Skip to content

Berichten getagd ‘Sermão’

Prestem atenção ao objetivo da obra de Deus nestes últimos dias.

Texto: 2 Pedro 3, 8-9

Leitura: 2 Pe. 3, 1-9; Eclesiastes 3,1-11

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Estamos no último dia do ano. No dia 31 de dezembro do ano de [2009]; Antigamente as pessoas diriam Anno Domini 2009. Isso quer dizer: o ano 2009 do governo do nosso Senhor. Já passaram mais do que dois mil anos desde o nascimento do nosso Senhor Jesus Cristo. Desde aquele momento o Cristianismo se espalhou pelo mundo inteiro. E até hoje o Cristianismo é a primeira religião do mundo.

Muitas coisas aconteceram durante estes dois mil anos. Cristo cumpriu a sua promessa, quando subiu ao céu e disse: “Toda autoridade sobre o céu e sobre a terra me foi entregue. Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornam discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do espírito Santo e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei. E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mt. 2 8,19-20).

Cristo está conosco até a consumação dos séculos! Irmãos. E durante estes séculos, muitas gerações se converteram e estavam esperando para esta consumação dos séculos. Já passaram mais do que dois mil anos e ainda não chegamos ao final. Então como está com esta promessa? Vocês já pensaram nisso, irmãos? Como está com a promessa da vinda do Senhor? Será que o Senhor tarda com a sua promessa? Houve pessoas que disseram isso. Já logo no início. No primeiro século. O apóstolo Pedro fala sobre isso no terceiro capítulo da sua segunda carta (2 Pe. 3). Ele disse: “Há, contudo, uma coisa, amados, que não deveis esquecer: é que para o Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia. O Senhor não tarda a cumprir a sua promessa, como alguns pensam, ...Para ler mais, clique aqui.

Façam o bem, enriqueçam em boas obras

 

Domingo 42 CdH

P. 111: O que Deus ordena no oitavo mandamento?

R.: Devo promover, tanto quanto possível, o bem do meu próximo e tratá-lo como quero que os outros me tratem. Além disso, devo fazer fielmente meu trabalho para que possa ajudar ao necessitado.

Texto: 1 Timóteo 6: 3-10

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Eu li uma certa vez no Jornal Gazeta de Alagoas que um habitante de Maceió se tornou um milionário. Ele participou da Mega-Sena e ganhou mais de dois milhões de Reais! Depois disso, alguns irmãos me perguntaram se um crente poderia participar de tal coisa, a Mega-Sena ou outro tipo de loteria. Meditando sobre esta pergunta, eu devo dizer: NÃO! Um cristão não pode participar deste tipo de jogo. Até mesmo se ele for doar 10% ou mais à igreja. Parece-me que este tipo de jogo não está em concordância com a palavra de Deus. Não está em concordância com o oitavo mandamento, nem com o décimo mandamento.

Talvez uma pessoa pense: Mas isso não é um assunto diferente? O sermão não é sobre o oitavo mandamento? Quem joga, furta? Não, não é assim. Quem joga não é um ladrão, mas ele não vive conforme a vontade de Deus. Pois o que Deus quer com este oitavo mandamento? Ele quer proteger a nossa vida, também os nossos bens. Ele quer nos proteger contra ladrões e ele quer nos ensinar para não sermos ladrões, mas para ganhar a nossa renda duma...Para ler mais, clique aqui.

A igreja de Cristo é chamada para andar em amor como filhos do PAI

 

Domingo 40 CdH

P. 105. O que Deus exige no sexto mandamento? R. Eu não devo desonrar, odiar, ofender ou matar meu próximo, por mim mesmo ou através de outros. Isso não posso fazer nem por pensamentos, palavras ou gestos e muito menos por atos. Mas devo abandonar todo desejo de vingança, não fazer mal a mim mesmo ou, de propósito, colocar-me em perigo. Por isso as autoridades dispõem das armas para impedir homicídios.

Texto: Efésios 4, 1-3

Leitura: Domingo 40 CdH

Queridos irmãos,


O sexto mandamento diz: não matarás. Mas Jesus disse (Mt. 5,22): “ Eu, porém, vos digo que todo aquele que se irar contra seu irmão, estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito ao julgamento do tribunal; e quem lhe chamar ‘Tolo!’ estará sujeito ao inferno de fogo”. Jesus nos ensinou que o sexto mandamento não somente fala contra o ato de assassinar uma pessoa; mas também contra uma ofensa ou um palavrão. Tudo isso é proibido. Jesus vai até o fundo do nosso coração e condena toda manifestação de ódio que guardamos no nosso coração. A lei de Deus proíbe isso e nos ensina a AMAR UM AO OUTRO.

