Leitura: Domingo 19

Texto: Efésios 4, 7-16

Queridos irmãos/irmãs,

O Domingo 19 do nosso Catecismo explica a parte do nosso Credo Apostólico que diz que Cristo Jesus “subiu ao céu e está sentado à direita de Deus Pai, o Todo Poderoso; donde há de vir a julgar os vivos e os mortos”. Quer dizer: este Domingo está cheio de assuntos: Fala sobre o Reino de Deus, O Governo de Cristo, a volta de Cristo e o último Julgamento. E ligado a isso há outros assuntos, como, por exemplo, a questão de se Cristo voltará duas vezes; uma vez para estabelecer o Milênio - o governo dele que durará mil anos -, e outra vez para destruir todos os seus inimigos. Os pós-milenistas e os pré-milenistas têm opiniões bem detalhadas sobre isso. O catecismo não toca nesse assunto, então não vou entrar nesse debate, nem quero falar sobre o futuro, mas quero me limitar ao presente. O que o Reino de Cristo significa para nós, hoje?

 

1. Cristo é Rei. Ele tem todo poder!

 

Hoje em dia muitas pessoas têm dúvidas sobre isso. Elas sabem que a Igreja confessa isso, mas elas não experimentam isso em sua vida. Cristo é rei. Okay! Mas ele tem também poder? Há reis que vivem em exílio. Oficialmente ele tem o direito de ser rei, mas de fato ele não tem nenhum poder, porque foi expulso e vive fora do seu país. Um rei em exílio.

A situação de Jesus Cristo se parece com essa para muitas pessoas. Elas podem acreditar que ele tem o direito de ser rei, mas ele não tem poder. Porque SE tiver todo poder, no céu e na terra, o mundo não deveria ser diferente? Melhor? Se alguém chega ao poder, ele vai mudar as coisas de acordo com a sua política. Ele recebeu toda autoridade, e de acordo com essa autoridade ele governa. Não é assim?

Sim, normalmente funciona assim, mas nem sempre. Pode ser que o rei se esforça ao máximo para fazer coisas boas, mas há uma oposição que é resistente. E a resistência pode ser tão grande que ele não consegue realizar seus planos. Essa possibilidade existe. Veja a situação política aqui no Brasil. Temos um presidente que quer realizar seus planos, mas há também muita resistência da oposição... Para ler mais, clique aqui.

T: Apocalipse 12, 7-12

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

O mundo é igual a um palco. Nós observamos o que está acontecendo no palco, mas há também coisas que acontecem atrás das cortinas. Essas coisas são encobertas. Nós podemos observar por meio do jornal e da televisão o que está acontecendo neste mundo, mas não podemos ver as coisas invisíveis; o mundo tem um lado visível e um lado invisível. O lado espiritual.

Os evangelhos nos mostraram o lado visível de Natal. O Apocalipse nos mostrou o lado invisível de Natal. A guerra nos corredores de Natal. A batalha espiritual entre o Dragão e o Filho de Deus. Esta guerra começou no Paraíso e continua até hoje.

Houve uma batalha na terra no dia de Natal: o Dragão tentou matar o Filho, mas o Filho foi arrebatado para o céu; quer dizer que  o campo de batalha se mudou para o céu; porque depois disso o apóstolo João recebeu uma outra visão, que lhe mostrou a batalha que houve no céu: Miguel e os seus anjos pelejaram contra o Dragão e os seus anjos.

 

OS PRIMEIROS ATOS DO GOVERNO DE JESUS CRISTO, QUE TEM O CETRO DE FERRO.

ESSES ATOS TÊM CONSEQUÊNCIAS PARA:
  • MIGUEL E OS SEUS ANJOS;
  • O DRAGÃO E OS SEUS ANJOS;
  • A IGREJA DE CRISTO

 

Miguel e os seus anjos

Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão.

De repente aparece outra cena e outra personagem: Miguel e os seus anjos.

Este Miguel não é um anjo desconhecido.  Já ouvimos falar sobre ele anteriormente.

O profeta Daniel falou sobre este Miguel (em Daniel 10 e 12). Este Miguel é um anjo importante. Ele é chamado (Daniel 12,1) o Grande príncipe, o defensor dos filhos de Israel.  A tarefa dele é proteger os filhos de Israel contra os ataques dos anjos do inimigo.  Em Daniel 10 um homem do céu  apareceu a Daniel e lhe diz que se atrasou porque o príncipe do mal, que dominava o reino da Pérsia, lhe resistiu por vinte e um dias, mas Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar, e assim o homem teve a vitória sobre os reis da Pérsia.

Lendo isso, podemos concluir que Miguel é um anjo especial. Um líder. Um príncipe. Um dos primeiros. E a tarefa dele é proteger os filhos de Israel. Isso explica porque ele aparece aqui.  Porque um dos filhos de Israel, Jesus Cristo, está ameaçado. Ele foi arrebatado ao trono, mas parece que o Dragão e os seus anjos foram atrás dele...Para ler mais, clique aqui.