Davi renova a Aliança com o Senhor dos Exércitos levando a arca para Jerusalém.

Leitura: 1 Crônicas 13 e 15, 1-25

Texto: 2 Samuel 6, 1-13

 

Irmãos/Irmãs em Cristo,

Quando eu ouvi a história de 2 Samuel 6 pela primeira vez, sendo um menino de sete ou oito anos, fiquei muito perturbado, e surgiram grandes perguntas em minha mente. Fiquei indignado e achei injusto o que tinha acontecido.

O contexto é claro: Houve uma festa. O rei Davi organizou um desfile para levar a arca de Deus para Jerusalém. Eles colocaram a arca numa carroça nova e marcharam para Jerusalém. Mas, num certo momento, os bois tropeçaram, a carroça começou a capotar, e a arca começou a escorregar. Uzá, que estava perto, levou a mão à arca para protegê-la e caiu logo no chão, morto. Pois, o texto diz, Deus IROU-SE com sua atitude de irreverência. Ouvindo isso, me perguntei: isso não é injusto? Esse castigo não é exagerado em comparação com o que Uzá fez? Foi tão errado o que ele fez? Ele não agiu com boas intenções? Ele agiu por reflexo. Ele merecia um castigo tão severo? O Senhor trata seu povo dessa maneira? Fiquei perturbado.

Hoje, observando o texto novamente, me pergunto: Qual é o problema aqui? Por que a arca era tão especial que ninguém podia toca-la? Esta é uma pergunta crucial, irmãos. Qual é o papel da arca? Devemos nos concentrar na arca, pois ela é central em nosso texto. O rei Davi quer que a arca esteja em Jerusalém. Uzá morreu porque tocou a arca. Obede-Edom foi bem abençoado enquanto a arca esteve na casa dele. A morte e a vida acompanham a arca; ela traz a benção e a maldição de Deus. Por um lado, as pessoas se assustam observando a arca, por outro lado, as pessoas a admiraram. E quem observa bem essa história, vê ... Para ler mais, clique aqui.

Honrar pai e mãe, todos os dias da nossa vida

T. Vários textos de Provérbios 

L. Domingo 39 

 

Queridos irmãos e irmãs em Cristo,

Daqui a pouco, no dia 12 de Maio, teremos o dia das mães. Um dia especial em que as mães recebem um pouco mais atenção do que acontece normalmente. As crianças, na escola, farão um desenho para sua mãe; em casa elas podem dar um presente a ela: uma florzinha, ou um brinco, ou outra coisa que ela goste de receber. Só para mostrar a nossa gratidão por tudo o que ela faz diariamente. Pois a mãe faz muitas coisas. Muitas vezes estamos tão acostumados com isso que nem observamos mais o que ela faz. Só quando ela fica doente ou quando ela falece é que nós descobrimos todas as coisas que a nossa mãe costumava fazer. Ou só quando você se torna mãe é que você descobre o que a sua mãe sempre estava fazendo. Então, ela precisa ser honrada. Não somente no dia das mães, mas em todos os dias da nossa vida.

Li um texto esta semana, que disse:

“Honra o teu pai de todo o coração

e não esqueças as dores da tua mãe.

Lembra-te de que foste gerado por eles.

O que lhes darás pelo que te deram.”

Este texto fala sobre os pais, e especialmente sobre a mãe. A sua mãe sabe de tudo sobre você. Ela sabe como foi o seu parto. As dores que ela sofreu na hora de dar à luz seu filho. Ela sabe as dorzinhas que você sentiu depois. As cólicas, as doenças, todas as noites que ela estava andando com você para lhe consolar; ela sabe do que você gosta e do que não gosta; a sua comida preferida; a mãe sempre estava controlando... Para ler mais, clique aqui.

O Senhor Deus molda as nossas vidas.

Leitura: Domingo 33

Texto: Jeremias 18, 6

 

Queridos irmãos,

 

Temos um hino que diz:

Eu quero ser, Senhor, Amado,

Como um vaso nas mãos do oleiro.

Quebra a minha vida e faze-a de novo.

Eu quero ser, eu quero ser...

Um vaso novo.

 

Quebra a minha vida e faze-a de novo...

Todo mundo sabe o que está cantando...?

Pois essas palavras são meio pesadas, se pensar bem nelas.

Quebra a minha vida e faze-a de novo...

Como? Como Deus pode realizar isso?

 

De onde vem essa ideia?

Parece-me que essas palavras vêm da profecia de Jeremias 18, 6:

“Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Diz o Senhor;

Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.”

 

Essa é a mensagem de Deus para o povo de Israel. O que Deus quer dizer? Vamos para o contexto.

