Jesus Cristo mandou graça e paz aos eleitos de Deus por meio do seu apóstolo Pedro.

Leitura: 1 Pedro 2, 9-10

Texto: 1 Pedro 1, 1-2

 

Boa noite irmãos, irmãs.

O texto que vamos usar hoje à noite é um pouco esquisito. Por vários motivos. O texto é o início de uma epístola antiga de Pedro aos irmãos em Ásia Menor. Esses irmãos viviam numa outra época, numa outra cultura e numa outra igreja. Então, a distância entre nós e eles é enorme. Porém, os irmãos são recém-convertidos (como nós), seguem Jesus Cristo (como nós), esforçam-se para ter uma vida cristã na sociedade (como nós) e por causa disso são considerados como forasteiros (como nós). Então, a carta de Pedro é interessante e edificante para nós também.

Além disso, esta carta é importante porque é uma carta de Pedro, o apóstolo de Jesus Cristo. Ele conhecia Jesus por muito tempo, ouviu as palavras dele e viu os sofrimentos dele; então, nós podemos aprender muitas coisas lendo a carta dele. E logo no início Pedro usa o termo ELEITOS para caracterizar os irmãos. Pedro começa a falar sobre a ELEIÇÃO. Ela é um elemento muito importante aqui, que transformou a vida dos crentes. Tanto a vida dos crentes da época de Pedro, como também a nossa vida.

 

JESUS CRISTO MANDOU GRAÇA E PAZ AOS ELEITOS DE DEUS POR MEIO DO SEU APÓSTOLO PEDRO.

  • A sua Eleição é fundada na presciência de Deus;
  • A sua Eleição é confirmada pela santificação do Espírito Santo;
  • A sua Eleição se manifestará na obediência a Jesus Cristo;
  • A sua Eleição é uma garantia da benção de Deus: Graça e Paz.
  1. A sua Eleição é fundada na presciência de Deus.

O que Pedro diz aqui, logo no início, serve para edificar e consolar os irmãos em Ásia Menor, porque eles sofriam muito por causa da sua fé cristã. Esta primeira carta de Pedro fala muito sobre os SOFRIMENTOS que os novos cristãos experimentaram em sua vida. De fato, O SOFRIMENTO CRISTÃO é o tema maior desta carta. Se vocês abrirem as suas Bíblias e procurarem a primeira carta de Pedro, vocês poderão verificar isso por si mesmos! Vou apontar alguns pontos nesta carta. Vamos!

Logo no primeiro capítulo (1,6), nós lemos: “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações”.  E no capítulo 3,14 ...Para ler mais, clique aqui.

 

A Aliança da Graça é também para as crianças.

T. Domingo 27

L. Marcus 16,16

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

A igreja reformada é a única igreja no meio das todas as igrejas protestantes, que conheça o batismo infantil. Todas as outras igrejas evangélicas não reconheçam o batismo infantil, até dizem que este batismo não é um verdadeiro batismo. Quem foi batizada sendo criança, deve ser batizada de novo.

As igrejas reformadas não concordam com isso. Elas defendem o batismo infantil, se baseando tanto no Antigo Testamento, quanto no Novo Testamento. Especialmente considerando o caráter da Aliança da Graça, que Deus fez com Abraão, o pai de todos os crentes! O batismo é o sinal da Aliança da Graça. E esta Aliança da Graça começou no Antigo Testamento. No Antigo Testamento o sinal da Aliança era a circuncisão, mas no Novo Testamento Jesus Cristo mesmo substituiu o antigo sinal, por um novo sinal: o batismo.

Nos dias da Reforma as igrejas reformadas discutiram muito sobre este assunto com os ana-batistas, que não aceitaram o batismo infantil. E o resultado desta discussão encontramos em Domingo 27, especialmente a resposta 74, onde está escrito:

As crianças pequenas devem ser batizadas?

Devem sim, porque tanto as crianças como os adultos pertencem à aliança de Deus e à sua igreja. Também a elas, como aos adultos, são prometidos, no sangue de Cristo, a salvação do pecado e o Espírito Santo que produz a fé. Por isso as crianças, pelo batismo como sinal da aliança, devem ser incorporadas à igreja cristã e distinguidas dos filhos dos incrédulos. Na época do Antigo Testamento se fazia isso pela circuncisão. No Novo Testamento foi instituído o batismo no lugar da circuncisão.

