Leitura: Domingo 42 CdH

Texto: Lucas 16, 1-15

Queridos irmãos, irmãs,

Por um momento, nesta semana, pensei na possibilidade de limitar este sermão sobre o oitavo mandamento à leitura do oitavo mandamento junto com o comentário do Catecismo. Seria um sermão bem breve, mas claro. Todo mundo poderia entender e não ia se perder nas muitas observações que qualquer pregador traz. Mas, pensando um pouco mais sobre essa possibilidade, eu a rejeitei, porque provavelmente o efeito seria o mesmo de quando ouvimos os dez mandamentos no início do culto. Nós já ouvimos tantas vezes, que podemos repetir as palavras automaticamente: Não matarás, não adulterarás, não furtarás etc. Já gravamos em nossa memória e, por causa disso, muitas vezes nem ouvimos mais o que o pastor está dizendo. Só quando ele erra, ou quando ele usa outra palavra. Naquele momento, nós acordamos. Porém, os Dez Mandamentos não são como um cântico para as crianças antes de dormir; tem que repetir as palavras para que as crianças se cansem de ouvir e comecem a dormir. Não estou aqui para fazer vocês adormecerem, mas para vocês acordarem. Tenho que pregar e APLICAR este mandamento em suas vidas.

E tem mais, porque o oitavo mandamento não fala somente sobre o furto e o roubo; fala sobre muito mais, fala sobre os nossos bens e como devemos ganhar e administrar os nossos bens. Vamos ouvir mais sobre isso no sermão. O que eu quero enfatizar é o lado bom desse mandamento. Quando preguei sobre os 10 mandamentos em geral, eu já disse: Deus é bom e a Lei é boa. Ela aponta o pecado e nos avisa para não andar naquele caminho, mas ao mesmo tempo ela ensina também o caminho bom. O caminho de Deus. Dessa maneira vamos também observar o oitavo mandamento hoje de manhã:

 

O BOM DEUS SE PREOCUPA COM OS NOSSOS PRECIOSOS BENS POR MEIO DO OITAVO MANDAMENTO.

O OITAVO MANDAMENTO É BOM

  • PARA MIM;
  • PARA OS MEUS VIZINHOS;
  • PARA A NOSSA IGREJA;
  • PARA O NOSSO GOVERNO;

 

O OITAVO MANDAMENTO É BOM PARA MIM.

Quando o pregador diz: Não furtarás!, os ouvintes pensam, em primeiro lugar, em si mesmos. Todo mundo concorda com este mandamento e pensa em si mesmo: “Pois é! Não toca nas minhas coisas. O que pertence a mim é meu!” Parece que Deus coloca uma placa na entrada da nossa casa, dizendo: “Não Furtarás”. O aviso é para as pessoas de fora: os malandros, os vagabundos, os ladrões, que querem roubar ou furtar as coisas que ganhamos e guardamos em nossas casas ou em nossos carros. Não furtarás!... Para ler mais, clique aqui.