 

Jeremias recebeu uma ordem de Deus: Dispõe-te, e desce à casa do oleiro, e lá ouvirás as minhas palavras. Jeremias foi para lá e observou o trabalho do oleiro. Um trabalho comum. O oleiro morava na área mais baixa de Jerusalém. Dessa maneira, ele não precisaria levar o barro pesado para os lugares mais altos da cidade.

O oleiro trabalhava em sua casa. Ele estava assentado e usava rodas para transformar o barro num vaso. Não sei se alguém aqui já viu isso uma vez, mas esse trabalho é muito interessante. Os oleiros trabalham com duas rodas, que são conectadas uma com a outra com um eixo vertical. O oleiro usava os seus pés para movimentar a roda de baixo e, fazendo isso, automaticamente a roda de cima começava a girar.

Em cima da roda superior, o oleiro colocava um pedaço  ...Para ler mais, clique aqui.

As autoridades são estabelecidas por Deus.

Leitura: Romanos 12

Texto: Romanos 13, 1-7

 

Queridos irmãos/irmãs em Cristo Jesus,

[Estamos no meio das eleições. Na semana passada houve as eleições nos Estados Unidos: Joe Biden contra Donald Trump. No domingo que vem haverá as eleições aqui no Brasil. Quem vai ganhar?] Uns querem fulano; outros, beltrano. Muitas vezes, durante as eleições, se manifestam rivalidades e inimizades. Um partido contra o outro. Os Democratas contra os Republicanos. Os oponentes são quase inimigos. E, no final: como observar o candidato que ganhou? Ele é o inimigo OU ele é a autoridade legítima? O ministro de Deus?

Como deve ser a nossa posição a respeito das novas autoridades? Paulo escreveu o seguinte: Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas. Que pensar dessas palavras? Vamos ver.

Como sempre: tem que ler o texto no contexto! O texto parece estar isolado, mas não está. Está no contexto dos capítulos 12 a 14. Esses capítulos falam sobre a prática da vida cristã; o que caracteriza a vida cristã é o amor.

Veja o capítulo anterior. Nesse capítulo, Paulo começa dizendo que nós não podemos ser egoístas – pensar apenas em nós mesmos. Nós devemos transformar as nossas vidas pela renovação da nossa mente, de acordo com a boa vontade de Deus (vs 2); nós devemos agir como membros do corpo de Cristo (vs 6) e usar os nossos dons em favor dos outros irmãos; vs. 9 diz que o amor deve ser sem hipocrisia, devemos detestar o mal, apegar-nos ao bem e amar uns aos outros com amor fraternal. Esta parte fala sobre o amor fraternal, mas tal amor se estende, também, para os que estão fora da igreja (vs 18);...Para ler mais, clique aqui.

Devemos clamar pelo reino de Deus para que haja obediência plena a Ele.

Leitura: Mateus 13, 24-30

Texto: Domingo 48 CdH

 

Amados Irmãos/Irmãs em Cristo,

“Venha o teu Reino”. Essa é a segunda petição que Jesus Cristo nos ensinou.

“Venha o teu Reino”. Quer dizer: que venha o Reino de DEUS! Jesus Cristo nos ensina a desejar isso. “Venha o TEU Reino, meu Deus”. Não o NOSSO Reino, mas o TEU Reino!

Muitas pessoas, quando oram, pensam, em primeiro lugar, apenas no reino DELAS MESMAS, nas coisas que elas precisam: comida, bebida, saúde. Elas estão preocupadas com essas coisas. Elas estão trabalhando, poupando, enriquecendo-se, para comprar um terreno, para construir uma casa, para melhorar a qualidade da sua vida, para conseguir uma posição melhor neste mundo, na sua empresa, para ganhar mais dinheiro, para comprar um carro, para comprar um terreno na praia. São coisas que as pessoas do mundo gostam e que ocupam a agenda das pessoas: Construir o seu próprio império.

Pensando nessas coisas, Jesus pregou um sermão, que encontramos em Mateus 6. Ele falou sobre o verdadeiro tesouro, que não é o tesouro que encontramos aqui na terra, mas que encontramos no céu! E, logo depois, ele falou sobre todas as coisas que nos preocupam aqui na terra: comidas, bebidas e vestes. E, chegando ao fim, ele disse: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas. Pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas. Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”.

BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA.

