L: Ec. 12, 1-8

T: Ec. 11,9-12,8 + 2 Co. 5,1-10

 

Queridos irmãos, irmãs, em Cristo,

 

[Nesta semana estive no velório de Izabel, a irmã da nossa irmã Raquel.

Naquela ocasião li o texto de Eclesiastes 7, 2.]

“Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete,

pois naquela se vê o fim de todos os homens e os vivos que o tomem em consideração”.

Na casa de luto, todos nós vamos descobrir que somos mortais, porém

não conhecemos a hora em que se desliga a luz da nossa vida.

Os velhos devem morrer, e os jovens podem morrer. E como será a vida depois disso?

Muitas pessoas acham que não há nada depois da morte.

Nascer, crescer, morrer e ponto final!

Mas a Bíblia não fala assim.

A Bíblia diz que a vida continua depois da morte.

O pó voltará a terra como o era e o espírito voltará a Deus.

Assim fala o autor de Eclesiastes. Ele diz que há luz no fim do túnel.

Mas essa luz é fraca. Essa luz é um pontinho.

O AT não fala com tanta clareza como o NT.

Paulo fala com muito mais clareza em 2 Co. 5.

Ele disse: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou mal que tiver feito por meio do corpo.

Eclesiastes diz alguma coisa semelhante. Veja 11,9:

Alegre-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem o teu coração e agradem aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas!

Por causa disso é bom se lembrar do seu Criador!

Tanto nos dias bons, como também nos dias maus, antes da hora da morte.

 

LEMBRA-TE DO TEU CRIADOR!

  • Nos dias bons;
  • Nos dias maus;
  • Na hora da morte.

 

  1. Nos dias bons.

 

Os dias bons são os dias da mocidade. Veja 11, 9-10:

Alegra-te jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; ande pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas. Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove ... Para ler mais, clique aqui.

 

T: Eclesiastes 6. 3-6

L: Mateus 16, 26; Lucas 16, 19-31

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus!

“Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?”

Com certeza todo mundo se lembra dessa dica de Jesus. [Esse foi o tema do nosso retiro de Carnaval, no início deste ano. Nós nos retiramos do mundo com as suas festas carnais para fortalecer a nossa alma; nós tivemos um retiro excelente que fortaleceu a comunhão dos santos e a nossa comunhão com Cristo. Assim começamos este ano.]

[E depois houve mais um momento em que nós meditamos sobre este texto. Foi durante o congresso dos jovens, que foi organizado aqui em Maceió. O nosso irmão Everaldo falou sobre este tema e chamou a atenção dos jovens para isso: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?”]

Eu fiquei pensando nessas palavras quando encontrei o texto de Eclesiastes 6, 3-6, que serve como texto para hoje à noite, chegando ao final do ano, meditando sobre o ano de [2012] e olhando para o ano que vem. Como foi e como será? O que caracterizou a nossa vida em [2012]?

Quem observar a retrospectiva de [2012] pode ver que existem muitas pessoas que trabalharam e trabalharam para se tornar ricos; eles se esforçaram ao máximo para melhorar a sua vida. A vida de muitas pessoas é assim; elas querem melhorar sua vida aqui na terra; elas estão preocupadas com isso: com as finanças, com a saúde, com as crianças, com a escola, com o futuro, com o emprego, com a empresa. Todas essas coisas ocupam a nossa mente, a nossa agenda, o nosso coração. Assim é a vida do homem. Mas Jesus nos para e diz: “Pois que aproveitará o homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou que dará o homem em troca da sua alma?”... Para ler mais, clique aqui.

T: Eclesiastes 3, 1-13; Provérbios 30, 7-9

L: Domingo 46 (+ Domingo 10) CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Estamos no começo do ano e muitas pessoas começaram este ano com bons desejos. Quase todo mundo tem bons desejos ou bons planos que querem realizar; muitas vezes temos uma lista de desejos em nossa mente, e às vezes escrevemos estes desejos num papel. Crianças fazem isso antes do dia do seu aniversário. Elas fazem uma lista das coisas que desejam; desejos pequenos e desejos grandes. E no dia do seu aniversário elas recebem essas coisas como presentes. Quer dizer: algumas coisas elas recebem, mas outras não, embora tenham pedido.

E às vezes uma criança se pergunta: por que não recebi aquela coisa? Por quê? Bom, pode ser que aquela coisa era cara demais; ou: pode ser que o seu pai não quis dar, porque não achou aquela coisa boa para você. Você desejava muito, mas o seu pai não achou SÁBIO lhe dar. Isso é uma pena, mas pode ser que o seu pai tem razão; provavelmente ele sabe melhor o que você realmente precisa. Assim é a vida.