Hoje vamos abrir a Palavra de Deus, não somente no Novo Testamento, mas também no Antigo Testamento para ver o que... Para ler mais, clique aqui.

Uma pessoa pode ser salva sem ser batizada?

T: Vários textos.

L: Domingo 26 CdH

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Uma pessoa pode ser salva sem ser batizada?

Imagine uma pessoa que vive numa prisão; num país descrente. Vamos dizer: um país dos muçulmanos. A pessoa foi presa e lá na prisão ele ouviu uma pessoa falar sobre Jesus Cristo.  As palavras tocaram o seu coração e ela ficou pensando sobre o Salvador Jesus. Ela ficou interessada e começou a ler um bíblia. E lendo a bíblia ela se converteu. Ela entregou a sua vida a Cristo, mas ainda vive na prisão. Ela confessou Jesus publicamente e por causa disso os guardas pegaram-no e lhe bateram até que morreu.

Como está com a vida de tal pessoa? Ela vivia com Cristo e morreu em Cristo, mas sem batismo, porque não houve ninguém que podia batizá-la. Ela vivia com Cristo, mas sem batismo. Tal pessoa é salva?

Com certeza a maioria dos crentes dirá: Claro! Ela pertencia a Cristo e quem pertence a Cristo tem a vida eterna (1 Cor. 15,23); Mas  por outro lado temos a palavra de Jesus (Mc. 16.16) que disse: Quem crer e for batizado será salvo.  Existem também pessoas que dizem: está vendo: uma pessoa deve crer E deve ser batizada e assim será salva! Quem crer E FOR BATIZADO será salvo, disse Jesus. O Batismo é necessário eles dizem. Existem até pessoas que dizem que se uma criança morrer, enquanto não foi batizada, ela vai para o inferno. E por causa disso, eles batizam uma criança com alto risco, logo quando ela aparece.

Então existem idéias diferentes e extremas a respeito da necessidade do batismo. Existem grupos que não batizam as pessoas de jeito nenhum:  como por exemplo O exercito da Salvação.  Eles reconhecem o batismo, mas não... Para ler mais, clique aqui.

A palavra de Deus mostra qual é a verdadeira igreja.

Leitura: Domingo 21ª + Art. 29 Confissão de Fé

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Acabamos de ler o artigo 29 da nossa confissão da fé. Este artigo fala sobre As marcas da verdadeira igreja, de seus membros e da falsa igreja. O início deste artigo era e ainda é muito importante. Tanto para os crentes no século 16, quanto para os crentes atuais. E até mais importante para nós, pois vivemos numa época em que há muitas igrejas falsas e seitas. Como devemos avaliar esta situação complicada? Muitas pessoas não sabem como elas devem avaliar a diversidade das igrejas. Há muitas igrejas, e cada igreja tem a sua doutrina; esta igreja pensa assim, e aquela igreja pensa diferente. Como avaliar essas diferenças?

A nossa confissão quer nos ajudar. Ela quer nos dar a chave para resolver o problema. Por causa disso, ela diz: “Cremos que se deve discernir diligentemente e com muito cuidado, PELA PALAVRA DE DEUS, qual é a verdadeira igreja, visto que todas as seitas que atualmente existem no mundo se chamam igreja, mas sem razão”.

A nossa confissão diz isso com RAZÃO. Ela diz isso, pois a Bíblia fala assim. Na nota de rodapé encontramos uma ligação com Apocalipse 2,9. Neste trecho, encontramos uma carta de Jesus Cristo à igreja de Esmirna. Nesta carta Jesus avisa os irmãos sobre um grupo de pessoas, que se chamam Judeus. Na cidade de Esmirna há uma sinagoga, um prédio onde os Judeus se encontram. Os membros sabem isso, pois antigamente eles se reuniram lá também. Eles eram judeus, mas depois eles se converteram e se tornaram membros da igreja de Cristo. Jesus fala sobre os judeus que ficaram na sinagoga e diz: conheço a blasfêmia dos que se dizem ...Para ler mais, clique aqui.

Os sacramentos são sinais das promessas de Deus.

T: Efésios 5, 4-33

L: Domingo 25 CdH

             

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Nas semanas que vêm quero pregar sobre OS SACRAMENTOS: o batismo e a santa-ceia. É bom falar sobre o uso certo dos sacramentos, pois existem muitas diferenças entre as igrejas a respeito disso. A Igreja Católica trata os sacramentos como se tivessem um poder mágico; as Pentecostais desprezam os sacramentos; há ogrejas evangélicas que se recusam a usá-los, dizendo que não precisamos deles; o Exército da Salvação, que trabalha muito na área social, no meio dos pobres, não administra os sacramentos; não querem saber de nada sobre isso, pois acham que os sacramentos causaram muitas brigas entre as igrejas e entre os crentes.

