Skip to content

Berichten getagd ‘Amor ao próximo’

Façam o bem, enriqueçam em boas obras

 

Domingo 42 CdH

P. 111: O que Deus ordena no oitavo mandamento?

R.: Devo promover, tanto quanto possível, o bem do meu próximo e tratá-lo como quero que os outros me tratem. Além disso, devo fazer fielmente meu trabalho para que possa ajudar ao necessitado.

Texto: 1 Timóteo 6: 3-10

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Eu li uma certa vez no Jornal Gazeta de Alagoas que um habitante de Maceió se tornou um milionário. Ele participou da Mega-Sena e ganhou mais de dois milhões de Reais! Depois disso, alguns irmãos me perguntaram se um crente poderia participar de tal coisa, a Mega-Sena ou outro tipo de loteria. Meditando sobre esta pergunta, eu devo dizer: NÃO! Um cristão não pode participar deste tipo de jogo. Até mesmo se ele for doar 10% ou mais à igreja. Parece-me que este tipo de jogo não está em concordância com a palavra de Deus. Não está em concordância com o oitavo mandamento, nem com o décimo mandamento.

Talvez uma pessoa pense: Mas isso não é um assunto diferente? O sermão não é sobre o oitavo mandamento? Quem joga, furta? Não, não é assim. Quem joga não é um ladrão, mas ele não vive conforme a vontade de Deus. Pois o que Deus quer com este oitavo mandamento? Ele quer proteger a nossa vida, também os nossos bens. Ele quer nos proteger contra ladrões e ele quer nos ensinar para não sermos ladrões, mas para ganhar a nossa renda duma...Para ler mais, clique aqui.

Deus ama a quem dá com alegria. Sermão sobre a obra dos diáconos.

Domingo 21 CdH

 55. Como você entende as palavras “a comunhão dos santos”?

Primeiro: entendo que todos os crentes, juntos e cada um por si, têm, como membros, comunhão com Cristo, o Senhor, e todos os seus ricos dons.

Segundo: que todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros.

 

Texto: 2 Coríntios 9, 6-14

Leitura: Domingo 21B

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus.

 

O tema desse culto é 2 Coríntios 9,7 “DEUS AMA A QUEM DÁ COM ALEGRIA”.

Escolhi este tema, porque a comissão que cuida da obra diaconal me pediu para fazer um sermão sobre este assunto; Pensando nisso, pensei logo no nosso Catecismo; no domingo 21, que fala sobre a igreja e sobre a comunhão dos santos. A obra diaconal só funciona bem se tiver uma boa comunhão dos santos.

 

O Catecismo pergunta: Como você entende as palavras: “a comunhão dos santos?” Resposta: Primeiro: entendo que todos os crentes, juntos e cada um por si, têm, como membros, comunhão com Cristo, o Senhor, e com todos os seus ricos dons.  Segundo: que todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros. Assim é a comunhão dos santos. No primeiro lugar temos comunhão com Cristo através do Espírito de Cristo; e essa comunhão nos leva à comunhão com os outros membros na igreja de Cristo. Isso acontece automaticamente. Por amor! Com vontade e com alegria!

 

Lendo essa parte do catecismo, fiquei pensando sobre essa segunda parte: todos devem sentir-se obrigados a usar seus dons com vontade e alegria para o bem dos outros membros. Especialmente as palavras ‘com vontade e alegria’ chamaram a minha atenção. Porque essa alegria e boa vontade faltam muitas vezes na igreja. Um pastor pode falar com as pessoas para que se sentem obrigados a usar os seus dons, mas isso não quer dizer que eles fazem isso com vontade e alegria. Muitas vezes os membros fazem isso por obrigação, mas não por amor. Esta boa vontade e alegria são realmente dons do Espírito Santo!...Para ler mais, clique aqui

Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei

Texto: João 15: 12-17

Leitura: João 15: 1-17

 

O capítulo 15 do Evangelho de João é um dos bonitos textos da Bíblia que explica muito bem como somos unidos com Jesus Cristo em amor fraternal, como membros de um só corpo; e como devemos mostrar este amor uns aos outros. Jesus Cristo mesmo explicou isso aos seus discípulos. Ele usou o exemplo de uma videira e disse:

“Eu sou a verdadeira videira. [-] Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim e eu nele produz muitos frutos; porque, sem mim, nada podeis fazer”.

“Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós, se não permanecerdes em mim”.

O exemplo que Jesus usa é simples e poderoso. É bem claro o que ele quer dizer. Temos a vida só em comunhão com ele; e podemos produzir frutos só em comunhão com ele. Esta metáfora enfatiza A COMUNHÃO com Cristo. Como na Santa Ceia. A Santa Ceia nos mostra também a comunhão com Cristo.

Aqui na mesa temos comunhão com o sacrifício de Cristo na cruz.

Aqui na mesa compartilhamos a benção da cruz: o perdão dos nossos pecados. Aqui na mesa sentimos o amor de Cristo, que ofereceu a sua vida por nós. Como ele mesmo disse em vs. 13: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos”. Cristo fez isso. Ele nos mostrou o seu amor. E ele quer que sejamos infectados pelo seu amor.

O amor de Cristo deve dominar a nossa vida;

O amor de Cristo deve governar os nossos atos;

O amor de Cristo deve produzir frutos na nossa vida. Frutos de amor. Uvas de amor.

Isso DEVE ser assim. Pois o Senhor do AMOR manda...Para ler mais, clique aqui.

Jesus nos ensina a ter amor puro, sem interesses

T: Luc. 14, 12-14

L: (Mt. 25, 31-46); Luc. 6, 27-38

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

A parábola sobre o último julgamento (Mt. 25) nos mostra quem pode entrar no Reino de Deus! No dia final Jesus avaliará a vida de todo mundo e vai decidir quem pode entrar no reino de Deus; Naquele dia ele vai dizer:

“Vinde, benditos de meu Pai,

Recebei por herança o Reino preparado para vós desde a fundação do mundo!

