Skip to content

Berichten getagd ‘Batismo’

Os pais devem zelar pelo batismo de seus filhos.

Texto: Efésios 6, 1-4                                

Leitura: Domingo 27 CdH

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

“O batismo infantil é a maior e principal abominação do Papa”.

Assim fala o primeiro artigo da primeira confissão que os anabatistas adotaram na cidade de Schleitheim, em 1527. Eles rejeitaram radicalmente o batismo infantil. De acordo com os anabatistas:

"O batismo deve ser dado a todos aqueles que se arrependem e mudam de vida, e que verdadeiramente acreditam que seus pecados são levados por Cristo, e a todos aqueles que andam na ressurreição de Jesus Cristo, e que desejam ser sepultados com Ele na morte, para que possam ser ressuscitados com Ele, e para todos aquele que, com esta compreensão, o pedem a nós e o procuram para si. Isso exclui todo batismo infantil, a maior e principal abominação do Papa”.

O movimento dos anabatistas foi um movimento radical que se espalhou em toda a Europa na época da Reforma. Tanto a igreja de Roma, como também os Luteranos e as igrejas Reformadas conheciam o batismo infantil. Mas os anabatistas o rejeitaram rigorosamente.

Em 1543 houve um grande tumulto na igreja de Cornaux (perto de Neuchatel, na Suiça), quando o pastor quis batizar uma criança. Uma pessoa que estava no meio da congregação se levantou, gritou e disse: “Onde está escrito nas Sagradas Escrituras que as crianças devem ser batizadas?”. Prestem atenção que naquela época a igreja reformada ainda não conhecia o Catecismo de Heidelberg, nem a forma do Batismo, que seria feita vinte anos depois, em 1563.

Essa pergunta - Onde está escrito nas Sagradas Escrituras que as crianças devem ser batizadas?- se repetia várias vezes nas discussões com os anabatistas. Eles sempre faziam esta pergunta e provavelmente por causa disso os professores reformados de Heidelberg colocaram uma resposta sobre o batismo infantil no...Para ler mais, clique aqui.

A clareza da água do batismo

Texto: Vários Textos    

Leitura: Domingo 26 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Hoje vamos falar sobre o Batismo, que é o primeiro sacramento da Igreja; e quero começar com uma pergunta. Uma pergunta simples. Esta: devemos sempre batizar com água, ou podemos também batizar com leite ou com vinho? Deixe-me fazer mais uma pergunta. Se devermos batizar com água, deve ser pura, ou pode ser água “suja”? Deve ser água da torneira, ou pode ser água de um rio? E tenho mais outra: precisamos de muita água, ou pode ser apenas um copo? Deve ser por imersão ou por aspersão?

São muitas perguntas. Perguntas sobre detalhes; pequenos detalhes do batismo. E existem pessoas que dizem que não devemos nos preocupar sobre estes detalhes: o Batismo é só um símbolo. O que é mais importante é o conteúdo do Batismo. Mas por outro lado existem também pessoas que enfatizam que o Batismo é um sacramento! E eles acham estes detalhes muito importantes. Existem pessoas que dizem que o Batismo por aspersão (com pouca água) não é um verdadeiro Batismo; e existem pessoas que dizem que o Batismo com água contaminada também não é, deve ser água pura.

Pequenos detalhes podem se tornar grandes problemas. Por causa disso é bom abrir a palavra de Deus e observar o que ela nos ensina sobre estas questões. Vamos falar sobre:

A CLAREZA DA ÁGUA DO BATISMO

  • A necessidade da água;
  • A santidade da água;
  • A qualidade da água;
  • A quantidade de água.

 

A NECESSIDADE DA ÁGUA

Devemos sempre batizar com água? É necessário usar água? Não podemos usar outro líquido? Esta pergunta parece um pouco doida, irmãos, eu sei; mas se vocês começam a pensar sobre esta pergunta, e se procurarem uma resposta, vocês podem se surpreender um pouquinho.

Vou dar um exemplo. Quando Jesus instituiu o Batismo, ele não disse que devemos batizar com água. Ele simplesmente disse: “Ide e fazei com que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt. 28, 19 e Mc. 16, 16). Ele não falou sobre água ou qualquer outro líquido. Nós sabemos que no dia de Pentecostes 3.000 pessoas se converteram e foram batizadas, mas a Bíblia não revela COMO elas foram batizadas.

