O SEGUNDO MANDAMENTO diz: Não farás nenhuma imagem para adorar a Deus.

Leitura: Domingo 35

Texto: Êxodo 20, 4-6

 

Irmãos, irmãs,

Hoje eu trouxe a minha Bíblia de infância. A minha mãe sempre lia as histórias desta Bíblia para mim. Ouvi as histórias e vi as imagens. E, assim, aprendi as histórias de Adão e Eva, de Davi e Golias, de Jesus e seus discípulos. Aprendi muito, e fiz a mesma coisa com os meus filhos. [Arielle] recebeu uma Bíblia para crianças na escola, e essa Bíblia conta as histórias, e tem, também, imagens!

Agora, eu ouvi dizer que isso não é bom. É pecado, porque é contra o segundo mandamento, e o segundo mandamento proíbe as imagens. Será que isso é verdade, irmãos? O que diz o segundo mandamento? O SEGUNDO MANDAMENTO diz: Não farás nenhuma imagem para adorar a Deus. O primeiro mandamento diz: Não terás outros deuses diante de mim; o povo não poderia adorar a outros deuses. O segundo mandamento diz: Não farás nenhuma imagem para adorar a Deus; o segundo mandamento fala sobre a forma da adoração: não deve ser por meio de imagens. E o terceiro mandamento fala sobre o Nome de Deus, que devemos usar em nossa adoração, enquanto o quarto mandamento fala sobre o dia da adoração, o Dia do Senhor. Então, todos os primeiros mandamentos se concentram na verdadeira adoração a Deus. De acordo com a vontade de Deus.

O SEGUNDO MANDAMENTO diz: Não farás nenhuma imagem para adorar a Deus.

  • O segundo mandamento e o ciúme de Deus;
  • O segundo mandamento e o culto a Deus;
  • O segundo mandamento fora do culto.

 

Estou aqui com meu iPhone, irmãos. Posso fazer fotografias com meu iPhone. Posso fazer uma fotografia de vocês. Posso, também, fazer uma fotografia de Deus? Não, não posso! Porque não? Porque Deus não existe? Sim, existe! Porém, Ele não é visível. Ele é espírito. Ele é invisível. Paulo diz, em 1 Timóteo 5, 16: “Ele é o único que possui imortalidade, que habita em Luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver.” Homem algum jamais o viu, disse Paulo. Será que isso é verdade? E Moisés e Elias?  

Veja Êx. 33, 17 etc. Moisés viu a glória de Deus, mas não viu a face de Deus, porque Deus disse: Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá. Então Deus se esconde de nós. Ele se escondeu de Moisés. Moisés o viu de costas, mas não viu sua face.

E o povo não viu Deus ao pé do monte Sinai? Dt. 4, 11-12: “Então, chegastes e vos pusestes ao pé do monte; e o monte ardia em fogo até ao meio dos céus, e havia trevas, e nuvens, e ... Para ler mais, clique aqui.

A fé crê no que Deus promete.

Leitura: Domingo 23 CdH

Texto: Hb 11, 1-19, 32; 12, 2

 

Amados irmãos e irmãs em Cristo Jesus!

 

Que proveito tem a sua fé?

Já pensou nesta pergunta em sua vida?

Que proveito me traz a minha fé?

Vamos pensar nesta pergunta hoje de manhã.

O Domingo 23 começa com esta pergunta.

Que proveito tem a sua fé?

 

A resposta do Catecismo é bíblica, porém não é a resposta que a maioria das pessoas daria. Imaginem que eu fizesse esta pergunta a qualquer pessoa aqui na igreja: qual seria a sua resposta? Que proveito traz a sua fé? Como seria a sua resposta? Pensem nisso, por um momento... Acredito que a sua resposta espontânea seria bem diferente do que a do Catecismo. Sabe porquê? Porque a maioria das pessoas pensam na questão de como a sua fé funciona em sua vida. Então, a resposta terá um elemento subjetivo. Que proveito traz a minha fé? Isso tem a ver com as circunstâncias da sua vida. E a vida de cada um é diferente.

