L.: Salmo 42+43

T.: Salmo 42+43

 

Queridos irmãos/irmãs,

 

Uma alma abatida e perturbada. Quem não reconhece isso hoje em dia?

A nossa situação se parece muito com a situação do autor do Salmo 42!

Ele está longe do templo, da casa de Deus, e sente saudades quando pensa na comunhão com o povo de Deus. Eu sinto isso também. Já há dois meses que estamos afastados da casa de Deus e vivemos distantes do povo da igreja. Eu sinto falta disso; sinto saudades, e sei que existem muitos irmãos que sentem a mesma coisa.

Almas abatidas e perturbadas. Perturbadas também, porque muitos se perguntam: Nós não devemos ter cultos no dia de domingo? Nós não temos que dar culto a Deus? Por que podemos ir, sim, para o supermercado, que às vezes está lotado, mas não podemos nos reunir na igreja para adorar a Deus e encontrar os irmãos? Vejo que muitos ficam perturbados por esse tipo de perguntas.

Almas perturbadas e abatidas, igual à alma do salmista.

O Salmista está perturbado, mas ele não perdeu a sua esperança.

Ele se lembra da casa de Deus; ele se lembra do altar da salvação; ele se lembra do amor de Deus e confia que seu Deus o ajuda, e por causa disso ele termina esse salmo com uma oração.

O Salmo é dividido em três estrofes. E cada estrofe termina com o mesmo refrão. O refrão diz:

Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei; a ele, a Salvação da minha face e Deus meu. O Salmista repete isso três vezes, então ele quer que nós aprendamos isso. Por isso escolhi o refrão como tema do sermão.

 

UMA ALMA PERTURBADA CONFIA EM SEU DEUS E ORA PARA QUE ELE A SALVE.

  • A PERTURBAÇÃO (1-4);
  • A ESPERANÇA (6-10);
  • A ORAÇÃO (43, 1-4)

 

A primeira parte falará sobre o motivo da sua perturbação. O autor está longe da casa de Deus e do povo de Deus. Veja o vs. 4. Ele tem boas lembranças de quando passava com a multidão de pessoas e as guiava em procissão à casa de Deus, entre gritos de alegria e louvor, multidão em festa.

Provavelmente a festa de Sukkot. Durante essa festa o povo ficava em cabanas feitas de folhas das árvores, para comemorar a época em que Israel passava pelo deserto. A festa de “Sukkot” é a festa por excelência em Israel. É uma verdadeira festa, com danças ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1 CdH

P. 1: Qual o seu único conforto na vida e na morte?

R.: O meu único conforto é que - corpo e alma, na vida e na morte - não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo, que, ao preço do seu próprio sangue, pagou totalmente por todos os meus pecados e me libertou completamente do domínio do pecado. Ele me protege tão bem que, contra a vontade de meu Pai do céu, não perderei nenhum fio de cabelo. Na verdade tudo coopera para o meu bem e o seu propósito é para a minha salvação. Portanto, pelo seu Espírito Santo ele também me garante a vida eterna e me torna disposto a viver para ele daqui em diante, de todo o coração.

 

Leitura: 1 Coríntios 15, 12-26

 

Irmãos,

Vocês são felizes? Quem não quer ser feliz? E o que devemos fazer para sermos felizes? Faz alguns anos que alguns estudantes na Holanda fizeram uma pesquisa para descobrir onde as pessoas eram mais felizes. Eles investigaram vários países. E concluíram que os habitantes do Canadá, da Austrália, Suíça e Holanda eram os mais felizes do mundo.

Felicidade, conforme essa pesquisa, é determinada por duas coisas: prosperidade e liberdade. Quanto mais modernidade e liberdade, maior é a felicidade, foi a conclusão desses estudantes. Então prosperidade e liberdade são ingredientes importantes para ser feliz. Por causa disso os Estados Unidos não são o número 1, pois lá não tem tanta liberdade. Lá muitas coisas são dirigidas e controladas de cima para baixo: pode ser pelo governo, ou pela empresa, pode ser pela igreja ou pela família.  Por causa disso os habitantes lá se sentem limitados na sua liberdade e por isso se sentem menos felizes.

Para serem mais felizes as pessoas devem se libertar do controle da família, da igreja, dos colegas. A consequência disso é que muitas pessoas ficam mais sozinhas. O outro lado da liberdade é o isolamento, estar sozinho, sem ajuda, sem amor, pois amor exige uma resposta e dá obrigações. Por isso, irmãos, não é uma surpresa que os países com o maior número de habitantes felizes, têm também o maior número de suicídios; pois liberdade é bom se não precisa de uma outra pessoa, mas a mesma liberdade te deixa infeliz, se realmente precisa de uma ajuda...Para ler mais, clique aqui.

Texto: João 20: 24-29                      

Leitura: João 20: 19-31

 

Amados irmãos em Jesus Cristo,

Tomé é um dos apóstolos que se tornou famoso, por causa da sua atitude incrédula. Tomé é um apóstolo conhecido na igreja cristã, desde a antiguidade;  mas a fama dele não é muito boa. Ele recebeu uma fama negativa, como Judas. Tomé é o tipo de pessoa indecisa. Quando uma pessoa é ignorante e não quer ser convencida pelo testemunho das outras pessoas, chamamos esta pessoa “um Tomé”. Isso quer dizer que ela é uma incrédula. Tomé é considerado como um incrédulo. Ele é o representante daquelas pessoas que dificilmente acreditam nos testemunhos das outras pessoas; Ele é como aquelas pessoas que sempre dizem: “Sim, pode ser, mas..... só acredito se eu ver com os meus próprios olhos.”

