Skip to content

Berichten getagd ‘Regeneração’

Deus ajudou Abrão a andar em seus caminhos enquanto estava no Egito.

 

T: Gênesis 12, 10-19

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Já observaram uma criança que começa a andar? Inicialmente ela aprende a andar segurando as mãos de um adulto. Mas num certo momento, ela mesma se levanta, dá alguns passos, e cai no chão. Ela está aprendendo, mas ainda não tem força o bastante e equilíbrio para andar sozinha.

Muitas vezes a vida de um crente começa assim também. Uma pessoa é chamada por Deus, se converte e começa a andar nos caminhos do Senhor. Mas ela ainda é como uma criança, ainda tem que aprender a andar sozinha. Muitas vezes uma pessoa começa a andar, dá alguns passos e cai em pecado, porque ainda não tem força e equilíbrio para andar sozinha.

Assim podemos observar também a vida do patriarca Abrão. Ele foi chamado por Deus. Ele devia sair da cidade idólatra de Ur e viajar para Canaã. Deus lhe deu grandes promessas: Abraão herdaria muita terra e Deus lhe daria uma grande descendência. Abraão acreditou nas promessas de Deus e saiu da cidade da sua família, e foi para Canaã. Ele começou a andar nos caminhos do Senhor.

Mas quando ele estava no país de Canaã, aconteceu um período de grande fome. Abrão começou a dar os seus primeiros passos sozinhos. Mas, como uma criança, ele logo caiu. Ainda não teve força o bastante e equilíbrio para andar sozinho e o Senhor, como Pai, o levantou para continuar a andar em seus caminhos. Assim devemos observar a história que lemos em Gênesis 12, 10-19.

 

Deus ajudou Abrão a andar em seus caminhos enquanto estava no Egito

  • A fraqueza de Abrão;
  • A força de Deus.

 

Irmãos, Abrão acabou de entrar no país prometido, Canaã, e logo acontece um desastre que forçou Abrão a mudar os seus planos. Ele estava no sul do país, perto do deserto de Negev, enquanto as chuvas pararam e havia fome naquela terra. Fome para os animais e fome para os homens. Não havia mais comida, nem no campo, nem na cozinha. Isso não era estranho, e acontecia muitas vezes. Uma vez pior do que as outras. Desta vez a fome era grande, como, por exemplo, nos dias de Jacó, quando houve uma fome que durou mais de sete anos.

Podemos nos imaginar, irmãos, que esta fome era uma provação para Abraão. Ele foi chamado por Deus para se mudar da Mesopotâmia para um outro país, onde Deus lhe abençoaria. E logo, logo isso acontece. Prestem atenção nisso! Porque muitas vezes tais coisas acontecem na vida de um crente. Ele é chamado para seguir a Deus, entra na igreja e pensa que tudo dará certo. Deus lhe abençoará, mas logo acontece alguma coisa que serve para provar a sua fé. E o que fazer? Têm crentes que logo desistem e saem da igreja, mas outros continuam, ... Para ler mais, clique aqui.

A queda do homem e a sua corrupção

Domingo 3 CdH

P. 6: Mas Deus criou o homem tão mau e perverso?

R.: Não, Deus criou o homem bom e à sua imagem, isto é, em verdadeira justiça e santidade para conhecer corretamente a Deus, seu Criador, amá-lo de todo o coração e viver com ele na eterna felicidade, para louvá-lo e glorificá-lo.

P. 7: De onde vem, então, essa natureza corrompida do homem?

R.: Da queda e desobediência de nossos primeiros pais, Adão e Eva, no paraíso.

Ali, nossa natureza tornou-se tão envenenada, que todos nós somos concebidos e nascidos em pecado.

P. 8: Mas somos tão corrompidos que não conseguimos fazer bem algum e somos inclinados para todo mal?

R.: Somos sim, se não nascermos de novo pelo Espírito de Deus.