Jesus disse isso! A todo mundo que está se preocupando com as coisas deste mundo; a todo mundo que está preocupado com o seu próprio império: o castelo onde você mora; o reino da sua empresa, ou de qualquer outro rei que está dominando a sua vida. Pode ser o seu patrão ou a sua patroa. Assim é a vida. Mas Jesus diz: Buscai em primeiro lugar o reino de DEUS e a sua justiça, e TODAS ESTAS COISAS VOS SERÃO ACRESCENTADAS. Em primeiro lugar, as coisas de DEUS, e em segundo lugar as coisas que precisamos para servir a Deus; por causa disso Jesus nos ensinou a orar, em primeiro lugar, “Venha o teu Reino”; em seguida: Seja feita a tua vontade! E, depois disso, “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje”. Primeiro o reino de DEUS, porque ELE nos dará o que precisamos. ...Para ler mais, clique aqui.

Pela história de Miriã, o SENHOR nos ensina sobre o papel da mulher na congregação.

Leitura: Hebreus 3

Texto: Números 12

Queridos irmãos e Irmãs em Cristo Jesus,

Hoje em dia há muitas discussões sobre o papel da mulher na congregação. Cada vez mais cresce a ideia de que homem e mulher são iguais. A Revolução Francesa, no século XVIII, começou a divulgar essa filosofia: “Liberté, igualité e fraternité”; foram os três gritos que encheram as ruas de Paris. E o eco desses gritos se espalhou pelo mundo inteiro. Essas ideias tinham grande influência nos Estados Unidos. Liberdade para os negros, igualdade para as mulheres; democracia para todos. A batalha pela igualdade das mulheres, nas eleições, na política e na educação caracterizou o século XX.

E este movimento ganhou força depois da Segunda Guerra Mundial, e especialmente depois da Revolução dos Sexos, nos anos sessentas. Homem e mulher são iguais e devem ter os mesmos direitos. Por meio da educação e por meio da filosofia socialista a opinião comum começou a mudar no final do século XX, e o último bastião que deve ser conquistado é a igreja. A igreja é um bastião conservador que ainda prega a desigualdade: o homem é o cabeça da sua família e da esposa! Mas, como já disse, as muralhas estão sendo derrubadas. Hoje em dia há muitas discussões sobre o papel da mulher na congregação.

Várias igrejas protestantes abriram as portas dos ofícios nos anos sessentas: a igreja Anglicana na Inglaterra, a igreja Luterana na Alemanha, a igreja Protestante na Holanda. As igrejas reformadas – naquela época- protestavam e reclamavam sobre a liberalidade dessas igrejas, e apontavam para as escrituras, mas trinta anos depois – no início do terceiro milênio – começaram também grandes discussões dentro das Igrejas Reformadas na Holanda e nos Estados Unidos. Li vários artigos e relatórios que começavam a defender... Para ler mais, clique aqui.

Venha o teu reino à nossa igreja!

Leitura: Domingo 48B CdH

Texto: Efésios 4, 7-16

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Mais uma vez vamos dar atenção à segunda petição da oração “Pai Nosso”: Venha o teu Reino. Domingo passado já tratamos essa petição pela primeira vez e observamos que essa petição tem vários aspectos. Quando oramos “venha o teu reino”, devemos pensar na obra da regeneração do Espírito de Deus em nossa vida.

 

Venha o teu Reino! Isso quer dizer: Na minha vida; no meu coração!

Venha o teu Reino! Quer dizer também: em nossa igreja!

Venha o teu Reino! No mundo perverso;

Venha o teu Reino! Até no céu!

 

São quatro aspectos do reino de Deus. O reino de Deus deve se manifestar:

1) no meu coração;

2) na nossa igreja;

3) no mundo em redor de nós;

4) e até no céu.

Hoje vamos falar sobre o segundo aspecto: venha o teu reino na nossa igreja!

O nosso Catecismo abre os nossos olhos para este aspecto, porque ele diz no seu comentário: “Governa-nos por tua Palavra e por teu Espírito de tal maneira que, cada vez mais, nos submetamos a ti”. Esse é o aspecto particular do reino de Deus. Mas ele fala também sobre o aspecto eclesiástico do reino de Deus, dizendo: “conserva e aumenta tua igreja”.

Prestem atenção que o catecismo diz: “conserva e aumenta a tua igreja”. É bom observar isso. A igreja é de Cristo!! Nós somos de Cristo! O primeiro aspecto já mostra isso. A igreja somos nós! E nós somos ungidos pelo Espírito de Cristo. Isso quer dizer: o Espírito de Cristo habita em nós; somos de Cristo, pertencemos a Cristo.

O Artigo 27 da Confissão Belga fala sobre a igreja e diz: Cremos e confessamos uma só igreja católica ou universal. Ela é uma santa congregação e assembléia dos verdadeiros crentes em Cristo, que esperam toda a sua salvação de Jesus Cristo, lavados pelo seu sangue, santificados e selados pelo Espírito Santo... Para ler mais, clique aqui.