Em Mateus 5, 43 Jesus disse: "Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. EU, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; desse modo vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque Ele faz nascer o seu sol igualmente sobre maus e bons e cair à chuva sobre justos e injustos."

Então Jesus nos ensina que O AMOR é uma característica dos filhos de Deus. Sabemos que DEUS É AMOR e que somos chamados para viver em amor uns com os outros sendo filhos de Deus. Quem fala sobre isso é o apóstolo Paulo, em Efésios 4, 1-3. Ele disse aos irmãos: Eu, o prisioneiro no Senhor, exorto-vos a andar deste modo digno da vocação a que fostes chamados: com toda humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros com amor, procurando conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.


A IGREJA DE CRISTO É CHAMADA PARA ANDAR EM AMOR COMO FILHOS DO PAI.

1) Amar o exemplo de Jesus Cristo;

2) Preservar a unidade com os irmãos;

Em primeiro lugar devemos AMAR JESUS CRISTO.

Irmãos, o apóstolo Paulo fala sobre a nossa VOCAÇÃO. Uma vocação é como uma missão . Uma pessoa pode ter a vocação para ser professora; ou um irmão pode ter a vocação para ser pastor. Isso quer dizer: ele ainda não é pastor, mas sente a vontade para ser pastor. E num certo momento ele pode ser chamado para ser pastor. Neste momento ele tem a vocação para ser pastor. Ele ainda não é, mas quer ser e conforme esta vocação ele está andando para ser pastor....Para ler mais, clique aqui.

Cristo santificou todos os dias da semana, mas especialmente o dia de Domingo.

 

 

T: Vários textos

L: Domingo 38 CdH

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje de manhã falaremos sobre o quarto mandamento. O quarto mandamento fala sobre o dia do sábado. O povo de Israel devia guardar o dia do sábado.

Lemos também Colossenses 2, e ali Paulo nos diz que o sábado é uma sombra do que havia de vir. O sábado faz parte do ANTIGO testamento, e não do NOVO testamento. O sábado era uma sombra, e a realidade é Cristo Jesus. Cristo é o Senhor do sábado e de todos os dias da semana. Cristo santificou o dia do sábado e todos os dias da semana. O povo de Deus deve servir a Deus em TODOS OS DIAS da semana. Todos os dias são santos para nós. Então, o dia do sábado faz parte do ANTIGO testamento; naquela época tinha um só dia santo. No NOVO testamento, temos sete dias santos.

Agora, uma pessoa pode se perguntar: então, por que a igreja Cristã se reúne no primeiro dia da semana: no domingo? O domingo não chegou no lugar do sábado? Muitas pessoas pensam nisso, mas a resposta é: não! Não, irmãos, o domingo não chegou no lugar do sábado. Em vez de ter UM DIA SANTO, como Israel tinha no AT, nós temos SETE DIAS SANTOS. Cristo santificou TODOS OS DIAS DA SEMANA.

Agora, fica a pergunta: por que a Igreja Cristã se reúne no dia de domingo? Vamos abrir a palavra de Deus para receber uma resposta sobre esta pergunta. Vamos descobrir que:

 

CRISTO SANTIFICOU TODOS OS DIAS DA SEMANA, MAS ESPECIALMENTE O DIA DO DOMINGO.

 

Sim, irmãos, foi Cristo Jesus, o Senhor não somente do Sábado, mas de toda a semana, que santificou o dia de domingo. Cristo fez isso através da sua ressurreição. Sabemos que Cristo morreu na cruz na sexta-feira, e ele estava no sepulcro no dia do sábado. O corpo dele estava descansando. Mas ele acordou no primeiro dia da semana; ele foi ressuscitado no primeiro dia: no dia do domingo.

O Evangelho de João mostra isso claramente. Com certa ênfase, João diz, em João 20, 1: “No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro, de madrugada, quando ainda estava escuro”. Foi naquele mesmo dia que as mulheres descobriram que o corpo não estava mais no sepulcro, mas que Jesus foi ressuscitado.