 

 

Texto: Gênesis 3, 15

Leitura: Domingo 3 CdH

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Faz tempo que li um uma meditação sobre Gênesis 3,15. O Autor desta meditação criticou a ideia de que o homem é corrompido com uma natureza pecaminosa. O autor até usou Gênesis 3,15 para mostrar que o homem era bom! Desde o início - ele disse - existe um contraste, uma inimizade entre o homem e o mal. O homem detesta o mal e sabe que o mal é ruim. O mal é seu inimigo. A consciência do homem nunca viverá em paz com o mal, ele disse.  Então o homem não é tão mau como o catecismo de Heidelberg nos ensina.

 

Pensando sobre isso, quero defender o ensino do nosso catecismo. Não por obrigação ou por costume, mas porque acredito que o catecismo tem plena razão quando diz que o homem é corrupto. O nosso Catecismo reflete fielmente no ensino das sagradas escrituras e quero mostrar isso. Então, vamos em primeiro lugar ler o Domingo 3 do nosso Catecismo. [Leitura]....Para ler mais, clique aqui.

Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor

Texto: Filipenses 2: 12-18

 

Queridos irmãos,

Às vezes acontecem coisas ruins na nossa vida e nós não sabemos o porquê. Existem certos momentos em que nós só sentimos a miséria e a tristeza. Só depois de muito tempo podemos ver os efeitos positivos daquele momento desagradável.

Como aqui no caso de Paulo. Paulo está na prisão. E da prisão ele manda uma carta à congregação de Filipe. Uma carta com muitas boas palavras e com muitas exortações. Uma carta que edificou e exortou muitas igrejas. Imaginem que Paulo não estivesse na prisão; ele também não teria escrito esta carta. Mas Deus queria que isso  acontecesse. E assim Deus providenciou esta carta para nós.

Então, como já disse: Paulo estava ausente. Ele estava na prisão. Ele não podia visitar a igreja de Filipe. Por causa disso ele mandou uma carta, pois ele quer exortar a congregação. Ele quer que eles fiquem firmes na fé. Os irmãos não devem perder a esperança. Por causa disso ele falou sobre Jesus Cristo.

Ele mostra em primeiro lugar que os irmãos não devem ficar assustados ouvindo que o seu missionário está na prisão. Isso faz parte da vida cristã. Cristo mesmo nos deu um exemplo.  E todos nós devemos seguir o exemplo de Cristo, que se humilhou, tornando- se obediente até a morte.  Paulo seguiu o exemplo de Jesus e por causa disso ele está na prisão. E ele quer que os irmãos continuem no caminho atrás de Jesus Cristo. Seguindo e exemplo de Jesus Cristo. Eles também devem ser obedientes. Não somente na presença de Paulo, mas também na ausência dele. Eles devem continuar! A salvação depende disso! Isso tem a ver com a obra do Espírito de Deus na nossa vida. Aqui se trata da obra da santificação.

Paulo trabalhou como...Para ler mais, clique aqui.

Jesus nos chama a sermos evangelistas

T: Romanos 12, 2 

L: Mateus 5, 13-16     

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Faz (pouco) tempo que ouvi a história de um missionário que trabalhava na Índia.  Ele viajava de cidade para cidade, pregava e ensinava o evangelho, e, quando ele tinha instruído um grupo de alunos, ele os levava à praça da cidade e os perguntava: vocês querem dedicar a sua vida a Jesus Cristo? E os alunos responderam: Sim, quero dedicar a minha vida a Cristo! Nesse momento o missionário respondia e dizia: Então, daqui em diante, vocês são os missionários aqui! E ele os deixava e ia para outra cidade.