Uma pessoa pode dizer: Mas a Bíblia fala sobre João Batista. Ele batizou as pessoas em água. A água do rio Jordão. Pois é. Isso é verdade, mas o mesmo João, falando sobre o Messias, disse às pessoas (Mc. 1, 8): “Eu vos tenho batizado com água; Ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo”.! Parece que João falou sobre um outro Batismo. O Batismo com o Espírito Santo.

De fato, há vários batismos na Bíblia (Hb. 6, 2!): Existe um Batismo de João Batista, com água; existe um batismo com o Espírito Santo; existe um batismo com fogo (Mt. 3, 11); existe um batismo com sangue; existe um batismo com a morte (Lc. 12, 50); existem vários tipos de batismo...Para ler mais, clique aqui.

Os nossos filhos são santificados em Jesus Cristo

Texto: 1 Coríntios 7: 14

Leitura: 1 Co 7: 1-16

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Quero começar com uma pergunta: Por que batizamos os filhos dos membros de nossa igreja? Porque eles NÃO têm pecado? Não! As crianças não são batizadas porque elas são consideradas SEM PECADOS. Então, qual é o motivo? Por que elas têm fé? As crianças são batizadas por causa da fé delas, conforme as palavras do Senhor (Mc. 16: 16): “Quem crer e for batizado será salvo”? Não, irmãos, não por causa disso, pois uma criança não tem fé, mas apesar disso, elas devem ser batizadas. Por quê? Sobre isso quero falar neste sermão. O nosso texto (1 Co. 7: 14) é muito importante neste ponto. O texto nos ensina:

OS NOSSOS FILHOS SÃO SANTIFICADOS EM JESUS CRISTO

 

O que isso significou para a congregação de Corinto?

O que isso significa para as nossas congregações hoje?

 

Bom, irmãos, para entender este texto devemos entender a situação da congregação de Corinto. Sabemos que o apóstolo Paulo instituiu várias igrejas durante as suas viagens missionárias. Uma igreja em Éfeso, outra em Roma, mais uma em Corinto e muitas mais. E cada vez ele ficava algumas semanas ou alguns meses nestas cidades para trabalhar e depois disso ele continuava a sua viagem. Procurando um lugar novo.

Ele deixou as congregações, mas o contato continuou. Pois o apóstolo escreveu regularmente cartas às congregações. E nestas cartas ele tratou da vida da congregação. A carta de Paulo aos Coríntios é deste tipo. Várias coisas são tratadas nesta carta. Coisas concretas, como neste capítulo 7, onde Paulo fala sobre vários aspectos DO CASAMENTO.

Parece que a congregação mandou uma pessoa ou uma carta com várias perguntas. E nesta carta Paulo dá resposta às perguntas. Paulo dá regras sobre o comportamento dos casais (1-7); Ele avisa aos solteiros e às viúvas (8-9). Ele repreende aquelas que são separadas (10-11) e finalmente ele trata nos versículos 12-16 o PROBLEMA DUM CASAMENTO ENTRE UMA CRENTE E UM DESCRENTE. Provavelmente se trata dum casamento que já existia antes. Duas pessoas se casaram; mas depois dum certo tempo UM DELES se tornou crente. Ela se converteu e o marido permaneceu descrente.

A pergunta que Paulo recebeu sobre este assunto foi mais ou menos assim: O que o crente deve fazer nesta situação? Pois um crente vive diferente do que um descrente; um crente deve se afastar do mundo impuro com os seus costumes errados. ...Para ler mais, clique aqui

Os sacramentos são sinais das promessas de Deus.

T: Efésios 5, 4-33

L: Domingo 25 CdH

             

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Nas semanas que vêm quero pregar sobre OS SACRAMENTOS: o batismo e a santa-ceia. É bom falar sobre o uso certo dos sacramentos, pois existem muitas diferenças entre as igrejas a respeito disso. A Igreja Católica trata os sacramentos como se tivessem um poder mágico; as Pentecostais desprezam os sacramentos; há ogrejas evangélicas que se recusam a usá-los, dizendo que não precisamos deles; o Exército da Salvação, que trabalha muito na área social, no meio dos pobres, não administra os sacramentos; não querem saber de nada sobre isso, pois acham que os sacramentos causaram muitas brigas entre as igrejas e entre os crentes.