E pode ser que, por causa disso, algumas pessoas nem saibam responder esta pergunta. Muitos jovens ficam embaraçados com esta pergunta e não sabem dar uma resposta. Que proveito tem a minha fé? A fé muda a minha vida? A minha fé me ajuda? A fé me traz consolo?  Não sabem, porque não sentem nada. E isso depende, também, do conteúdo da fé. No que você crê?

O nosso Catecismo é bem prático e nos obriga a parar por um momento para pensar sobre a nossa fé. Ele começou a falar sobre a questão da fé em Domingo 7. Vamos ler este Domingo [-]. Depois disso, o Catecismo explicou todo o Credo Apostólico. E, finalmente, chega ao Domingo 23 e pergunta: Mas que proveito tem a sua fé? Esta pergunta... Para ler mais, clique aqui.

Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes?

Leitura: Domingo 20

Texto: Atos 19, 1-7

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Quando nós comparamos o nosso catecismo com as escrituras, nós notamos que este fala de um modo geral sobre o dom do Espírito Santo. Qualquer crente nas Igrejas Reformadas confessa o seguinte a respeito do Espírito Santo:  Creio que ele foi dado também a mim. Por uma verdadeira fé, ele me torna participante de Cristo e de todos os seus benefícios. Ele me fortalece e fica comigo para sempre.

Essa ideia se baseia numa pergunta que Paulo fez quando encontrou alguns discípulos na cidade de Éfeso. Ele lhes perguntou: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes?  Essa pergunta dá a impressão de que qualquer crente deve receber a experiência do poder do Espírito Santo quando começa a crer em Jesus. Se, naquela época, o Espírito Santo só era dado a algumas pessoas, porque o apóstolo conecta o dom do Espírito Santo com a fé, que é dada a todos os crentes?

Então, baseando-me no testemunho do Catecismo, e ainda mais no testemunho do texto da Bíblia que encontramos em Atos 19, eu posso perguntar a todos vocês: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes? Todos nós confessamos, de acordo com o catecismo: Creio, sim, que ele foi dado também a mim.

Mas a questão é: como? Você sabe? Já falou em línguas? Será que você deve falar em línguas como os doze discípulos de Paulo falaram? Muitas perguntas! Vamos ficar com a pergunta principal: Recebestes, porventura, o Espírito Santo quando crestes? Antes de responder esta pergunta, quero dizer algumas coisas sobre ela:

  • Sobre o contexto dessa pergunta;

  • Sobre o conteúdo dessa pergunta;

  • Sobre a resposta a essa pergunta;

Vamos, primeiro, observar o contexto dessa pergunta.

O contexto dessa pergunta é a obra missionária do nosso Senhor Jesus Cristo. Antes de subir ao céu, Jesus deu seu mandato missionário aos seus apóstolos e lhes deu uma promessa (Atos 1,8), dizendo: recebereis poder ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas...Para ler mais, clique aqui.

Deus dá aulas aos noivos e casais.

Leitura: Gn 2 + Mt 19, 1-12

Texto: Domingo 41

 

Irmãos,

Os dez mandamentos são dez regras de amor. Pelos mandamentos Deus nos ensina como devemos O amar e como devemos amar o nosso próximo. Dez regras de amor. E a regra mais violada é a sétima regra: Não adulterarás. Se a vida fosse um jogo de futebol, muitos jogadores receberiam a cartão vermelho por não terem respeitado essa regra.

O sétimo mandamento é o mandamento que controla toda vida que está relacionada com o casamento. Toda vida antes do casamento, e toda vida dentro o casamento. E nessas áreas muitas pessoas não respeitam as regras. Elas fazem o que querem. Vou dar alguns exemplos:

Uma pesquisa entre jovens de várias igrejas mostrou que a maioria dos noivos perdeu a sua virgindade já antes do dia do seu casamento. Relações sexuais antes do casamento são consideradas normais para muitos jovens. Se os médicos, ou as farmácias publicarem uma lista das pessoas que usam preservativos, muitos pais ficariam chocados, descobrindo que a própria filha está usando essas coisas. E se os pais proíbem o uso dessas coisas, muitos jovens compram em segredo, pois é muito fácil obter preservativos.

