Berichten getagd ‘Sacramento’

Isto é o meu corpo, que é dado por vós: A Santa Ceia

Leitura: Domingo 29 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Um dos primeiros reformadores foi Guillaume (Guilherme) Farel. Um homem com uma barba vermelha, que pregava principalmente na Suíça e Genebra, antes de João Calvino. Eles o chamaram “O Elias dos Alpes”. Ele andava pelas montanhas e pregava em cada cidade. Ele falou com as pessoas e discutiu com os padres. Às vezes recebia uma pancada, e uma vez ele quase foi assassinado. Mas ele continuou: em todo canto ele pregou o evangelho sobre Jesus Cristo. Só o sacrifício de Jesus Cristo nos salva.

Uma vez ele passou pela cidade de Vallagin. Foi num domingo. Os membros da congregação Católica se reuniram na igreja. Os bancos estavam cheios com os membros que ouviam as palavras latinas do padre. Outras rezavam com o rosário na mão. A porta atrás se abriu. Um homem entrou. Calmamente ele andou ao lado direito da igreja e ficou lá, olhando.

O padre continuou com o seu trabalho. Ele estava atrás do altar celebrando a missa. “Sanctus, sanctus, sanctus”, ele cantou. “Dominus Deus Sabaaoth”. E três vezes tocou a campainha. Todos os crentes se ajoelharam. O padre pegou um pedacinho do pão nas mãos, o levantou e disse: “Hoc est corpus meum”. E depois disso ele fez uma reverência, por conforme a doutrina da igreja Católica o pão tinha sido transformado no corpo de Cristo. De novo tocou a campainha. Agora todos os crentes baixaram a cabeça e fizeram uma cruz, adorando a hóstia. Deus estava no meio deles.

Naquele momento, o estrangeiro com a barba vermelha andou para a frente e disse em alta voz: “Esta hóstia, que vocês estão adorando, não é Deus, mas um pedacinho de pão, feito de trigo e água”. Todos se “esfriaram”, levantaram a...Para ler mais, clique aqui.

O cristão e a participação na Santa Ceia.

Leitura: Domingo 29 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Um dos primeiros reformadores foi Guillaume (Guilherme) Farel. Um homem com uma barba vermelha, que pregava principalmente na Suíça e Genebra, antes de João Calvino. Eles o chamaram “O Elias dos Alpes”. Ele andava pelas montanhas e pregava em cada cidade. Ele falou com as pessoas e discutiu com os padres. Às vezes recebia uma pancada, e uma vez ele quase foi assassinado. Mas ele continuou: em todo canto ele pregou o evangelho sobre Jesus Cristo. Só o sacrifício de Jesus Cristo nos salva.

Uma vez ele passou pela cidade de Vallagin. Foi num domingo. Os membros da congregação Católica se reuniram na igreja. Os bancos estavam cheios com os membros que ouviam as palavras latinas do padre. Outras rezavam com o rosário na mão. A porta atrás se abriu. Um homem entrou. Calmamente ele andou ao lado direito da igreja e ficou lá, olhando.

O padre continuou com o seu trabalho. Ele estava atrás do altar celebrando a missa. “Sanctus, sanctus, sanctus”, ele cantou. “Dominus Deus Sabaaoth”. E três vezes tocou a campainha. Todos os crentes se ajoelharam. O padre pegou um pedacinho do pão nas mãos, o levantou e disse: “Hoc est corpus meum”. E depois disso ele fez uma reverência, por conforme a doutrina da igreja Católica o pão tinha sido transformado no corpo de Cristo. De novo tocou a campainha. Agora todos os crentes baixaram a cabeça e fizeram uma cruz, adorando a hóstia. Deus estava no meio deles.

Naquele momento, o estrangeiro com a barba vermelha andou para a frente e disse em alta voz: “Esta hóstia, que vocês estão adorando, não é Deus, mas um pedacinho de pão, feito de trigo e água”. Todos se “esfriaram”, levantaram a...Para ler mais, clique aqui.