Assim também é a vida com o nosso Pai que está no céu. Se orarmos, pedimos várias coisas ao nosso Pai que está no céu. Pedimos ajuda, proteção ou perdão; ou Lhe pedimos para curar uma pessoa que amamos.

Mas recebemos sempre o que pedimos ao nosso Pai Celestial? Algumas coisas, SIM! Se pedirmos honestamente a remissão dos nossos pecados, Deus nos oferecerá, se realmente nos arrependermos. Mas existem outras coisas que Deus nem sempre dá. Deus sempre cura as pessoas? Não, Deus não cura sempre as pessoas. E por que não? Deus não PODE curar todas as pessoas? SIM, Deus pode curar qualquer doença, mas esse não é o problema. Muitas ... Para ler mais, clique aqui.

T: Gênesis 20

L: Gênesis 18, 1-15

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Existe uma expressão que diz: até mesmo um burro não se machuca duas vezes na mesma pedra. Pensei nessa expressão quando li o que aconteceu em Gênesis 20. A história de Abrão aqui parece muito com a história encontrada em Gênesis 12. Abrão foi para o Egito, ele mentiu sobre Sarai, o Faraó a levou para sua casa, Deus o castigou e ele descobriu que Sarai era a esposa de Abrão. Isso aconteceu em Gênesis 12, e a mesma coisa acontece aqui em Gênesis 20. Abrão parece pior do que um burro, porque “até mesmo um burro não se machuca duas vezes na mesma pedra.

Mas depois fiquei pensando: não é assim. Abrão não se machucou duas vezes na mesma pedra. Na primeira vez ele estava no Egito, e mentiu contra o Faraó. Mas agora a situação é diferente. Não é contra o Faraó, mas contra Abimeleque, o rei dos Filisteus. O lugar é diferente: Abrão não está mais no Egito, mas em Gerar; o tempo é diferente: há uma diferença de 25 anos entre as duas histórias; a situação é diferente: Abrão e Sarai são mais velhos. Tudo é diferente. Quer dizer: não tudo! Quem não mudou foi o Senhor!! Ele reagiu da mesma maneira. O Senhor é fiel. É bom observar isso, irmãos. O Senhor é fiel. Podemos confiar nele. Ele é a rocha da nossa salvação.

As outras personagens não são bons exemplos para nós. Nenhum deles. Que pensar de Abrão, que entregou a mulher da sua vida, Sarai, nas mãos de um homem que ele apenas conhecia? E que pensar desse rei Abimeleque? O que ele quer com uma mulher de 90 anos? E Sara, a coitada! O que devemos pensar dela? Ela parece uma bolinha de pingue-pongue, que é jogada de um ... Para ler mais, clique aqui.

 

T: Gênesis 12, 10-19

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Já observaram uma criança que começa a andar? Inicialmente ela aprende a andar segurando as mãos de um adulto. Mas num certo momento, ela mesma se levanta, dá alguns passos, e cai no chão. Ela está aprendendo, mas ainda não tem força o bastante e equilíbrio para andar sozinha.

Muitas vezes a vida de um crente começa assim também. Uma pessoa é chamada por Deus, se converte e começa a andar nos caminhos do Senhor. Mas ela ainda é como uma criança, ainda tem que aprender a andar sozinha. Muitas vezes uma pessoa começa a andar, dá alguns passos e cai em pecado, porque ainda não tem força e equilíbrio para andar sozinha.

Assim podemos observar também a vida do patriarca Abrão. Ele foi chamado por Deus. Ele devia sair da cidade idólatra de Ur e viajar para Canaã. Deus lhe deu grandes promessas: Abraão herdaria muita terra e Deus lhe daria uma grande descendência. Abraão acreditou nas promessas de Deus e saiu da cidade da sua família, e foi para Canaã. Ele começou a andar nos caminhos do Senhor.

Mas quando ele estava no país de Canaã, aconteceu um período de grande fome. Abrão começou a dar os seus primeiros passos sozinhos. Mas, como uma criança, ele logo caiu. Ainda não teve força o bastante e equilíbrio para andar sozinho e o Senhor, como Pai, o levantou para continuar a andar em seus caminhos. Assim devemos observar a história que lemos em Gênesis 12, 10-19.

 

Deus ajudou Abrão a andar em seus caminhos enquanto estava no Egito

  • A fraqueza de Abrão;
  • A força de Deus.

