também aceitam Cristo como Rei na sua vida? O que isso significa ter Jesus Cristo como Rei?

Isso significa no primeiro lugar: adoração e respeito

Cristo está assentado a direita de Deus Pai, o todo poderoso!

Toda a autoridade lhe foi dado no céu e na terra.

Os discípulos o adoraram quando ouviram isso (Mt 28,17) e o serviram (Mt 28,19)

Isso significa no segundo lugar: submissão

Se Cristo é o nosso Rei, nós somos os seus servos!

Isso significa no terceiro lugar: obediência

Os servos devem obedecer à palavra do rei;

Se ele diz: Vamos, nós temos que ir.

Se ele diz: Venhamos, nós temos que vir.

 

Cristo é rei.

Muitas pessoas gostam dessa ideia, porque querem que Cristo as ajude.

Elas aceitam Jesus como rei, enquanto ele faz o que elas querem.

E se ele não o fará, elas o rejeitam como rejeitam qualquer político.

 

A história de Jesus já mostra isso... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Apocalipse 1, 7                    

Leitura: Lucas 24, 36-53; Domingo 18 CdH

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Vou começar com uma pergunta. Uma pergunta simples.

ONDE está Cristo neste momento?

Pois é! Cristo está no céu. Quase todas as Igrejas Cristãs confessam isso.

Mas, agora, uma outra pergunta; uma pergunta mais complicada.

COMO Cristo está no céu?

Ele tem um corpo OU ele está lá sem corpo?

Há pessoas que dizem que Cristo está no céu SEM CORPO. Ele estaria lá em espírito. Estas pessoas dizem que Cristo se manifestou em espírito depois da sua ressurreição. Conforme estas pessoas, Cristo subiu ao céu EM ESPÍRITO, e Ele está lá EM ESPÍRITO, e Ele voltará EM ESPÍRITO.

As Igrejas Reformadas sempre lutaram contra esta ideia.

Lendo a Palavra de Deus, nós devemos confessar que Cristo nasceu e morreu; o corpo dele não estava mais no sepulcro, pois ele foi realmente ressuscitado; Ele se manifestou com SEU CORPO GLORIFICADO; e Ele subiu ao céu, com ESTE CORPO GLORIFICADO. Ele está lá COM SEU CORPO, QUE FOI CRUCIFICADO; e Ele vai voltar com este CORPO glorificado, que ainda tem as marcas da cruz.

A Bíblia nos ensina isso.

Vamos ler o evangelho de Lucas, no capítulo 24, 36-53; nesta parte Jesus se manifestou em meio a seus discípulos. E Ele lhes mostrou o seu corpo, que tinha, ainda, as marcas da cruz. Os discípulos reconheceram Jesus Cristo por causa das marcas da cruz! O corpo dele não era mais o corpo fraco, DE ANTES DA SUA MORTE; mas o corpo GLORIFICADO, depois do estado da morte. A aparência dele mudou, mas as marcas não. As marcas provaram que Jesus Cristo ressuscitou da morte. Era Ele mesmo... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 18 CdH

P. 46. O que você quer dizer com as palavras: “subiu ao céu”?
R. Que Cristo, à vista de seus discípulos, foi elevado da terra ao céu e lá está para o nosso bem, até que volte para julgar os vivos e os mortos.

P. 47. Cristo, então, não está conosco até o fim do mundo como prometeu?
R. Cristo é verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Segundo sua natureza humana, não está agora na terra, mas segundo sua divindade, majestade, graça e Espírito, jamais se afasta de nós.

P. 48. Mas se a natureza humana não está em todo lugar em que a natureza divina está, as duas naturezas de Cristo não são separadas uma da outra?
R. De maneira nenhuma; a natureza divina de Cristo não pode ser limitada e está presente em todo lugar. Por isso, podemos concluir que a natureza divina dele está na sua natureza humana e permanece pessoalmente unida a ela, embora também esteja fora dela.

P. 49. Que importância tem, para nós, a ascensão de Cristo?
R. Primeiro: ele é, no céu, nosso Advogado junto a seu Pai. Segundo: em Cristo, temos nossa carne no céu como garantia segura de que ele, como nosso Cabeça também nos levará para si como seus membros. Terceiro: ele nos envia seu Espírito como garantia. Pelo poder do Espírito, buscamos as coisas que são do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus, e não as coisas que são da terra.