Os pais devem zelar pelo batismo de seus filhos.

Leitura: Domingo 29 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Um dos primeiros reformadores foi Guillaume (Guilherme) Farel. Um homem com uma barba vermelha, que pregava principalmente na Suíça e Genebra, antes de João Calvino. Eles o chamaram “O Elias dos Alpes”. Ele andava pelas montanhas e pregava em cada cidade. Ele falou com as pessoas e discutiu com os padres. Às vezes recebia uma pancada, e uma vez ele quase foi assassinado. Mas ele continuou: em todo canto ele pregou o evangelho sobre Jesus Cristo. Só o sacrifício de Jesus Cristo nos salva.

Uma vez ele passou pela cidade de Vallagin. Foi num domingo. Os membros da congregação Católica se reuniram na igreja. Os bancos estavam cheios com os membros que ouviam as palavras latinas do padre. Outras rezavam com o rosário na mão. A porta atrás se abriu. Um homem entrou. Calmamente ele andou ao lado direito da igreja e ficou lá, olhando.

O padre continuou com o seu trabalho. Ele estava atrás do altar celebrando a missa. “Sanctus, sanctus, sanctus”, ele cantou. “Dominus Deus Sabaaoth”. E três vezes tocou a campainha. Todos os crentes se ajoelharam. O padre pegou um pedacinho do pão nas mãos, o levantou e disse: “Hoc est corpus meum”. E depois disso ele fez uma reverência, por conforme a doutrina da igreja Católica o pão tinha sido transformado no corpo de Cristo. De novo tocou a campainha. Agora todos os crentes baixaram a cabeça e fizeram uma cruz, adorando a hóstia. Deus estava no meio deles.

Naquele momento, o estrangeiro com a barba vermelha andou para a frente e disse em alta voz: “Esta hóstia, que vocês estão adorando, não é Deus, mas um pedacinho de pão, feito de trigo e água”. Todos se “esfriaram”, levantaram a...Para ler mais, clique aqui.

A clareza da água do batismo

Leitura: Domingo 29 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Um dos primeiros reformadores foi Guillaume (Guilherme) Farel. Um homem com uma barba vermelha, que pregava principalmente na Suíça e Genebra, antes de João Calvino. Eles o chamaram “O Elias dos Alpes”. Ele andava pelas montanhas e pregava em cada cidade. Ele falou com as pessoas e discutiu com os padres. Às vezes recebia uma pancada, e uma vez ele quase foi assassinado. Mas ele continuou: em todo canto ele pregou o evangelho sobre Jesus Cristo. Só o sacrifício de Jesus Cristo nos salva.

Uma vez ele passou pela cidade de Vallagin. Foi num domingo. Os membros da congregação Católica se reuniram na igreja. Os bancos estavam cheios com os membros que ouviam as palavras latinas do padre. Outras rezavam com o rosário na mão. A porta atrás se abriu. Um homem entrou. Calmamente ele andou ao lado direito da igreja e ficou lá, olhando.

O padre continuou com o seu trabalho. Ele estava atrás do altar celebrando a missa. “Sanctus, sanctus, sanctus”, ele cantou. “Dominus Deus Sabaaoth”. E três vezes tocou a campainha. Todos os crentes se ajoelharam. O padre pegou um pedacinho do pão nas mãos, o levantou e disse: “Hoc est corpus meum”. E depois disso ele fez uma reverência, por conforme a doutrina da igreja Católica o pão tinha sido transformado no corpo de Cristo. De novo tocou a campainha. Agora todos os crentes baixaram a cabeça e fizeram uma cruz, adorando a hóstia. Deus estava no meio deles.

Naquele momento, o estrangeiro com a barba vermelha andou para a frente e disse em alta voz: “Esta hóstia, que vocês estão adorando, não é Deus, mas um pedacinho de pão, feito de trigo e água”. Todos se “esfriaram”, levantaram a...Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.