 

Irmãos, Abrão acabou de entrar no país prometido, Canaã, e logo acontece um desastre que forçou Abrão a mudar os seus planos. Ele estava no sul do país, perto do deserto de Negev, enquanto as chuvas pararam e havia fome naquela terra. Fome para os animais e fome para os homens. Não havia mais comida, nem no campo, nem na cozinha. Isso não era estranho, e acontecia muitas vezes. Uma vez pior do que as outras. Desta vez a fome era grande, como, por exemplo, nos dias de Jacó, quando houve uma fome que durou mais de sete anos.

Podemos nos imaginar, irmãos, que esta fome era uma provação para Abraão. Ele foi chamado por Deus para se mudar da Mesopotâmia para um outro país, onde Deus lhe abençoaria. E logo, logo isso acontece. Prestem atenção nisso! Porque muitas vezes tais coisas acontecem na vida de um crente. Ele é chamado para seguir a Deus, entra na igreja e pensa que tudo dará certo. Deus lhe abençoará, mas logo acontece alguma coisa que serve para provar a sua fé. E o que fazer? Têm crentes que logo desistem e saem da igreja, mas outros continuam, ... Para ler mais, clique aqui.

T: Salmo 32

L: 1 Samuel 12, 1-15

 

Queridos irmãos/irmãs em Cristo Jesus,

Vocês já descobriram como é difícil pedir desculpas? Como é difícil admitir a culpa de ter feito alguma coisa errada? Quase todos têm problemas com isso. A primeira reação é: não fui eu, foi ela; foi ela: uma outra pessoa! Ou: foram as circunstâncias: ele nasceu assim; nunca foi amado; foi maltratado pelo padrasto, etc.; Ou: foi a máquina que estava com defeito. Sempre o homem aponta para outra coisa ou outra pessoa para se desculpar. Já desde o princípio.  Não foi? Adão disse: foi a mulher que me deste como esposa; e a mulher disse: foi a serpente que me enganou! Está vendo?

Nós temos a tendência de negar a nossa culpa, apontar outra pessoa como culpada; e se isso não funcionar, vamos justificar ou diminuir o erro. Não é fácil admitir generosamente a nossa culpa. E se acontecer, se alguém faz isso, muitas pessoas nem conseguem acreditar; será que fulano foi sincero? Será que foi a sério? Isso também já mostra como é difícil admitir a sua culpa e pedir desculpas. O homem tem a tendência de esconder a sua culpa. Ele deve ser forçado a admiti-la. Pelas provas, ou por uma testemunha; ou pela GRANDE TESTEMUNHA de todas as coisas: por Deus mesmo.

Davi experimentou isso em sua vida. Ele esteve fraco e pecou; depois ele tentou camuflar o erro dele; ele tentou esconder o pecado. Mas Deus mandou o profeta ... Para ler mais, clique aqui.

L: 2 Reis 2, 1-18

T: 2 Reis 2, 19-24

 

Queridos irmãos/irmãs

 

Faz pouco tempo que tive uma conversa com alguém sobre a história de Eliseu, que saneou a fonte da água em Jericó. Ela me disse que esse texto não servia para pregar. Eu logo reagi, porque não concordei. A palavra de Deus nos foi dada para fortalecer a nossa fé, e acredito que toda palavra de Deus serve para pregar. Sei que existem textos difíceis, ou até textos bem conhecidos que não são fáceis para pregar, mas qualquer texto serve para pregar o evangelho. Quer dizer: o evangelho de Cristo.

Acredito que a Bíblia é Cristocêntrica. Não somente os Evangelhos e as cartas dos apóstolos, mas também as profecias e as histórias do Antigo Testamento. Todas elas, de uma ou outra maneira, apontam para o Cristo. O nosso problema é descobrir a relação correta com Ele.

Então, vamos observar mais uma vez a história de Eliseu em Jericó. [Leitura 2 Reis 2, 19-22]. Lendo a história, me perguntei: qual é a mensagem para nós? O milagre só servia para os habitantes de Jericó OU ele tem também um significado para nós, no século 21? Sei que existem pregadores que logo iam se focalizar no prato novo e no sal. Querem usar esses elementos para fazer milagres nos seus cultos. Mas será que a mensagem é essa? Fiquei com dúvidas e comecei a ler o contexto. O Capítulo inteiro.