Texto: Mateus 28, 18-20
Leitura: Cl. 3, 1-11; Domingo 18 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

As palavras que acabamos de ler, em Mateus 28, são as últimas palavras do Senhor. Elas foram ditas um pouco tempo antes da sua ascensão. Jesus se
despediu dos seus discípulos com essas palavras. Uma exortação para continuar com o trabalho e uma consolação, porque ele estará com eles todos os dias até a consumação do século.

O SENHOR DA MISSÃO ESTÁ CONVOSCO ATÉ O DIA FINAL

1) Ele está no céu, segundo sua natureza humana;
2) Ele está na terra, segundo sua natureza divina;
3) Ele está em nós, com o seu Espírito Santo.

1) Ele está no céu, segundo sua natureza humana

A bíblia é bem clara sobre isso, irmãos. No final do evangelho de Lucas e no primeiro capítulo dos Atos dos Apóstolos podemos ler como Cristo, à vista de seus discípulos, foi levado da terra ao céu. Ele subiu ao céu com seu corpo glorificado! Com o ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 18 CdH

P. 49. Que importância tem, para nós, a ascensão de Cristo?

R. Primeiro: ele é, no céu, nosso Advogado junto a seu Pai. Segundo: em Cristo, temos nossa carne no céu como garantia segura de que ele, como nosso Cabeça também nos levará para si como seus membros. Terceiro: ele nos envia seu Espírito como garantia. Pelo poder do Espírito, buscamos as coisas que são do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus, e não as coisas que são da terra.

Leitura: Atos 1, 1-11
Texto: Domingo 18

Irmãos,

Hoje vamos meditar sobre a Ascensão de Jesus Cristo ao céu. Depois da sua ressurreição Cristo ficou ainda 40 (quarenta) dias aqui na terra. E depois destes quarenta dias ele subiu ao céu. Por isso a igreja de Cristo celebrava antigamente, depois desta quarentena: o dia da Ascensão. Quarenta dias depois da Páscoa. Por quê? Por que quarenta dias? Nós não sabemos. Mas em todo caso este período foi o bastante para mostrar aos apóstolos que Jesus Cristo estava vivo; e também para instruir os apóstolos para o trabalho que viria. Jesus usou esta quarentena para falar aos seus alunos das coisas concernentes ao Reino de Deus. Ele os preparou para o futuro, para as coisas que iam acontecer depois destes quarenta dias. Ele conquistaria o mundo pelo seu Espírito e pelos apóstolos. Ele estabeleceria o Reino de Deus na terra.

Foi muito difícil para os apóstolos entender isso totalmente; mudar de ideia sobre o Reino de Deus. Eles sempre pensavam que o Reino de Deus seria um Reino terrestre, como o Reino de Davi. Um reino, com um rei que moraria em Jerusalém, em seu palácio. Governando Israel. Jesus seria o rei que iniciaria a rebelião contra os Romanos, que invadiram Israel. Jesus venceria e conquistaria todo mundo. Essa foi mais ou menos a ideia dos apóstolos.

Podemos sentir isso quando, no último dia, eles perguntaram a Jesus Cristo: Senhor, será... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 18 CdH

P. 49. Que importância tem, para nós, a ascensão de Cristo?

R.: Primeiro: ele é, no céu, nosso Advogado junto a seu Pai. Segundo: em Cristo, temos nossa carne no céu como garantia segura de que ele, como nosso Cabeça também nos levará para si como seus membros. Terceiro: ele nos envia seu Espírito como garantia. Pelo poder do Espírito, buscamos as coisas que são do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus, e não as coisas que são da terra.

Texto: Colossenses 3, 1-4

Leitura: Domingo 18d.

Irmãos,

A doutrina sobre a ascensão de Cristo tem tudo a ver com o nosso culto aqui. Cristo está no céu; à direita de Deus Pai. Fisicamente Cristo subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai. Cristo está ali e voltará um dia para estar conosco de novo fisicamente. Neste momento Cristo está também conosco, mas espiritualmente.

Cristo está presente pela sua Palavra e pelo seu Espírito; e pelos seus SACRAMENTOS. Pois os sacramentos são SINAIS, são LEMBRANÇAS que nos trazem a memória de Cristo. Faça isso em memória de mim, disse Jesus, quando ele instituiu a Santa Ceia. Faça isso em memória de mim.

