L: Ec. 12, 1-8

T: Ec. 11,9-12,8 + 2 Co. 5,1-10

 

Queridos irmãos, irmãs, em Cristo,

 

[Nesta semana estive no velório de Izabel, a irmã da nossa irmã Raquel.

Naquela ocasião li o texto de Eclesiastes 7, 2.]

“Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete,

pois naquela se vê o fim de todos os homens e os vivos que o tomem em consideração”.

Na casa de luto, todos nós vamos descobrir que somos mortais, porém

não conhecemos a hora em que se desliga a luz da nossa vida.

Os velhos devem morrer, e os jovens podem morrer. E como será a vida depois disso?

Muitas pessoas acham que não há nada depois da morte.

Nascer, crescer, morrer e ponto final!

Mas a Bíblia não fala assim.

A Bíblia diz que a vida continua depois da morte.

O pó voltará a terra como o era e o espírito voltará a Deus.

Assim fala o autor de Eclesiastes. Ele diz que há luz no fim do túnel.

Mas essa luz é fraca. Essa luz é um pontinho.

O AT não fala com tanta clareza como o NT.

Paulo fala com muito mais clareza em 2 Co. 5.

Ele disse: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou mal que tiver feito por meio do corpo.

Eclesiastes diz alguma coisa semelhante. Veja 11,9:

Alegre-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem o teu coração e agradem aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas!

Por causa disso é bom se lembrar do seu Criador!

Tanto nos dias bons, como também nos dias maus, antes da hora da morte.

 

LEMBRA-TE DO TEU CRIADOR!

  • Nos dias bons;
  • Nos dias maus;
  • Na hora da morte.

 

  1. Nos dias bons.

 

Os dias bons são os dias da mocidade. Veja 11, 9-10:

Alegra-te jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; ande pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas. Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1 CdH

 P. 1: Qual o seu único conforto na vida e na morte?

R. : O meu único conforto é que - corpo e alma, na vida e na morte - não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo, que, ao preço do seu próprio sangue, pagou totalmente por todos os meus pecados e me libertou completamente do domínio do pecado. Ele me protege tão bem que, contra a vontade de meu Pai do céu, não perderei nenhum fio de cabelo. Na verdade tudo coopera para o meu bem e o seu propósito é para a minha salvação. Portanto, pelo seu Espírito Santo ele também me garante a vida eterna e me torna disposto a viver para ele daqui em diante, de todo o coração.

 

Texto: Marcos 10, 17-22 & Salmo 49

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Vocês são felizes? E por que sim? Ou por que não? O que falta na sua vida? Por que você não é feliz? O que deixa um homem feliz? Dinheiro? Dinheiro deixa uma pessoa feliz? Parece que sim! Quem tem dinheiro pode comprar o que quiser e pode fazer o que quiser. Isso deixa muitas pessoas felizes. Mas esta felicidade dura para sempre? Esta felicidade é profunda? Podemos realmente comprar TUDO o que o nosso coração deseja? TUDO? Também a vida eterna?

 

A bíblia nos dá um exemplo de um homem que foi muito rico. Ele era riquíssimo. Podia comprar tudo o que queria. TUDO? Não, ele não podia comprar tudo. Ele não podia comprar a vida eterna. E por causa disso ele veio para perto de Jesus com esta pergunta: -Mestre, o que devo FAZER para conseguir a vida eterna? E Jesus o explicou: - faça a vontade de Deus. Obedeça aos mandamentos de Deus. O homem, ouvindo isso, ficou muito feliz, pois ele cumpria todos os mandamentos.

 

Ele cumpria todos os mandamentos? TODOS? Sim, todos! Mas será que ele fez isso com amor? Jesus quer saber isso, e por isso ele disse: - Falta mais uma coisa para você fazer: Vá, venda tudo o que tem e dê o dinheiro aos pobres, e assim você será rico no céu. Depois venha e me siga. O homem, ouvindo isso, ficou muito triste. Ele descobriu a sua pobreza, quando ele ouviu as palavras do Senhor. Apesar da sua riqueza, ele ainda era pobre. Ele tinha muito dinheiro, mas pouco amor. Ele podia viver feliz, mas ele não podia morrer feliz. E quem não pode morrer em paz, nunca vai viver em paz. Então a pergunta é:

 

O que devemos saber para VIVER e MORRER EM PAZ?

1° lugar: devemos saber A NOSSA POBREZA;

2° lugar: devemos saber A RIQUEZA DE CRISTO;

3° lugar: devemos ter certeza que ESTA RIQUEZA É DADA A NÓS POR DEUS....Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1 CdH

P. 1: Qual o seu único conforto na vida e na morte?

R.: O meu único conforto é que - corpo e alma, na vida e na morte - não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo, que, ao preço do seu próprio sangue, pagou totalmente por todos os meus pecados e me libertou completamente do domínio do pecado. Ele me protege tão bem que, contra a vontade de meu Pai do céu, não perderei nenhum fio de cabelo. Na verdade tudo coopera para o meu bem e o seu propósito é para a minha salvação. Portanto, pelo seu Espírito Santo ele também me garante a vida eterna e me torna disposto a viver para ele daqui em diante, de todo o coração.

 

Leitura: 1 Coríntios 15, 12-26

 

Irmãos,

Vocês são felizes? Quem não quer ser feliz? E o que devemos fazer para sermos felizes? Faz alguns anos que alguns estudantes na Holanda fizeram uma pesquisa para descobrir onde as pessoas eram mais felizes. Eles investigaram vários países. E concluíram que os habitantes do Canadá, da Austrália, Suíça e Holanda eram os mais felizes do mundo.