Na área da sexualidade, cada um vive conforme as suas regras, e provavelmente porque os pais nunca falaram sobre as coisas relacionadas com a sexualidade. É assim em muitas casas. Os pais não falam sobre este assunto. Eles têm vergonha de falar. Há uma atmosfera tensa e misteriosa se os pais tocam neste assunto. Muitas vezes os filhos devem descobrir essas coisas sem ajuda dos pais. Os pais não ensinam os seus filhos. Então, onde os filhos aprendem os segredos da sexualidade? ... Para ler mais, clique aqui.

A sexta petição é um grito ao Pai celestial de um mundo escuro!

 

Texto: Vários textos                         

Leitura: Domingo 52

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Provavelmente cada pessoa aqui pode lembrar-se de um pesadelo, que atrapalhou o seu sono. Às vezes as crianças sofrem disso. Elas vão pra cama e se deitam em paz, mas quando o sono está chegando, aparecem também sonhos horríveis. Elas acordam assustadas, molhadas de suor, tensas; e ao se acordar, não tem coragem de abrir os olhos, os ouvidos controlam intensamente o quarto para detectar sinais que dão confiança; mas não há nenhum barulho; há um silêncio; um silêncio profundo; um silêncio assustador; então ela abre os olhos... cuidadosamente; mas não pode ver nada; tudo é escuro, muito escuro; ela se sente presa nesta escuridão, que deixa o seu quarto estranho; se sente só nesta escuridão; onde está todo mundo?

Onde está papai? Onde está mamãe? Será que eles ainda estão em casa? O medo entra na sua cabeça e um choro sai da escuridão: Painho! Tudo fica em silêncio. E de novo o choro sai e mais uma vez: Painho! Painho! Até que a porta se abre, a luz se acende e por um véu de lágrimas ela reconhece o seu pai, que se ajoelha ao lado da cama para consolar o seu filho assustado.

Quem não reconhece esta cena? É uma cena que combina muito bem com esta sexta petição. Nesta sexta petição uma criança chora para seu pai que está no céu. Os filhos de Deus se sentem ameaçados, sozinhos e com medo. Mas não é por causa de um sonho mau; não é por causa de um pesadelo, mas por causa da REALIDADE.  A vida de cada dia é um pesadelo e por causa disso os ... Para ler mais, clique aqui.

Devemos perdoar todos os pecadores?

 

Texto: Jeremias 18: 23; Mt. 6: 12.14; Apocalipse 6: 9

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Jesus nos ensinou a orar: Perdoe-nos os nossos pecados. Parece que esta oração é uma regra geral; Parece que nós sempre devemos perdoar os pecados dos outros. Será que esta mensagem é verdade, irmãos? Se for assim, como combina esta oração com a oração do governador Nehemias (3: 17) ou com a oração do profeta Jeremias? Eles oraram a Deus e disseram: não perdoes seu pecado e que sua iniqüidade e seu pecado não sejam cancelados diante de ti! A oração deles está oposta à oração de Jesus. Podemos orar assim, dizendo: Não perdoes seu pecado? Ou devemos seguir a oração de Jesus e sempre perdoar?

O Espírito de Deus nos ensina que devemos não somente pedir o perdão dos pecados, mas também condenar os pecados.

  • A oração de Jeremias, que condenou os pecados;
  • A oração de Jesus, que pediu perdão dos pecados;
  • A oração dos santos, que clamaram pela justiça de Deus;

 

Sempre devemos observar o contexto das palavras de uma pessoa. Duas pessoas podem dizer a mesma coisa, mas num contexto diferente; Ou duas pessoas podem dizer coisas opostas, mas também em situações diferentes.