Pois tive fome e me destes de comer;

Tive sede e me destes de beber;

Era forasteiro e me recolhestes;

Estive nu e me vestistes;

Doente e me visitastes,

Preso e viestes ver-me.

Então OS JUSTOS lhe responderão:

Senhor, quando foi que te vimos com fome e te alimentamos?

Com sede e te demos de beber?

Quando foi que te vimos forasteiro e te recolhemos?

Ou nu e te vestimos?

Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te ver?

Ao que lhes responderá o rei: “Em verdade vos digo, cada vez que o fizestes a um desses meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes’!”.

O que precisamos ter para entrar no Reino de Deus é amor!

O nosso passaporte para o Reino de Deus é um coração cheio de amor.

Verdadeiro amor; O amor de Cristo! O amor puro que Cristo nos ensinou na cruz; O amor de Cristo!

O amor que Deus colocou em nosso coração: um amor sem interesse.

Um amor que é dado só por amor, sabendo que a outra pessoa não pode retribuir nada.  Jesus quer que o nosso coração seja assim: cheio de amor sem interesses.

 

JESUS CRISTO NOS ENSINA A TER UM AMOR PURO, SEM INTERESSES.

Imagine, meu irmão, que você quer organizar uma festa. Uma festa grande; Uma festa com muitos convidados. Igual a uma festa de casamento. Você prepara os convites e pensa bem nas pessoas que você quer convidar: os seus pais, os irmãos, os teus amigos, os parentes, e também uns colegas e uns vizinhos. Fulano não, pois nunca te convidou para uma festa; mas o vizinho do outro lado sim, pois eles são bem chiques. E sempre é ...Para ler mais, clique aqui.

A questão dos dízimos é uma questão de coração

Texto: Malaquias 3, 7              

Leitura: Deuteronômio 28 e Malaquias 3, 8-12

          

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Este texto se tornou muito popular entre pastores para exortar a congregação a pagar os dízimos, dizendo: se pagardes os dízimos, Deus vos abençoará abundantemente. Quem pagar 10%, ele receberá dez vezes mais de volta! Há pastores que tem a coragem de dizer isso. Eles só falam em dinheiro; eles prometem montes de ouro, mas esquecem que este texto não fala sobre um jeito pelo qual uma pessoa pode se enriquecer; este texto fala sobre muito mais do que dinheiro. Deus não pensa na CARTEIRA do seu povo, mas no CORAÇÃO do seu povo. O problema dos dízimos é um problema do CORAÇÃO. É sempre assim: as pessoas que não pagam os seus dízimos têm um problema de coração; elas não amam a Deus, mas amam ao dinheiro mais do que ao Senhor; Elas devem se converter.

 

Tornai-vos para Deus e Deus se tornará para vós

  • Tornai-vos para Deus;
  • Deus se tornará para vós.

TORNAI-VOS PARA DEUS

Não é sem motivo que o profeta Malaquias disse estas palavras ao povo de Israel. Deus mandou este profeta porque o povo tinha virado as costas para Deus. O povo não respeitava mais ap Senhor. Isso se tornou visível na vida do dia-a-dia deles, pois eles não respeitavam mais a lei do Senhor. O profeta Malaquias fala sobre isso em todo o seu livro. Este livro é uma grande acusação. Vou dar uns exemplos:

No capítulo I o Senhor Deus está reclamando, pois os sacerdotes desprezam o nome do Senhor e o povo oferece animais cegos para o sacrifício. Isso já é bastante para mostrar que o povo não respeita o Senhor Deus; mas há mais coisas que provam isso: os sacerdotes não ensinam... Para ler mais, clique aqui.

Olhar com amor e ouvir com amor; sermão diaconal.

 

Texto: Provérbios 20, 12      

Leitura: Mateus 20, 29-34

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

O ouvido que ouve e o olho que vê,

         O Senhor os fez, tanto um como o outro”.

Quando lemos este texto, nós nos perguntamos o que esta palavra do Senhor quer nos dizer.  Qual é a sabedoria dessa palavra?  Muitas pessoas tentaram resolver, mas muitas vezes o texto continua um enigma. Vamos também observar o texto e nos perguntar: o que Deus quer dizer a nós?

Não pode ser somente a ideia de que Deus criou o homem, os seus olhos, e os seus ouvidos, porque a Bíblia já revelou isso no livro de Gênesis. Um livro histórico que nos informa sobre os fatos da criação. O livro de Gênesis é assim, mas o livro dos Provérbios é diferente. Este livro fala sobre a sabedoria de Deus; sobre o temor do Senhor e sobre o Grande Mandamento: amar a Deus e amar aos nossos próximos. Este livro nos ensina como devem ser as nossas relações.

Nós devemos TER AMOR! Amor a Deus; e AMOR ao nosso próximo. A esposa, os pais, o filho, o amigo, o irmão, o pobre, o preguiçoso, o justo, o sábio, o rei etc. Os Provérbios mostram todas essas pessoas e nos explica como devemos tratá-las. Como devemos amá-las.

Agora, só é possível ter relações com essas pessoas se podemos VER E OUVIR; Uma pessoa que não pode ver, tem uma grande deficiência em construir relações, porque não pode ver. Mas ainda pode ouvir. O ouvido do cego é muito importante. O cego consegue ouvir detalhes que uma pessoa normal não consegue ver.

Então, imagine que o cego  perderá também a sua audição...!

Li uma vez um livro sobre um cego que foi maltratado por criminosos. Ele... Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top