Este capítulo nos informa sobre o fim do trabalho profético de Elias e o início do trabalho profético de Eliseu. O que aconteceu em Jericó é o primeiro ato dele, e logo depois segue o que aconteceu com os adolescentes em Betel. Observando isso, notei um contraste que encontramos mais vezes na Bíblia. O contraste entre a BENÇÃO e a MALDIÇÃO. A Palavra de Deus... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Malaquias 4: 5-6
Leitura: Malaquias 2: 1-9; 17: 3-5; 4: 1-6

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

As últimas palavras de uma pessoa não são esquecidas facilmente. As que foram ditas no momento de despedir-se; as ditas por uma pessoa no leito da morte; essas palavras ficam gravadas na memória dos ouvintes.

Da mesma maneira não devemos esquecer as últimas palavras que foram ditas no Antigo Testamento, pelo profeta Malaquias: “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”. Com essas palavras Malaquias encerra o seu livro, e estas palavras impressionaram o povo de Israel.

Até agora os judeus esperam pela vinda de Elias. Dá para ver quando os Judeus fazem uma festa, como a festa da Páscoa. Nesse momento todos se sentam à mesa, mas sempre uma cadeira fica vazia. Sempre há uma cadeira vazia na mesa. Esta cadeira é reservada. Ela está livre para uma pessoa especial. Está livre para Elias. Dessa maneira os judeus mostram que eles contam com a vinda de Elias. Se vier, será bem vindo!

Conforme os Judeus, Elias ainda virá. Mas eles estão certos nisso? Pois Jesus nos informou que Elias JÁ chegou! Em Mateus 17, depois da transfiguração de Jesus na montanha; depois do seu encontro com Moisés e ELIAS, os alunos lhe perguntam: Por que dizem, pois, os escribas ser necessário que Elias venha primeiro? Jesus respondeu o seguinte: “De fato, Elias virá e restaurará todas as coisas. Eu, porém, vos declaro que Elias já veio, e não o reconheceram!”

Conforme os professores dos Judeus, Elias ainda virá, mas conforme o nosso Grande Professor ... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Malaquias 3, 7              

Leitura: Deuteronômio 28 e Malaquias 3, 8-12

          

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Este texto se tornou muito popular entre pastores para exortar a congregação a pagar os dízimos, dizendo: se pagardes os dízimos, Deus vos abençoará abundantemente. Quem pagar 10%, ele receberá dez vezes mais de volta! Há pastores que tem a coragem de dizer isso. Eles só falam em dinheiro; eles prometem montes de ouro, mas esquecem que este texto não fala sobre um jeito pelo qual uma pessoa pode se enriquecer; este texto fala sobre muito mais do que dinheiro. Deus não pensa na CARTEIRA do seu povo, mas no CORAÇÃO do seu povo. O problema dos dízimos é um problema do CORAÇÃO. É sempre assim: as pessoas que não pagam os seus dízimos têm um problema de coração; elas não amam a Deus, mas amam ao dinheiro mais do que ao Senhor; Elas devem se converter.

 

Tornai-vos para Deus e Deus se tornará para vós

  • Tornai-vos para Deus;
  • Deus se tornará para vós.

TORNAI-VOS PARA DEUS

Não é sem motivo que o profeta Malaquias disse estas palavras ao povo de Israel. Deus mandou este profeta porque o povo tinha virado as costas para Deus. O povo não respeitava mais ap Senhor. Isso se tornou visível na vida do dia-a-dia deles, pois eles não respeitavam mais a lei do Senhor. O profeta Malaquias fala sobre isso em todo o seu livro. Este livro é uma grande acusação. Vou dar uns exemplos:

No capítulo I o Senhor Deus está reclamando, pois os sacerdotes desprezam o nome do Senhor e o povo oferece animais cegos para o sacrifício. Isso já é bastante para mostrar que o povo não respeita o Senhor Deus; mas há mais coisas que provam isso: os sacerdotes não ensinam... Para ler mais, clique aqui.

Leitura: Malaquias 2: 1-9     

Texto: Lucas 1

         

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

O CONHECIMENTO é uma coisa muito importante. Todo mundo concorda com isso. As grandes empresas buscam pessoas que tenham um bom conhecimento; os professores na escola preparam os seus alunos para isso; os pais acham isso muito importante e por isso eles mandam os seus filhos para escola. Então, o conhecimento em geral é uma coisa importante. Mas o conhecimento da bíblia também é importante. Num certo momento Deus reclamou sobre isso e disse: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Oséias 4: 6).  O povo de Deus não conhecia bem a vontade de Deus; por causa disso eles fizeram coisas erradas; por causa disso eles ultrapassaram a lei de Deus; e por causa disso eles foram castigados e levados em Exílio.

O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento”.