Felicidade, conforme essa pesquisa, é determinada por duas coisas: prosperidade e liberdade. Quanto mais modernidade e liberdade, maior é a felicidade, foi a conclusão desses estudantes. Então prosperidade e liberdade são ingredientes importantes para ser feliz. Por causa disso os Estados Unidos não são o número 1, pois lá não tem tanta liberdade. Lá muitas coisas são dirigidas e controladas de cima para baixo: pode ser pelo governo, ou pela empresa, pode ser pela igreja ou pela família.  Por causa disso os habitantes lá se sentem limitados na sua liberdade e por isso se sentem menos felizes.

Para serem mais felizes as pessoas devem se libertar do controle da família, da igreja, dos colegas. A consequência disso é que muitas pessoas ficam mais sozinhas. O outro lado da liberdade é o isolamento, estar sozinho, sem ajuda, sem amor, pois amor exige uma resposta e dá obrigações. Por isso, irmãos, não é uma surpresa que os países com o maior número de habitantes felizes, têm também o maior número de suicídios; pois liberdade é bom se não precisa de uma outra pessoa, mas a mesma liberdade te deixa infeliz, se realmente precisa de uma ajuda...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1ª (pergunta e resposta 1)

 

A) Introdução;

A primeira pergunta e resposta funcionam como um resumo da fé. Lembro-me que o pastor que nos ensinava o Catecismo disse: “se vocês aprenderem e entenderem esta primeira pergunta e a sua resposta, vocês conhecerão o núcleo do Evangelho”.  E ele tinha razão, porque neste primeiro domingo encontramos tudo o que precisamos saber para ser salvos.

 

B) Tema;

O início do Catecismo  funciona como uma introdução, que quer chamar a atenção do leitor e convidar a continuar a ler. O Catecismo começa com o ‘Cântico da Consolação’, tocando uma partitura fundamental do Novo Testamento. Ele começa a perguntar: o que é seu único conforto na vida e na morte? Uma pergunta interessa a qualquer pessoa. E a resposta é a seguinte: O meu único conforto é que não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo. “Pertencer a Jesus Cristo” é o tema desse domingo. A consolação do crente é o subtema, porque ela depende de Jesus Cristo. A consolação é uma benção do Espírito Santo que todos que pertencem a Jesus Cristo experimentarão.

 

C) A Luz das Sagradas Escrituras;

Saber que nós pertencemos a Jesus Cristo é um motivo de grande alegria e traz muito conforto. O profeta Isaías já falou sobre isso. Em Isaías 40 encontramos a palavra de Deus que Isaías devia pregar: “Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus. Falai ao coração de Jerusalém, bradai-lhe que já é findo o tempo da sua milícia, que sua iniquidade está perdoada e que já recebeu em dobro das mãos do Senhor por todos os seus pecados” (Is. 40, 1-2).

Esta profecia fala sobre o futuro, que se cumpriu em Jesus Cristo. Sabemos isso, porque logo depois dessas palavras Isaías disse: “Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus. Todo vale será aterrado, e nivelados, todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos, aplanados. A glória do Senhor se manifestará, e toda a carne a verá, pois a boca do Senhor o disse” (Is. 40, 3-5). Esta parte da profecia se cumpriu quando João Batista apareceu (Mt. 3,3). Ele é a voz no deserto, que exortava o povo de Deus para preparar o caminho do Senhor (Luc. 3, 4-6). Ele mesmo foi enviado para preparar o caminho do Senhor, que estava vindo. O povo de Deus devia se examinar, reconhecer os seus pecados e se converter.

Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1,29), disse João Batista quando viu Jesus Cristo se aproximando. E assim ele apontou aos seus discípulos o Salvador que traria consolação ao povo de Deus....Para ler mais, clique aqui.

Texto: Rom. 8: 14-16 e 28
Leitura: Rom. 8: 1-17

 

Queridos irmãos,


Hoje é o dia de Pentecostes. Hoje nós nos lembramos que faz quase dois mil anos que Cristo derramou o Espírito de Deus sob a
igreja em Jerusalém. Sob os apóstolos e sob outros membros da igreja. Foi o início da colheita. Depois disso os apóstolos foram
enviados para Judeia, Samaria e até os confins da terra, para proclamar o evangelho da ressurreição de Jesus Cristo; eles foram
enviados para semear a palavra de Deus e para colher o resultado. Às vezes a cem, às vezes a sessenta e às vezes a trinta por um.

O dia de Pentecostes, irmãos, foi um dia especial na história deste mundo. Neste dia começou a conquista de Jesus Cristo para vencer
o mundo. Não com força, nem com violência, mas com o poder irresistível do Espírito Santo. Este primeiro dia de Pentecostes,
cinqüenta dias depois da ressurreição de Cristo, marcou o início da campanha espiritual de Jesus. Cada ano a igreja lembra-se do dia
de Pentecostes.

Mas, irmãos, isso não quer dizer que só neste dia o Espírito de Deus estava ativo. Nada disso! De fato podemos dizer que cada dia é um
dia de Pentecostes; pois o Espírito de Deus continuou o seu trabalho desde aquele primeiro dia de Pentecostes até agora Ele está
trabalhando neste mundo para conquistar espiritualmente os corações das pessoas que vivem nas trevas; para livrar todos que
vivem na escuridão, na tristeza; todos que não têm esperança; todos que pensam que não há vida depois da morte; todos que têm
medo para morrer; todos que procuram uma segurança, uma consolação, para esquecer a sua miséria, para esquecer o seu
futuro.

Há pessoas que procuram esquecer seus problemas ou aliviar a sua vida com ...Para ler mais, clique aqui