Jeremias era um profeta de Deus. Deus o mandou profetizar. O Espírito de Deus estava nele e lhe revelou as palavras que Jeremias devia dizer ao povo de Israel. Aqui em Capítulo 18 Deus mandou Jeremias visitar a casa do oleiro. Ali ele recebeu uma visão. Deus lhe revelou que Ele é como o oleiro e o povo de Israel é o barro. Deus pode fazer alguma coisa boa do seu povo. O oleiro pode formar um vaso belo, se o material é mole e deixa se formar. Deus quer dizer: Se o meu povo é mole e se ARREPENDE, Eu posso transformá-lo num povo santo. Mas se não, não tenho outra opção do que destruí-lo. Vs. 11 diz: Assim diz Jahweh: Eis que eu preparo contra vos uma desgraça e formulo contra vós um plano. Converta-se, pois, cada um do seu caminho perverso; Melhorai vossos caminhos e vossas obras!

Esta foi a mensagem de Jeremias, mas os habitantes de Jerusalém fecharam os ouvidos. Eles não queriam obedecer. Eles reagiram da maneira seguinte, dizendo (vs. 12): Para de falar! É inútil! Nós seguiremos nossos planos; cada um agirá conforme a obstinação de seu coração malvado! ... Para ler mais, clique aqui.

O pão nosso de cada dia dá nos hoje!

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Podemos pedir tudo a Deus? Se observarmos a oração de uma criança, talvez possamos ter essa impressão. Sem vergonha elas pedem todas as coisas que elas gostam e querem para si mesmas ou para os outros. Elas têm uma lista com os seus desejos, que elas levam ao trono de Deus. Por um lado isso é muito bonito, mas por outro lado devemos nos perguntar: é assim que Deus quer? Podemos pedir tudo a Deus? Uma criança faz isso sem problemas, mas um adulto tem problemas com isso. Pois um adulto já descobriu que pode pedir tudo, mas isso não quer dizer que ele receberá TUDO. Haverá um momento que uma pessoa descobre que ela pode receber quase tudo por meio do seu trabalho, mas não por meio da sua oração.

Presta atenção: os idosos pedem muito menos de Deus, do que os seus filhos ou os seus netos. Então, podemos pedir tudo a Deus? Sim, diz uma pessoa; e a segunda confirma isso, mas acrescenta: não pense que vai receber tudo; e a terceira diz NÃO! Não pode pedir tudo. Isso é falta de educação e egoísmo! As nossas crianças devem aprender que elas não podem ser egoístas. O mundo é muito maior do que a vida delas. Elas não são as únicas pessoas neste mundo. Nós temos os nossos planos e desejos, mas Deus tem os seus planos que são muito mais importantes que os nossos; e acima disso: há muitas outras pessoas neste mundo.

Podemos pedir tudo? Isso não é uma pergunta fácil, irmãos! Não foi sem motivo que os alunos de Jesus lhe pediram: Senhor, ensina-nos a orar! Ensina-nos o que podemos pedir a... Para ler mais, clique aqui.

Seja feita a tua vontade e não a minha!

Texto: Domingo 49

Leitura: Mt 26, 36

 

Irmãos,

Realiza-se a tua vontade. Essa é a terceira petição que devemos fazer a Deus. Realiza-se a tua vontade. Jesus nos ensinou essa petição, sabendo que ela é muito importante. Ele mesmo a orou, um pouco antes de morrer. Realiza-se a tua vontade. Jesus nos mostrou que essa oração não é fácil. Essa petição é uma luta. Uma luta para cumprir a vontade de Deus. Jesus mesmo disse: “Não como EU quero, mas como TU queres”. (Mt. 26,36).

A nossa vontade E a vontade de Deus. Muitas vezes essas duas não estão de acordo. Jesus experimentou isso, e muitas vezes nós também experimentamos.

Realiza-se a tua vontade. Mais uma vez: Jesus nos mostrou que essa oração não é fácil. Essa petição é feita com muito medo e com muitas dúvidas. É uma oração que é feita para descobrir o caminho certo, enquanto o futuro está escuro. É uma oração que é feita nos cruzamentos da nossa vida; antes de fazer uma decisão importante. Vamos fazer o que Deus quer OU o que os outros querem? Aqueles outros podem ser os nossos familiares, ou os nossos amigos, ou os nossos colegas.

Muitas vezes a vontade dos outros não combina com a vontade de Deus. Jesus não escolheu o caminho que os seus discípulos e os seus familiares tinham escolhido. Ele os deixou para fazer a vontade do Pai; para ser obediente, custe o que custar. Esse caminho ia levá-lo à cruz, a morte. A vontade de Deus estava em primeiro lugar na vida de Jesus.

