T: João 1, 18

L: Domingo 8 CdH H. 24

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Acabamos de ler os artigos 8 e 9 da nossa Confissão Belga. Esses artigos falam sobre a Trindade de Deus: um só Deus, três pessoas. Artigo oito nos ensina que devemos tomar cuidado quando falamos sobre a trindade; e art. 9 nos ensina o testemunho das Escrituras sobre a trindade. Os dois artigos juntos já servem como um sermão. Então, o que ainda posso dizer para completar as palavras da nossa confissão?

Devemos saber mais sobre Deus? Podemos saber mais sobre Ele? A própria confissão diz: E, embora essa doutrina ultrapasse o entendimento humano, cremos nela baseados na Palavra e esperamos desfrutar de seu pleno conhecimento e fruto no céu.

Prestem atenção nisso, irmãos: essa doutrina ultrapassa o entendimento humano! É bom observar isso! Nós podemos observar as coisas deste mundo e tentar analisá-las, tentar entender como elas funcionam, mas o nosso Deus não é um objeto que podemos observar e analisar. Ninguém jamais viu a Deus, o Filho unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou, disse João. Nós não podemos comparar Deus com ninguém.

O profeta Isaías disse: “Com quem comparareis a Deus? Ou que coisa semelhante confrontareis com ele? Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável!”

“Deus é grande e não o podemos compreender, disse Eliú a Jó (Jó 36,26). Deus ultrapassa o entendimento humano. Ele é sempre maior. Ele é Deus.

Isso não quer dizer que é impossível conhecer Deus, mas o nosso conhecimento tem limites. O nosso conhecimento é um dom de Deus. O nosso conhecimento é baseado na Revelação de Deus. Deus só pode ser conhecido por Deus mesmo. O nosso conhecimento vem...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1B

 

A) Introdução;

O primeiro domingo tem uma dificuldade se você quiser prega-lo inteiramente, porque ele tem duas partes que estão ligadas uma com a outra, mas o conteúdo delas é bem diferente. Por causa disso separei estas partes. A segunda pergunta e resposta merece um tratamento especial, porque encontramos pela primeira vez a divisão do Catecismo em três partes: Miséria, Salvação e Gratidão.  Esta divisão é uma chave hermenêutica, que abre as escrituras.

Lutero encontrou uma chave desse tipo quando descobriu que o crente é salvo pela fé em Cristo Jesus; os professores de Heidelberg encontraram outra chave, que também ajuda a entender as sagradas escrituras.

 

B) Tema;

O catecismo pergunta aqui: o que você deve saber para viver e morrer nesse fundamento? O crente precisa saber de algumas coisas; então a questão é conhecimento; aqui se fala sobre os elementos básicos da fé cristã; O catecismo quer nos ensinar como teremos a segurança da fé.

 

C) A Luz das Sagradas Escrituras;

Os professores de Heidelberg foram iluminados pelo Espírito Santo quando colocaram todos os elementos básicos da fé numa estrutura lúcida: tem que se ter conhecimento de sua miséria, de sua salvação e de sua gratidão. Esta estrutura parece um pouco artificial, mas eles aprenderam isso pelas sagradas escrituras, porque a estrutura da Bíblia é assim. Pensem na estrutura geral da Palavra de Deus: o Antigo Testamento nos ensina sobre a nossa miséria, os Evangelhos nos ensinam a nossa Salvação, e as epístolas dos apóstolos nos ensinam a nossa gratidão. Deixa me explicar isso um pouco.

            O antigo testamento nos ensina a nossa miséria. Isso já começa em Gênesis 3, onde lemos que o homem caiu em pecado. Essa é a nossa miséria: o pecado! Adão e Eva pecaram e a natureza pecaminosa se espalhou pelos seus filhos e netos: por todo gênero humano. Os primeiros capítulos do livro de Gênesis mostram isso. O resultado disso foi o dilúvio, que limpou a terra e destruiu a sociedade perversa. Mas Deus salvou Noé e a sua família. Deus ia começar de novo com eles. Uma nova geração. Mas logo depois nós descobrimos que o pecado estava também na arca de Noé; o pecado estava no coração de Noé e dos seus filhos. Noé caiu em pecado e os seus filhos e netos ...Para ler mais, clique aqui.