E neste ponto eles têm razão, mas o problema não está nos santos sacramentos que Cristo nos deu, e sim nas pessoas impuras, que desprezaram as coisas santas. O sacramento é bom, mas muitas pessoas o tratam mal. Deus nos deu os sacramentos e devemos honrá-los; e faremos isso se entendermos POR QUE Deus nos deu estes sacramentos.

Vou mostrar isso com um exemplo simples que todo mundo pode entender. Vou comparar o sacramento com um anel. O anel de casamento. Este anel tem um certo valor. Não estou falando sobre o valor de ouro desse anel; pois ele vale mais do que o ouro pode me dar. Este anel é um SINAL e um SELO da aliança que foi feita entre mim e a minha esposa. No dia do nosso casamento fizemos uma aliança. Eu e ela. E nós fizemos promessas naquele dia. Prometi ser fiel a ela. Em todos os dias da minha vida. Nos dias bons e nos dias ruins. Na riqueza e na pobreza. Na saúde e na doença. Este anel me lembra daquele momento, pois dentro dele está gravado o nome da minha esposa, o dia do nosso noivado e o dia do nosso casamento.

Assim o anel funciona com um SINAL. O anel me lembra do dia do meu casamento. O anel me lembra das promessas da minha esposa; me lembra do amor dela. Um sinal e um SELO; pois no fim da cerimônia nós trocamos os anéis. Eu dei um a ela e ela me deu outro igual. Dois anéis iguais que fecharam e marcaram a cerimônia da nossa aliança.

Agora, irmãos, uma pergunta. Por que os casais trocam anéis? Não pode fazer essa cerimônia sem anéis? Sim, pode! Mas todo mundo vai sentir falta da troca de anéis, pois o anel tem um certo valor. Um casamento sem anel é como uma festa sem bolo. Um churrasco sem carne. Faz parte do casamento. O anel é o SINAL e o SELO do casamento.

Pois se um homem vai passear sozinho e, antes disso, ele tira o anel e o coloca em sua carteira, todo mundo vai pensar algo. Por que ele não quer andar com es...Para ler mais, clique aqui

Um descrente pode participar da Santa-Ceia?

Texto: João 13, 26

Leitura: Conf. Belga art. 35 Santa Ceia

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Um incrédulo pode participar da santa ceia? E se por acaso participar, ele receberá a remissão dos seus pecados? Essa pergunta foi uma questão "quente" no século 16, na época da reforma. A pergunta surgiu observando o papel de Judas na Santa Ceia com Jesus.

Judas participou da Santa Ceia? E se participou, ele recebeu a remissão dos pecados?

Essa pergunta dividiu os crentes em dois grupos; Num lado houve um grupo que disse que Judas não participou da santa ceia; ele participou da ceia da Páscoa e num certo momento ele saiu; depois disso Jesus instituiu a santa ceia. Eles usam o evangelho de Mateus e Marcos para defender essa posição. Ali está escrito: (ler Mt. 26:20-30).

Mt. 26:20-25: o traidor indicado; Mt. 26: 26-30: instituição da Santa Ceia;

Mc. 14;17-21: o traidor indicado;Mc 14: 22-26: instituição da Santa Ceia;

Mateus e Marcos indicam no primeiro lugar o traidor e falam depois sobre a instituição da Santa Ceia; Mateus dá a impressão que Judas saiu antes da instituição da Santa Ceia, mas ele não disse isso claramente.

O outro grupo não concordou com isso e apontou para o evangelho de Lucas e João.

Lc. 22: 19-23: instituição da Santa ceia; vs. 21: a mão do traidor está comigo na mesa!!!

Lucas diz claramente que a mão do traidor está na mesa da santa ceia.  E sabendo disso, podemos também apontar para o evangelho de João. João 13, 21-30: administração da Santa Ceia; vs. 26: Judas recebeu o pedaço de pão! Então podemos dizer que Judas participou da Santa Ceia. Então vamos repetir a nossa pergunta: E se participou, ele recebeu a remissão dos pecados?

A resposta à esta pergunta tem a ver com o caráter da Santa Ceia sendo um sacramento...Para ler mais, clique aqui.