E Ele quer que isso esteja também em primeiro lugar em nossa vida. Por isso essa oração.

Realiza-se a tua vontade, tanto na terra, quanto no céu.

Mas o que é a vontade... Para ler mais, clique aqui.

Jesus nos ensinou o poder da segunda petição: Venha o teu Reino

Texto: Domingo 48

Leitura: Mt 6

Irmãos,

“Venha o teu Reino”. Essa é a segunda petição que Jesus Cristo nos ensinou. “Venha o teu Reino”. Isso quer dizer o Reino de DEUS! Jesus Cristo nos ensinou a pedir por isso. “Venha o TEU Reino”. Não o NOSSO Reino, mas o Reino de DEUS!

Muitas pessoas, quando oram, pensam antes de tudo no seu reino. Elas só estão preocupadas com isso. Elas estão trabalhando, poupando, se enriquecendo, para comprar um terreno, para construir uma casa, para melhorar a qualidade da sua vida, para conseguir uma posição melhor neste mundo, na sua empresa, para ganhar mais dinheiro, para comprar um carro, para comprar um terreno na praia. São coisas que todo mundo gosta e que todo mundo está procurando. Construir o seu próprio reininho.

Jesus pregou seu sermão em Mateus 6especialmente a respeito disso. Ele falou sobre o verdadeiro tesouro, que não é o tesouro na terra, mas o tesouro no céu; e depois disso ele falou sobre todas as coisas que nos preocupam na vida: comidas, bebidas e roupas. E no fim ele disse: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas. Pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas. Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

Buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça. Jesus está dizendo isso à todos que estão se preocupando com as coisas deste mundo; À todos que estão preocupados com o seu reininho, ou o reino da sua empresa, ou de qualquer outro dono que está dominando a sua vida. Pode ser o... Para ler mais, clique aqui.

Santificado seja o teu Nome, ó Senhor

Leitura: Salmo 115

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Qual é o alvo principal da sua vida? Por que Deus nos criou? Ou talvez seja melhor para se perguntar: Para que Deus nos criou? Muitas pessoas não pensam nisso. Elas têm um alvo na sua vida, mas não sabem se este alvo combina com o alvo de Deus; Há pessoas pobres, que querem ser ricas; há pessoas solteiras, que querem namorar; há pessoas doentes, que querem ter saúde; e estas pessoas fazem tudo para conseguir o alvo delas; elas trabalham muito para serem ricas; elas fazem tudo para ter um namorado; ou elas gastam todo o seu dinheiro para serem curadas; Riqueza, amor e saúde são alvos poderosos na vida das pessoas. Mas estes alvos são certos? Deus criou o homem com este alvo? Qual DEVE ser o alvo da nossa vida? O Catecismo nos dá uma resposta bíblica e clara. No domingo 3 diz:

Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é,

Em verdadeira justiça e santidade

Para conhecer corretamente a Deus, seu Criador,

 Amá-lo de todo o coração

E viver com ele em eterna felicidade,

PARA LOUVÁ-LO E GLORIFICÁ-LO! 

PARA LOUVAR E GLORIFICAR A DEUS! Esse DEVE ser o alvo da nossa vida. E por causa disso Deus nos chama para louvá-lo e para glorificá-lo. Deus chama todo mundo, mas especialmente os crentes para louvá-lo. Deus nos deu salmos para estimular este louvor. Como no salmo 100: “Celebrai com júbilo ao Senhor, todas as terras. Servi ao Senhor com alegria, apresentai-vos diante dele com cântico”.  E ouvimos isso também no fim do livro dos salmos. Como no Salmo 147: “Louvai ao Senhor, porque é bom e amável cantar louvores ao nosso Deus;... Para ler mais, clique aqui.