Isso quer dizer que Cristo não está presente fisicamente, mas a memória dele está viva em nós. E cada vez que celebramos a Santa Ceia nós refrescamos a nossa memória; nós somos conscientes de que ele não está aqui, em nosso meio, mas que ele está lá, ao lado do Pai. E, por causa disso, a Santa Ceia diz: “Devemos levantar os corações a Jesus Cristo, o nosso intercessor à direita do Pai”.  Chamamos esta parte de o “Sursum corda” = levantemos os ... Para ler mais, clique aqui.

T.: Rom 8, 1-11

L.: Dom. 17 CdH

 

Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

 

Como será a nossa ressurreição?

Será da mesma maneira como nós acordamos de manhã?

Primeiramente o alarme toca: peeeh, peeeh, peeeh, peeeh.

Há um movimento na cama, debaixo dos lençóis;

Um braço aparece e desliga o som;

Depois volta pra baixo dos lençóis;

Cinco minutos depois disso o alarme toca de novo: peeeh, peeeh, peeeh.

E o mesmo ritual se repete.

Será que é assim, irmãos?

Existem pessoas que acordam dificilmente.

Será que eles acordarão da mesma maneira quando a última trombeta tocar?

 

Ou será que é assim: Um rapaz está no telefone e fala com a sua noiva;

Amor, amanhã chegarei na sua casa e vamos para um lugar bonito.

Vou chegar cedo e vou buzinar; você estará pronta?

Sim, meu amor, claro que estarei pronta. Pode contar comigo.

A noiva foi dormir, mas antes do sol nascer, ela já acordou e se preparou para sair logo quando o noivo chegasse em frente de sua casa.

 

É claro que o segundo exemplo está mais perto da nossa realidade, irmãos.

Cristo é o noivo que falou com a sua igreja e prometeu buscá-la.

A igreja vive nessa expectativa. Ela sabe que isso vai acontecer.

Ela está convencida disso, porque Cristo mesmo ressurgiu dos mortos e subiu ao céu

e recebeu todo poder para resolver todas as coisas, inclusive a nossa ressurreição.

 

O Catecismo fala sobre isso aqui em Domingo 17, quando fala sobre a ressurreição de Cristo. Ele começa com a pergunta: Que importância tem para nós a ressurreição de Cristo? Se eu fizesse a mesma pergunta a um de vocês, sem olhar para o Catecismo, com certeza a resposta seria: a ressurreição de Cristo é a nossa garantia de que nós também ressuscitaremos no... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 17 CdH 

P.: 45. Que importância tem para nós a ressurreição de Cristo?

R.: Primeiro: pela ressurreição, ele venceu a morte, para que nós pudéssemos participar da justiça que ele conquistou por sua morte.

Segundo: nós também, por seu poder, somos ressuscitados para a nova vida.

Terceiro: a ressurreição de Cristo é uma garantia de nossa ressurreição em glória.

 

Texto: Domingo 17 CdH

Leitura: Colossenses 3

 

Irmãos,

Hoje quero pregar sobre a ressurreição de Cristo. Esse foi um fato importante na história do mundo, e também na vida da Igreja. A ressurreição de Cristo mudou o mundo, pois depois da ressurreição muitas pessoas acreditaram nisso e começaram a visitar a igreja e servir a Cristo; a vida na igreja mudou também: antes, no Antigo Testamento, o povo de Deus se reunia na sinagoga aos sábados, mas depois as pessoas se reuniram na igreja aos Domingos. Não mais no sábado, mas no Domingo, pois foi no Domingo que Cristo foi ressuscitado e se reuniu com seus alunos; e as igrejas celebraram este fato da ressurreição cada vez de novo no dia de Páscoa.

A páscoa foi a primeira festa na história da igreja. A festa mais antiga. Ainda mais antiga do que a festa de Natal. E foi uma verdadeira festa. Antigamente a congregação se reunia bem cedo na igreja no dia de Páscoa - ainda de madrugada; e no momento em que o sol nascia, o culto começava e terminava com a celebração da Santa Ceia em memória de Cristo. E os membros não saíam da mesa, mas ficavam para comer juntos.

No dia da Páscoa a congregação se reunia e os membros ficavam juntos. Era uma verdadeira festa. Também para os membros novos, pois no dia de Páscoa eles faziam a sua profissão de fé e foram admitidos na igreja. A vida... Para ler mais, clique aqui.