Pai, venha o teu reino no meu coração.

Leitura: Domingo 48 CdH

Texto: Mt. 13, 31-32

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje chegamos a tratar a segunda petição da oração “Pai Nosso”. Cristo nos ensinou a orar: Pai, venha o teu Reino! Então, o tema para hoje é o reino de Deus.

Sabemos que este tema é um tema importante nos evangelhos. Foi um dos temas principais na pregação de Jesus. Ele sempre disse: arrepende-te, porque o reino dos céus está perto. E essa pregação chegou ao seu clímax no dia em que Jesus Cristo subiu ao céu.

[Talvez vocês se lembrem da pregação no dia em que comemoramos a ascensão de Cristo. (Slides (ordem inversa) Jesus Cristo rei dos Judeus)]. Haverá um dia em que Jesus voltará em sua glória sob as nuvens; e todo olho o verá. Todo mundo observará Jesus como Rei.

Neste momento Jesus é rei. Ele conquistou os corações; ele conquistou o mundo; por meio da pregação do evangelho. Os apóstolos eram seus mensageiros. Eles pregaram o evangelho, enquanto foram guiados pelo Espírito de Cristo. No dia da sua morte, o governador Romano, Pôncio Pilatos, escreveu em seu registro: morreu Jesus Cristo, o Rei dos Judeus. Pilatos o considerou assim: como Rei dos Judeus!

Mas Jesus lhe disse: O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora meu reino não é daqui!

O reino de Cristo vem dos céus; vem de Deus. Este reino é espiritual! Os discípulos aprenderam isso no dia da ascensão de Jesus Cristo. Eles lhe perguntaram (Atos 1,6): Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? E Jesus lhes respondeu: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai... Para ler mais, clique aqui.

A glória do dia final para os crentes, e sua destruição para os descrentes e ímpios

Texto: 2 Tess. 1, 7-10                     

Leitura: 2 Tess. 1, 1-10

              Domingo 19

 

(Algumas alterações podem ser necessárias).

 

Hoje foi anunciada a excomunhão de um(a) irmão(ã) da igreja. Ele foi excomungado porque não vivia e não queria viver de acordo com o [primeiro e quarto] mandamento que Deus nos deu. Ele relaxou, e se afastou da igreja; não visitava mais a igreja para adorar a Deus no dia de domingo, nem participava da santa ceia, embora houvesse sido advertida inúmeras vezes.

Ele foi disciplinado, mas não queria mudar a sua vida. E, finalmente, anunciamos à congregação que ele seria excomungado no dia [06 de fevereiro] se ele não se arrependesse dos seus pecados e manifestasse sinais de um verdadeiro arrependimento. Ele não mostrou esses sinais. [Ele esteve aqui na igreja em dezembro, mas depois disso, não apareceu mais na igreja. Ele podia vir, mas não quis. Podia pedir ajuda, mas não o fez. Assim ele manifestou-se igual àqueles que não conhecem a Deus e não obedecem ao Evangelho de Jesus.

O próprio Jesus falou sobre tais pessoas, e disse (Mt. 18, 15-18):

“Se teu irmão pecar, vai argui-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão. Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja, considera-o como gentio e publicano”.

Considerar um membro da igreja como gentio e publicano quer dizer que ele não é mais membro da igreja. Ele se afastou e vive como descrente, como os gentios e como os publicanos, que não visitavam as sinagogas e não obedeciam a Deus. O pecador tem uma vida igual a essa, e por causa... Para ler mais, clique aqui.

Crer é se submeter a Jesus Cristo, porque ele é Rei

T.: Atos 1,1-10 + Mt. 28, 18

L.: Domingo 19 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Crer é ter Jesus Cristo como Rei.

 

A ascensão de Jesus Cristo está ligada a isso.

Jesus Cristo subiu ao céu e está sentado a direita de Deus Pai, o Todo Poderoso!

Vocês acreditam nisso? Vocês realmente acreditam nisso?

Não somente ali (na cabeça), mas também aqui (no coração)!

Vocês aceitam Jesus Cristo como rei na sua vida?

O que isso quer dizer?

Cristo é rei.

Se eu digito essas palavras na tela do meu computador para pesquisar no Google o que isso quer dizer, O Google me mostrará o estatua “Cristo é Rei”, que está perto da cidade de Lisboa em Portugal.

Milhares de pessoas já visitaram este lugar, que se tornou um ponto turístico.