Cristo nos ensina a confiar em NOSSO PAI, que está no céu

Texto: Lucas 11, 1-13

Leitura: Domingo 46

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Vocês já notaram que poucas pessoas chamam Deus “Pai”? A maioria das pessoas não faz isso. A maioria das pessoas diz “Querido Deus” ou “Querido Senhor” ou “Santo Deus”. Elas não usam o nome “Pai”. Elas acham isso estranho. E se observarmos as outras religiões, nós descobriremos que os crentes dessas religiões também não usam o nome “Pai”, quando oram a seus deuses.

Os muçulmanos, por exemplo, não fazem isso, enquanto têm bastantes nomes para chamar Deus. Às vezes – na televisão – podemos ver um muçulmano andando com um tipo de terço: uma corrente com 99 bolinhas pequenas e uma bolinha grande. Por que 99? Porque o Deus deles, que se chama ALLAH, tem 99 nomes. O muçulmano tem 99 nomes diferentes que ele pode usar, se quiser orar a Deus. Mas ele nunca vai usar o nome “Pai”. Eles não estão acostumados a isso: eles não conhecem este contato íntimo com Deus. Mas Cristo tem esse contato. E Cristo quer que nós também tenhamos um contato íntimo com Deus. Cristo quer nos ensinar isso.

 

JESUS CRISTO NOS ENSINA A CONFIAR EM “NOSSO PAI, QUE ESTÁ NO CÉU”.

Jesus nos ensina duas coisas:

  • Deus é o nosso Pai;
  • O nosso Pai é Deus;

 

  • Deus é o nosso Pai;

Queridos irmãos e visitantes,

Quem é Deus para vocês? [espera um pouquinho, deixe as pessoas pensarem!]

Essa é uma pergunta importante....; vocês devem pensar nisso....; antes de orar...; Quem é Deus para vocês? Quem é Deus? Como aprendeu o conhecer? O que pode esperar dele? Estas perguntas são importantes. Qualquer pessoa sente isso. Ouvindo a oração de uma pessoa, posso dizer quem é Deus para esta pessoa.

Abraão chamou Deus “El Sjaddai”. Quando ele orou para Deus, chamou Deus “El Sjaddai”. Isso quer dizer: DEUS, O PODEROSO. Assim Deus se manifestou na sua vida. Deus mostrou o seu grande poder no nascimento de Isaque. Para Abraão, Deus era o PODEROSO. Davi conhecia Deus como A SUA ROCHA, O SEU CASTELO FORTE. Enquanto o profeta Isaías conhecia Deus como O... Para ler mais, clique aqui.

A oração é necessária para todos os cristãos

Texto: Domingo 45                                      

Leitura: Lucas 11, 1-13

Queridos irmãos em Cristo,

Nas semanas que vêm vamos falar sobre a oração. O nosso catecismo acha as nossas orações muito importantes, pois presta atenção à oração durante 7 domingos. Isso mostra que a oração é importante para nós.  O catecismo diz que é necessário aos cristãos. Então, a oração é necessária. Isso quer dizer que nós não podemos viver sem a oração.

Água é necessária para viver; Pão é necessário para viver. E a oração também.

A oração é necessária para quem quer viver com Deus.

A oração é necessária para quem quer viver eternamente.

Para viver nós devemos comer cada dia. Pois é necessário.

Para viver eternamente devemos orar cada dia. Pois é necessário.

Mas como é a prática da nossa vida, irmãos, jovens, crianças?

Como está com a oração na sua vida, ou na sua família?

Você começa o seu dia com uma oração? Ou não tem tempo para fazer isso?

E no fim do dia? Antes de dormir? Há tempo para falar com Deus ou está cansado demais? Quem consegue imitar o exemplo do profeta Daniel que três vezes por dia se punha de joelhos para orar e louvar a Deus (Daniel 6,11)?

Em poucas palavras: Que importância tem a oração para vocês, irmãos? Reconhecemos que a oração é verdadeiramente necessária para nós? Ou devemos admitir que a oração está no último lugar da nossa agenda. Antes disso, temos que fazer muitas outras coisas: dormir, acordar, comer, correr, trabalhar, comer, relaxar, se reunir, assistir televisão, dormir de novo, e antes disso, um pouco antes de dormir sentimos a necessidade de orar; no último momento do dia, quando já estamos muito... Para ler mais, clique aqui.