Baixar sermão

 

Texto: Isaías 6, 1-7
 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Podemos dizer que a profecia de Isaías 6 é uma das mais impressionantes da Bíblia. O que Isaías experimentou é muito especial. Ele VÊ o Senhor. Em toda a sua majestade. Em toda a sua santidade celestial. Isso não acontece todos os dias. Só poucas pessoas experimentaram isso. Profetas. E nem todos os profetas; somente alguns.

Moisés, por exemplo. Ele descobriu a presença de Deus na sarça, que não se consumia. E Elias. Ele tinha um encontro com Deus (1 Reis 19) e sentiu uma brisa suave, e sabia que o Senhor se aproximara. Ezequiel tivera uma outra experiência: Ele viu o Senhor se aproximando numa tempestade. Homens especiais; eleitos por Deus.

Isaías é como eles. Ele também recebeu uma revelação especial do Senhor. Ele recebeu uma visão enquanto estava no templo. E o que ele viu, foi impressionante. Nós podemos sentir isso. Isaías se sentiu pequeno. Ele disse: “Vi o Senhor sentado sobre um trono alto e elevado. A cauda da sua veste enchia o santuário”. Então, irmãos! O templo era uma construção enorme, onde qualquer pessoa se sentia pequena. E neste templo enorme Isaías viu A CAUDA, A PARTE MAIS BAIXA DA VESTE REAL DO SENHOR. Esta construção enorme está cheia da majestade de Deus, e o que Isaías viu foi só uma parte pequena disso.

Isaías se sente uma formiguinha, vendo a cauda da veste real do Senhor. Pequeno, ele é muito pequeno perante Deus. E este sentimento se torna mais forte por causa dos serafins. Estes seres celestiais enormes estão em redor do trono e anunciam como um coral de homens com voz baixa “A SANTIDADE DE DEUS: SANTO, SANTO, SANTO É O SENHOR”.

O Senhor é perfeitamente santo. Nele não... Para ler mais, clique aqui.

T.: Romanos 8, 28-39                                         

L.: CdH 21 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje em dia muitas pessoas não acreditam na igreja; acreditam em Cristo, mas não na igreja. A igreja não é importante, Cristo é importante. A igreja não. Existem muitas igrejas. Uma diz isso e a outra diz aquilo, e quem fala a verdade?

Muitas pessoas dizem: a verdadeira igreja de Cristo é invisível. Existem verdadeiros crentes na igreja católica, e também na Assembleia de Deus e na igreja Presbiteriana e na igreja Reformada e o total desses verdadeiros crentes á a igreja de Cristo. Nós não podemos ver esta igreja aqui na terra, porque os seus membros estão escondidos nas igrejas, mas no dia final nós vamos encontrar estes verdadeiros crentes no céu ao lado de Cristo. Então, essa igreja invisível é a verdadeira; a igreja visível é falsa; na igreja visível encontramos padres pedófilos, pastores que querem se enriquecer, pastoras que se acham profetas, presbíteros que nunca visitam o rebanho, membros que brigam e fofocam. A igreja visível é imperfeita, impura e cheia de manchas. Por causa disso muitas pessoas não acreditam na igreja. A igreja não é importante.

Muitas pessoas pensavam assim também na época da Reforma. Elas criticavam a igreja de Roma, mas não queriam reformar a igreja; e não queriam mudar de igreja. Essas pessoas ficavam na igreja romana, porque a igreja visível não é importante; o que é importante é ter Cristo no coração; ser membro da igreja invisível de Cristo. Então estes membros simpatizavam com a reforma, mas não seguiam os reformadores; elas permaneciam na igreja de Roma.

Calvino chamava essas pessoas de “Pseudo-Nicodemitas”. Elas viviam como Nicodemos, que era fariseu, mas... Para ler mais, clique aqui.

T: Salmo 32

L: 1 Samuel 12, 1-15

 

Queridos irmãos/irmãs em Cristo Jesus,

Vocês já descobriram como é difícil pedir desculpas? Como é difícil admitir a culpa de ter feito alguma coisa errada? Quase todos têm problemas com isso. A primeira reação é: não fui eu, foi ela; foi ela: uma outra pessoa! Ou: foram as circunstâncias: ele nasceu assim; nunca foi amado; foi maltratado pelo padrasto, etc.; Ou: foi a máquina que estava com defeito. Sempre o homem aponta para outra coisa ou outra pessoa para se desculpar. Já desde o princípio.  Não foi? Adão disse: foi a mulher que me deste como esposa; e a mulher disse: foi a serpente que me enganou! Está vendo?

Nós temos a tendência de negar a nossa culpa, apontar outra pessoa como culpada; e se isso não funcionar, vamos justificar ou diminuir o erro. Não é fácil admitir generosamente a nossa culpa. E se acontecer, se alguém faz isso, muitas pessoas nem conseguem acreditar; será que fulano foi sincero? Será que foi a sério? Isso também já mostra como é difícil admitir a sua culpa e pedir desculpas. O homem tem a tendência de esconder a sua culpa. Ele deve ser forçado a admiti-la. Pelas provas, ou por uma testemunha; ou pela GRANDE TESTEMUNHA de todas as coisas: por Deus mesmo.

Davi experimentou isso em sua vida. Ele esteve fraco e pecou; depois ele tentou camuflar o erro dele; ele tentou esconder o pecado. Mas Deus mandou o profeta ... Para ler mais, clique aqui.

Texto: João 8: 2-10                          

Leitura: Jeremias 17: 1-13                 

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Quem dentre vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra! Um dito de Jesus, que às vezes é usado de uma maneira errada pelas pessoas. Elas usam no seguinte sentido: Não julgues a ninguém. Pois quem é sem pecado?!

Algumas pessoas usam este texto quando um presbítero ou pastor vai discipliná-las. Quem dentre vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra! Então, irmão! Cala boca. Não julgues. Pois somos todos pecadores. Assim elas dizem.

Então, a mensagem deste texto seria mais ou menos assim: Cale a boca. Não julgues a ninguém! Mas isso é verdade, irmãos? Jesus quer impor silêncio?

É bom ler este texto cuidadosamente.

Jesus chegou ao templo para ensinar o povo. Uma grande multidão. De repente um grupo de fariseus entra na praça com muito barulho. Eles andam na direção de Jesus e puxam e empurram uma mulher. Chegando perto dele, eles a empurram para frente, no meio do círculo. E eles começam a falar e explicam a situação (Jo. 8: 4 e 5).

Jesus disse nada, ficou calado. E ficou um grande silêncio no meio das pessoas. Um silêncio forte. Um silêncio pesado. Como numa conversa, que uma pessoa faz uma pergunta sensível. Ou quando uma pessoa ataca uma outra pessoa no meio de um grupo. A mesma coisa acontece aqui. Pois a pergunta dos fariseus é uma pergunta insidiosa. É um ataque do lado dos fariseus.

Podemos ver isso. Não é um pedido de um conselho numa situação complicada. Os fariseus não estavam numa situação em que não sabiam o que fazer com esta mulher. O caso é completamente claro. A mulher foi surpreendida em adultério. Pegaram-na em flagrante. Não...Para ler mais, clique aqui.