Milhares de pessoas querem ver o “Cristo é Rei”, mas será que elas também aceitam Cristo como Rei na sua vida? O que isso significa ter Jesus Cristo como Rei?

Isso significa no primeiro lugar: adoração e respeito

Cristo está assentado a direita de Deus Pai, o todo poderoso!

Toda a autoridade lhe foi dado no céu e na terra.

Os discípulos o adoraram quando ouviram isso (Mt 28,17) e o serviram (Mt 28,19)

Isso significa no segundo lugar: submissão

Se Cristo é o nosso Rei, nós somos os seus servos!

Isso significa no terceiro lugar: obediência

Os servos devem obedecer à palavra do rei;

Se ele diz: Vamos, nós temos que ir.

Se ele diz: Venhamos, nós temos que vir.

 

Cristo é rei.

Muitas pessoas gostam dessa ideia, porque querem que Cristo as ajude.

Elas aceitam Jesus como rei, enquanto ele faz o que elas querem.

E se ele não o fará, elas o rejeitam como rejeitam qualquer político.

 

A história de Jesus já mostra isso... Para ler mais, clique aqui.

Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor

Texto: Filipenses 2: 12-18

 

Queridos irmãos,

Às vezes acontecem coisas ruins na nossa vida e nós não sabemos o porquê. Existem certos momentos em que nós só sentimos a miséria e a tristeza. Só depois de muito tempo podemos ver os efeitos positivos daquele momento desagradável.

Como aqui no caso de Paulo. Paulo está na prisão. E da prisão ele manda uma carta à congregação de Filipe. Uma carta com muitas boas palavras e com muitas exortações. Uma carta que edificou e exortou muitas igrejas. Imaginem que Paulo não estivesse na prisão; ele também não teria escrito esta carta. Mas Deus queria que isso  acontecesse. E assim Deus providenciou esta carta para nós.

Então, como já disse: Paulo estava ausente. Ele estava na prisão. Ele não podia visitar a igreja de Filipe. Por causa disso ele mandou uma carta, pois ele quer exortar a congregação. Ele quer que eles fiquem firmes na fé. Os irmãos não devem perder a esperança. Por causa disso ele falou sobre Jesus Cristo.

Ele mostra em primeiro lugar que os irmãos não devem ficar assustados ouvindo que o seu missionário está na prisão. Isso faz parte da vida cristã. Cristo mesmo nos deu um exemplo.  E todos nós devemos seguir o exemplo de Cristo, que se humilhou, tornando- se obediente até a morte.  Paulo seguiu o exemplo de Jesus e por causa disso ele está na prisão. E ele quer que os irmãos continuem no caminho atrás de Jesus Cristo. Seguindo e exemplo de Jesus Cristo. Eles também devem ser obedientes. Não somente na presença de Paulo, mas também na ausência dele. Eles devem continuar! A salvação depende disso! Isso tem a ver com a obra do Espírito de Deus na nossa vida. Aqui se trata da obra da santificação.

Paulo trabalhou como...Para ler mais, clique aqui.

A sabedoria de Jesus

L. 1 Pe 2, 11-25 

T. Luc. 2, 40-52

 

Queridos irmãos em Cristo,

Doze anos. Esse é um momento importante na vida da maioria das crianças. Isso significa muitas vezes, o fim da infância e a entrada na vida dos adultos. Nessa idade termina a vida na escola fundamental, e o aluno faz uma mudança para o ensino médio; um passo em frente para a vida dos adultos. A criança se sente mais adulta e experimenta também mais responsabilidade, porque a escola exige mais dos alunos. E não somente na escola, mas também em casa e na igreja existem mais expectativas. Na igreja começam as aulas de Catecismo. Os professores nos preparam para entrar no mundo, para funcionar na igreja e para conhecer a Palavra de Deus para que possa andar com Deus. Doze anos é um momento importante na vida de qualquer pessoa.

Não somente hoje, mas também na antiguidade. Antigamente isso significava: terminar a escola e começar a trabalhar, seja na fazenda do seu pai, seja na pescaria, seja na casa de uma outra pessoa. Uma criança de 12 anos entrava automaticamente no mundo dos adultos. A vida de Jesus era assim também. Lucas nos mostra um momento da vida de Jesus, que é caraterístico de toda a sua vida. Essa história conecta vs 40 e vs 52.

No vs 40 se fala sobre a infância de Jesus: “Crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele”. Depois ouvimos a história dele no templo, e em vs 52 se diz: “e crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e os homens”. O que caracteriza a vida de Jesus é a sua SABEDORIA! Sabedoria santa. A sabedoria que nos ensina como devemos viver com Deus e com...Para ler mais, clique aqui.