Quem foi responsável por isso? Quem causou isso? Pode ser que o povo mesmo não queria aprender nada. Como numa escola; às vezes as crianças são rebeldes e não querem aprender. Isso é possível, sim. Mas há também outra possibilidade. Pode ser que os professores não são bons. Pode ser que os professores não ensinam nada ou ensinam coisas erradas aos seus alunos. Assim era a situação em Israel. Pois no mesmo versículo (4: 6) Oséias diz: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, Sacerdote, rejeitaste o conhecimento”. Sacerdotes sem conhecimento. Isso é um grande perigo para o povo de Deus. Por causa disso o povo de Deus foi destruído.

 

SACERDOTES SEM CONHECIMENTO. Deus odeia isso e por isso Ele disse: “Tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejais sacerdote diante de mim; visto que te esquecestes... Para ler mais, clique aqui.

Leitura: Zacarias 12, 10-14

                 João 19, 31-37

                  Apocalipse 1,7

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

O dia de Sexta-feira santa é um dia de grande luto para muitas pessoas que seguem o ensino da igreja de Roma. Neste dia elas não podem varrer a sua casa; não podem tomar banho, nem podem pentear os seus cabelos, ou se olhar no espelho; e não podem comer carne, mas devem seguir um tipo de jejum e comer apenas peixe. Tudo isso indica que essas pessoas estão de luto; pois quem está realmente triste, ele ou ela não tem vontade de arrumar os seus cabelos e, consequentemente, não usa o espelho; ela não precisa tomar um banho, pois não pode trabalhar neste dia, nem varrer a casa, pois é um dia de luto. Todas estas regras devem ser seguidas porque Cristo morreu.

Estes costumes são bem fortes aqui no Nordeste do Brasil, e especialmente no interior do Nordeste. Já encontrei brasileiros que não reconheceram estes costumes. Em outras partes do Brasil os católicos não vivem assim; e os protestantes também não. Para as igrejas reformadas o dia de Sexta-feira santa não é um dia de luto, mas um dia de festa. Nós chamamos este dia: a boa sexta-feira.

Nós não comemoramos só a morte de Cristo, mas também o benefício que a morte de Cristo nos traz: a salvação. O sangue de Cristo nos salva! E por causa disso consideramos esta sexta feira santa um dia bom. Não precisamos ficar tristes, mas devemos estar alegres. Fui criado assim e sempre preguei esta mensagem. Mas nesta semana eu li um texto da bíblia que pode nos deixar pensativos. O texto é a profecia de Zacarias 12, 10-14. [ Vamos ler este trecho...]. Este texto de Zacarias é uma profecia sobre o futuro. Fala sobre... Para ler mais, clique aqui.

Texto: Amós 7, 3

Leitura: Amós 7, 1-9

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Nos versículos 3 e 6 do capítulo sete de Amós lemos sobre o arrependimento de Deus. Deus preparou uma praga para castigar Israel, mas o profeta suplicou para que não fizesse isso. Então, o Senhor se arrependeu disso e disse: não acontecerá.

A pergunta é: como é possível? Deus pode se arrepender de alguma coisa? A Bíblia não disse que em Deus não pode existir variação ou sombra de mudança? (Tiago 1: 17) Ele não é imutável? Então como é possível que Deus se arrependeu e disse: não acontecerá?  Vamos dar atenção a esta questão, lendo esta palavra de Amos no grande contexto da Bíblia, especialmente no contexto da aliança de Deus.

 

O arrependimento de Deus explicado no contexto da Aliança

A aliança tem dois lados:

1) O arrependimento para a maldição;

2) O arrependimento para a benção;

 

Tudo o que acontece com o povo de Deus na antiguidade está no contexto da aliança que Deus fez com o patriarca Abraão. Lemos sobre isso em Gênesis 17. Deus fez uma aliança com Abraão e com toda a sua descendência. Naquela ocasião Deus prometeu que Ele seria o aliado de Abraão e de toda sua família; Deus ajudaria o seu filho, Isaque, e o neto, Jacó, e os bisnetos etc. Toda família de Abraão. Toda Israel.

Deus prometeu isso e cumpriu essa promessa, quando Israel estava no Egito. O povo estava sofrendo na casa da servidão e chorou e orou pedindo socorro. E Deus se lembrou da aliança que fez com Abraão, com Isaque e com Jacó (Êx. 2: 24); Ele viu os filhos de Israel e os ajudou. O livro de Êxodo fala sobre isso: Sobre o Êxodo do Egito, sobre a viagem no deserto, sobre a renovação da aliança no monte... Para ler mais, clique aqui.