O que aprendemos dessa história é que a obra missionária não depende de um só missionário profissional; todos os cristãos são chamados a proclamar o evangelho; a própria Palavra de Deus confirma isso.  Por exemplo, Romanos 12, 1-2. Paulo escreveu o seguinte ali: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

Prestem atenção, irmãos!  Paulo não falou a um grupo evangelistas, nem aos missionários, mas ele falou simplesmente aos irmãos da igreja em Roma e os explicou as consequências de uma vida cristã: eles devem dedicar a sua vida a Deus! Como?  O versículo 2 explica isso: como eles devem fazer isso. Vamos nos concentrar nisso

 

SEJAM EVANGELISTAS: TRANSFORMAI-VOS PELA RENOVAÇÃO DA VOSSA MENTE.

  1. Não vos conformeis com o padrão deste mundo;
  2. Mas vos encheis com o Espírito de Cristo;
  3. E viveis de acordo com a boa, agradável e perfeita vontade de Deus;

 

Não vos conformeis com o padrão deste mundo.

Irmãos, o apóstolo Paulo fala aqui sobre a relação entre a igreja e o mundo em redor dela. Qual deve ser a relação entre a igreja de Cristo e a cultura em redor dela? Esta questão é fundamental para a igreja de Cristo. Jesus já falou sobre isso no seu sermão do monte (Mt 5). Ele disse aos seus discípulos: Vós sois o sal da terra; vós sois a luz do mundo! E o apóstolo de Jesus, Paulo, fala também sobre isso em todas as suas cartas. Na sua carta aos Colossenses, ele disse: “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor”. A igreja é a luz nas trevas; é o fermento na massa. A igreja é diferente; ela faz uma diferença! Ela é chamada a transformar o contexto em que ela vive!

...Para ler mais, clique aqui

A verdade sobre o batismo do Espírito Santo

Texto: Atos 8: 14-17

Leitura: Mateus 13: 1-23

 

Queridos irmãos,

Atos 8, 14-17, é um texto muito importante! Pois baseado neste texto muitas igrejas pentecostais defendem que o batismo do Espírito Santo é para toda a igreja, e não somente para os primeiros discípulos de Jesus. Mas será que elas têm razão?

Hoje vamos ouvir o que a palavra de Deus diz a respeito do batismo do Espírito Santo neste texto. Eu podia ser bem rápido e dizer: NADA! Sim, NADA! O texto não diz nada sobre o batismo do Espírito Santo como as igrejas pentecostais pensam.

Já posso ver que alguns irmãos se surpreendem sobre isso, então devo dizer mais do que somente NADA. Então, vamos observar a Palavra de Deus mais cuidadosamente. Mas deixa me dizer logo alguma coisa: o texto não é fácil, então precisa da sua atenção!

A primeira coisa que devemos fazer é nos livrar de todos os pressupostos! Sim, todos os pressupostos, pois existem várias ideias pressupostas a respeito deste texto.  Um dos pressupostos é que o povo de Samaria aceitou a palavra de Deus e recebeu o Espírito Santo; consequentemente as igrejas pentecostais usam este texto para falar sobre o batismo do espírito Santo, que vem depois do batismo; elas enfatizam a diferença entre a fé E o batismo do Espírito Santo.

A igreja de Roma usa este texto duma maneira similar, mas em vez de falar sobre o batismo do Espírito Santo, ela fala sobre a crisma. Ela usa este texto para mostrar que existe uma diferença entre o batismo e a crisma.

Agora, ambos têm o pressuposto de que os Samaritanos eram verdadeiros crentes. Mas será que isso é a verdade? Os Samaritanos eram verdadeiros crentes?...Para ler mais, clique aqui.

 

Um descrente pode participar da Santa-Ceia?

Texto: João 13, 26

Leitura: Conf. Belga art. 35 Santa Ceia

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Um incrédulo pode participar da santa ceia? E se por acaso participar, ele receberá a remissão dos seus pecados? Essa pergunta foi uma questão "quente" no século 16, na época da reforma. A pergunta surgiu observando o papel de Judas na Santa Ceia com Jesus.

Judas participou da Santa Ceia? E se participou, ele recebeu a remissão dos pecados?