Jesus acordou para começar o seu trabalho. O dia de domingo não era um dia de descanso, mas um dia de trabalho. Um trabalho santo. O trabalho do Pastor, porque Jesus Cristo fez muitas visitas aquele dia para consolar os discípulos, para exortá-los, para buscá-los e para reuni-los. O rebanho estava espalhado em todo canto, mas Cristo chegou para reuni-los novamente. E, no final do dia, quase todos estavam reunidos numa casa, e naquele momento Jesus chegou e se reuniu com eles. Foi o primeiro culto.

João diz o seguinte (20, 19-23): “À tarde desse mesmo dia, o primeiro dia da semana, estando fechadas as portas onde se achavam os discípulos, por medo dos Judeus, Jesus veio e, pondo-se no meio deles, lhes disse: “A paz esteja convosco!”.

Isso era o início do culto! O sermão foi curto. “Tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, ficaram cheios de alegria por verem o Senhor. Ele lhes disse de novo: “A paz esteja convosco!....Para ler mais, clique aqui.

Abraão e Sara descobriram quem é o verdadeiro Abimeleque.

T: Gênesis 20

L: Gênesis 18, 1-15

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Existe uma expressão que diz: até mesmo um burro não se machuca duas vezes na mesma pedra. Pensei nessa expressão quando li o que aconteceu em Gênesis 20. A história de Abrão aqui parece muito com a história encontrada em Gênesis 12. Abrão foi para o Egito, ele mentiu sobre Sarai, o Faraó a levou para sua casa, Deus o castigou e ele descobriu que Sarai era a esposa de Abrão. Isso aconteceu em Gênesis 12, e a mesma coisa acontece aqui em Gênesis 20. Abrão parece pior do que um burro, porque “até mesmo um burro não se machuca duas vezes na mesma pedra.

Mas depois fiquei pensando: não é assim. Abrão não se machucou duas vezes na mesma pedra. Na primeira vez ele estava no Egito, e mentiu contra o Faraó. Mas agora a situação é diferente. Não é contra o Faraó, mas contra Abimeleque, o rei dos Filisteus. O lugar é diferente: Abrão não está mais no Egito, mas em Gerar; o tempo é diferente: há uma diferença de 25 anos entre as duas histórias; a situação é diferente: Abrão e Sarai são mais velhos. Tudo é diferente. Quer dizer: não tudo! Quem não mudou foi o Senhor!! Ele reagiu da mesma maneira. O Senhor é fiel. É bom observar isso, irmãos. O Senhor é fiel. Podemos confiar nele. Ele é a rocha da nossa salvação.

As outras personagens não são bons exemplos para nós. Nenhum deles. Que pensar de Abrão, que entregou a mulher da sua vida, Sarai, nas mãos de um homem que ele apenas conhecia? E que pensar desse rei Abimeleque? O que ele quer com uma mulher de 90 anos? E Sara, a coitada! O que devemos pensar dela? Ela parece uma bolinha de pingue-pongue, que é jogada de um ... Para ler mais, clique aqui.

Deus ajudou Abrão a andar em seus caminhos enquanto estava no Egito.

 

T: Gênesis 12, 10-19

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

 

Já observaram uma criança que começa a andar? Inicialmente ela aprende a andar segurando as mãos de um adulto. Mas num certo momento, ela mesma se levanta, dá alguns passos, e cai no chão. Ela está aprendendo, mas ainda não tem força o bastante e equilíbrio para andar sozinha.

Muitas vezes a vida de um crente começa assim também. Uma pessoa é chamada por Deus, se converte e começa a andar nos caminhos do Senhor. Mas ela ainda é como uma criança, ainda tem que aprender a andar sozinha. Muitas vezes uma pessoa começa a andar, dá alguns passos e cai em pecado, porque ainda não tem força e equilíbrio para andar sozinha.

Assim podemos observar também a vida do patriarca Abrão. Ele foi chamado por Deus. Ele devia sair da cidade idólatra de Ur e viajar para Canaã. Deus lhe deu grandes promessas: Abraão herdaria muita terra e Deus lhe daria uma grande descendência. Abraão acreditou nas promessas de Deus e saiu da cidade da sua família, e foi para Canaã. Ele começou a andar nos caminhos do Senhor.