E neste ponto eles têm razão, mas o problema não está nos santos sacramentos que Cristo nos deu, e sim nas pessoas impuras, que desprezaram as coisas santas. O sacramento é bom, mas muitas pessoas o tratam mal. Deus nos deu os sacramentos e devemos honrá-los; e faremos isso se entendermos POR QUE Deus nos deu estes sacramentos.

Vou mostrar isso com um exemplo simples que todo mundo pode entender. Vou comparar o sacramento com um anel. O anel de casamento. Este anel tem um certo valor. Não estou falando sobre o valor de ouro desse anel; pois ele vale mais do que o ouro pode me dar. Este anel é um SINAL e um SELO da aliança que foi feita entre mim e a minha esposa. No dia do nosso casamento fizemos uma aliança. Eu e ela. E nós fizemos promessas naquele dia. Prometi ser fiel a ela. Em todos os dias da minha vida. Nos dias bons e nos dias ruins. Na riqueza e na pobreza. Na saúde e na doença. Este anel me lembra daquele momento, pois dentro dele está gravado o nome da minha esposa, o dia do nosso noivado e o dia do nosso casamento.

Assim o anel funciona com um SINAL. O anel me lembra do dia do meu casamento. O anel me lembra das promessas da minha esposa; me lembra do amor dela. Um sinal e um SELO; pois no fim da cerimônia nós trocamos os anéis. Eu dei um a ela e ela me deu outro igual. Dois anéis iguais que fecharam e marcaram a cerimônia da nossa aliança.

Agora, irmãos, uma pergunta. Por que os casais trocam anéis? Não pode fazer essa cerimônia sem anéis? Sim, pode! Mas todo mundo vai sentir falta da troca de anéis, pois o anel tem um certo valor. Um casamento sem anel é como uma festa sem bolo. Um churrasco sem carne. Faz parte do casamento. O anel é o SINAL e o SELO do casamento.

Pois se um homem vai passear sozinho e, antes disso, ele tira o anel e o coloca em sua carteira, todo mundo vai pensar algo. Por que ele não quer andar com es...Para ler mais, clique aqui

A verdade sobre o batismo do Espírito Santo

Texto: Atos 8: 14-17

Leitura: Mateus 13: 1-23

 

Queridos irmãos,

Atos 8, 14-17, é um texto muito importante! Pois baseado neste texto muitas igrejas pentecostais defendem que o batismo do Espírito Santo é para toda a igreja, e não somente para os primeiros discípulos de Jesus. Mas será que elas têm razão?

Hoje vamos ouvir o que a palavra de Deus diz a respeito do batismo do Espírito Santo neste texto. Eu podia ser bem rápido e dizer: NADA! Sim, NADA! O texto não diz nada sobre o batismo do Espírito Santo como as igrejas pentecostais pensam.

Já posso ver que alguns irmãos se surpreendem sobre isso, então devo dizer mais do que somente NADA. Então, vamos observar a Palavra de Deus mais cuidadosamente. Mas deixa me dizer logo alguma coisa: o texto não é fácil, então precisa da sua atenção!

A primeira coisa que devemos fazer é nos livrar de todos os pressupostos! Sim, todos os pressupostos, pois existem várias ideias pressupostas a respeito deste texto.  Um dos pressupostos é que o povo de Samaria aceitou a palavra de Deus e recebeu o Espírito Santo; consequentemente as igrejas pentecostais usam este texto para falar sobre o batismo do espírito Santo, que vem depois do batismo; elas enfatizam a diferença entre a fé E o batismo do Espírito Santo.

A igreja de Roma usa este texto duma maneira similar, mas em vez de falar sobre o batismo do Espírito Santo, ela fala sobre a crisma. Ela usa este texto para mostrar que existe uma diferença entre o batismo e a crisma.

Agora, ambos têm o pressuposto de que os Samaritanos eram verdadeiros crentes. Mas será que isso é a verdade? Os Samaritanos eram verdadeiros crentes?...Para ler mais, clique aqui.

 

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top