ANTIGAMENTE Tomé foi usado de tal maneira! Quando os pastores antigos pregavam sobre Tomé, eles gostavam de enfatizar o lado INCRÉDULO de Tomé. Eles usavam Tomé como exemplo para avisar certas pessoas dentro da congregação; os congregados ou os visitantes que ainda não tomaram uma decisão a respeito de Cristo. OU eles usavam Tomé para consolar os membros que tinham dúvidas sobre os milagres que aconteceram na Bíblia. Eles usavam Tomé, dizendo: “está vendo, no meio dos apóstolos havia também uma pessoa com dúvidas”. E dessa maneira eles queriam consolar as pessoas, que tinham dúvidas sobre a sua fé.

Não quero criticar as boas intenções dos pastores antigos, mas quero dizer que eles fizeram uma CARICATURA de Tomé. Eles enfatizaram UM lado de Tomé e esqueceram do OUTRO lado. Pois o mesmo Tomé mostrou também uma fé forte, e um amor grande para com o Senhor. Ele confessou que Jesus é o seu Senhor e o seu Deus.

De fato, irmãos, quem lê...Para ler mais, clique aqui.

 

 

Texto: Êxodo 15: 22-27      

Leitura: Deut. 8

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Quem nunca encontrou um vendedor de seguros? Eles oferecem seguros contra todos os perigos! Oferecem seguro de saúde, seguro contra roubo, seguro para invalidez, seguro contra isso e contra aquilo. Vendem todos esses tipos de seguros; eu me perguntei: eu preciso disso? Não posso me assegurar contra tudo. O meu seguro está aqui: Salmo 121: De onde vem o meu socorro? O meu socorro está em nome do Senhor, criador do céu e da terra. Este é o meu seguro nesta vida. O Senhor quer nos ensinar isso. O povo de Israel devia confiar nisso; e nós também. A história que vamos ler agora mostra isso.

[Ler Ex. 15: 22-27]    

O Senhor cuida do seu povo

  1. Ele sara águas amargas;
  2. Ele sara corações amargos;

O Senhor sara águas amargas

“EU SOU O SENHOR QUE TE SARA”.  Estas palavras são boas. Estas palavras poderiam ser colocadas na parede da frente da igreja. “EU SOU O SENHOR QUE TE SARA”. Mas quem quer entender estas palavras deve estudar a situação em que estas foram ditas. Sempre devemos fazer isso se quisermos entender bem as palavras de uma pessoa. Também nesta situação. Qual é a situação? O que aconteceu?

O povo de Israel estava ali: à beira do mar Vermelho. Eles olhavam para a água. Dentro da água encontravam-se os cadáveres de cavalos, junto com os corpos de soldados. O restante do exército dos egípcios. Eles afundaram no mar. Faz pouco tempo que o povo de Israel passou por este mesmo caminho. Os soldados o seguiram, mas quando os últimos homens de Israel tinham chegado à beira do mar, Moisés levantou os seus braços, e quando os baixou, o muro de água baixou...Para ler mais, clique aqui.

 

Texto: Gênesis 22: 1-19       

Leitura: Hebreus 10: 19-23 e 35-36

              Hb. 1: 17-19 ; Hb. 11: 39 e 12: 3

 

Irmãos,

A história do holocausto de Isaque é uma das melhores narrativas da Bíblia. É uma narrativa famosa, e por isso é um pouco difícil pregá-la, pois quase todo mundo já conhece o fim dela. Com certeza as crianças já ouviram essa história na escola dominical. Elas ouviram sobre Abrão, que foi chamado por Deus para queimar o seu filho Isaque.

Ele preparou o seu jumento e tomou consigo dois dos seus servos e a Isaque, seu filho. Quando ele chegou ao lugar, ele subiu com Isaque; Ele preparou o altar, amarrou Isaque, o deitou no altar; tomou o cutelo; o levantou... e ouviu a voz do anjo, que salvou Isaque. Uma narrativa com muita tensão, mas o final é bom.

Assim conhecemos essa narrativa. Gostamos de ouvir, mas não sabemos a importância dessa história para nossa vida. O que essa narrativa quer nos dizer? Não está escrito na Bíblia para nos informar somente sobre um momento com muita tensão na vida de Abraão e mais nada. Se fosse assim, essa narrativa não teria mais valor do que um conto de fadas, como Chapeuzinho Vermelho ou Pequeno Polegar. Narrativas irreais para divertir crianças. Mas a Bíblia não é assim.

A Bíblia não é um livro com contos de fadas, mas é a Palavra de Deus. Como Paulo disse em 2 Tim. 3: 15: “Toda a escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para repreensão, para correção, para educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda a boa obra”.

Irmãos, qual é a importância dessa narrativa para vocês?! Devemos imitar Abraão e sacrificar os nossos filhos num altar? Com certeza todos dizem: Não! Mas por que...Para ler mais, clique aqui.