Essa pergunta dividiu os crentes em dois grupos; Num lado houve um grupo que disse que Judas não participou da santa ceia; ele participou da ceia da Páscoa e num certo momento ele saiu; depois disso Jesus instituiu a santa ceia. Eles usam o evangelho de Mateus e Marcos para defender essa posição. Ali está escrito: (ler Mt. 26:20-30).

Mt. 26:20-25: o traidor indicado; Mt. 26: 26-30: instituição da Santa Ceia;

Mc. 14;17-21: o traidor indicado;Mc 14: 22-26: instituição da Santa Ceia;

Mateus e Marcos indicam no primeiro lugar o traidor e falam depois sobre a instituição da Santa Ceia; Mateus dá a impressão que Judas saiu antes da instituição da Santa Ceia, mas ele não disse isso claramente.

O outro grupo não concordou com isso e apontou para o evangelho de Lucas e João.

Lc. 22: 19-23: instituição da Santa ceia; vs. 21: a mão do traidor está comigo na mesa!!!

Lucas diz claramente que a mão do traidor está na mesa da santa ceia.  E sabendo disso, podemos também apontar para o evangelho de João. João 13, 21-30: administração da Santa Ceia; vs. 26: Judas recebeu o pedaço de pão! Então podemos dizer que Judas participou da Santa Ceia. Então vamos repetir a nossa pergunta: E se participou, ele recebeu a remissão dos pecados?

A resposta à esta pergunta tem a ver com o caráter da Santa Ceia sendo um sacramento...Para ler mais, clique aqui.

Tende sal em vós mesmos e paz uns com os outros

Texto: Marcos 9, 49-50

Leitura: Mateus 5,13-16 e Mc. 9, 33-50

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Vós sois o sal da terra!”, disse Jesus aos seus discípulos! “Vós sois a luz do mundo!”.

Não existem palavras que expressam melhor o importante papel dos cristãos neste mundo! Nós somos o sal DA TERRA; e a luz DO MUNDO! Cristo Jesus teve uma grande expectativa pensando no papel da sua igreja aqui na terra; mas ele também disse: ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para ser lançado fora, ser pisado pelos homens! Isso é um aviso. Tenha cuidado que isso não aconteça! Vós sois o sal da terra!

Jesus disse isso no início das suas aulas. E num certo momento ele repetiu essa mensagem. Exatamente num momento em que o sal começou a ser insípido. Ele repetiu a sua mensagem quando ouviu que os seus discípulos estavam discutindo a questão: quem deles era o maior!

Jesus reagiu logo e parece que queria lhes dizer: eu não disse? Ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para lançado fora, ser pisado pelos homens! Então, Tende sal em vós mesmos e paz uns com os outros! Essa é a mensagem para todos os discípulos de Jesus. Tanto para os antigos, como também para nós, hoje. Eu lhes prego a palavra de Deus, que diz:

 

TENDE SAL EM VÓS MESMOS E PAZ UNS COM OS OUTROS!

  1. O contexto dessa exortação;
  2. O significado dessa exortação;
  3. A atualidade dessa exortação.

 

  • O Contexto dessa exortação

Em primeiro lugar observaremos o contexto maior, irmãos:

O nosso texto faz parte de uma lista de tarefas de casa para os alunos de Jesus.

Prestem atenção: cada vez que Jesus anunciou a sua morte, ele deu uma lista de tarefas de casa aos seus discípulos. Uma lista que eles deviam cumprir em sua ausência. Cristo ensinou os seus discípulos a segui-lo de tal maneira que eles podiam apresentá-lo às pessoas enquanto Ele mesmo não estivesse presente. Então essas dicas são as últimas palavras do Mestre aos seus alunos.

O primeiro anúncio foi feito em Mc. 8,31-33, e logo depois Jesus explicou aos discípulos como devem segui-lo (8,34-9,1), dizendo: “tome a sua cruz e siga-me”. Assim é a vida cristã: sofrer e ter uma vida santa neste mundo;

O segundo anúncio foi feito em Mc. 9,30-32, e logo depois seguiam ...Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top