Mas quando ele estava no país de Canaã, aconteceu um período de grande fome. Abrão começou a dar os seus primeiros passos sozinhos. Mas, como uma criança, ele logo caiu. Ainda não teve força o bastante e equilíbrio para andar sozinho e o Senhor, como Pai, o levantou para continuar a andar em seus caminhos. Assim devemos observar a história que lemos em Gênesis 12, 10-19.

 

Deus ajudou Abrão a andar em seus caminhos enquanto estava no Egito

  • A fraqueza de Abrão;
  • A força de Deus.

 

Irmãos, Abrão acabou de entrar no país prometido, Canaã, e logo acontece um desastre que forçou Abrão a mudar os seus planos. Ele estava no sul do país, perto do deserto de Negev, enquanto as chuvas pararam e havia fome naquela terra. Fome para os animais e fome para os homens. Não havia mais comida, nem no campo, nem na cozinha. Isso não era estranho, e acontecia muitas vezes. Uma vez pior do que as outras. Desta vez a fome era grande, como, por exemplo, nos dias de Jacó, quando houve uma fome que durou mais de sete anos.

Podemos nos imaginar, irmãos, que esta fome era uma provação para Abraão. Ele foi chamado por Deus para se mudar da Mesopotâmia para um outro país, onde Deus lhe abençoaria. E logo, logo isso acontece. Prestem atenção nisso! Porque muitas vezes tais coisas acontecem na vida de um crente. Ele é chamado para seguir a Deus, entra na igreja e pensa que tudo dará certo. Deus lhe abençoará, mas logo acontece alguma coisa que serve para provar a sua fé. E o que fazer? Têm crentes que logo desistem e saem da igreja, mas outros continuam, ... Para ler mais, clique aqui.

Cristo Jesus ensina os seus discípulos a servir.

T: Marcos 9, 38-40

L: Marcos 9, 33-41

 

Queridos irmãos e irmãs,

 

Já desde o início existe um mal dentro da igreja de Cristo, que era difícil eliminar. Este mal se chama arrogância, o desejo de ser o maior, o desejo de ser servido, atitudes de homens soberbos, que pensam em si mesmos; que pensam que todo mundo anda em redor deles mesmos; que acham que têm melhor conhecimento das coisas, que mandam nos colegas e excluem os que ameaçam a sua posição de líder.

Qualquer grupo, qualquer sociedade, sofre por causa disso. Se tiver uma reunião qualquer de dez ou mais pessoas, que devem discutir um assunto, com certeza haverá uma pessoa no meio delas que quer ser líder. Um tipo de Pedro, que toma a iniciativa de discutir alguma coisa, que é o primeiro a dar a sua opinião; que representa a opinião dos outros ou que é mais rigoroso que os outros. Uma pessoa que quer guiar os outros numa certa direção. Sempre tem uma ou mais pessoas que são assim. Algumas são líderes naturais, outras foram criadas assim. Elas gostam de ser servidas e de manipular as pessoas em redor delas.

O grupo dos doze apóstolos sofreu, também, por causa disso. O nosso texto nos revela como os doze discípulos estavam discutindo a questão de quem era o maior. Jesus os chamou à parte, quando chegou em casa, e os perguntou: De que é que discorríeis pelo caminho? E os discípulos guardaram silêncio. Eles não responderam. Provavelmente, porque o assunto era sensível e eles não queriam que o Senhor conhecesse o desejo que estava no coração deles.

Então, eles ficaram calados, como um grupinho de crianças que estavam brigando e não querem dizer à professora qual foi o motivo da briga, sabendo que estavam errados. Mas ...Para ler mais, clique aqui.

Davi nos ensina o verdadeiro arrependimento.

T: Salmo 32

L: 1 Samuel 12, 1-15

 

Queridos irmãos/irmãs em Cristo Jesus,

Vocês já descobriram como é difícil pedir desculpas? Como é difícil admitir a culpa de ter feito alguma coisa errada? Quase todos têm problemas com isso. A primeira reação é: não fui eu, foi ela; foi ela: uma outra pessoa! Ou: foram as circunstâncias: ele nasceu assim; nunca foi amado; foi maltratado pelo padrasto, etc.; Ou: foi a máquina que estava com defeito. Sempre o homem aponta para outra coisa ou outra pessoa para se desculpar. Já desde o princípio.  Não foi? Adão disse: foi a mulher que me deste como esposa; e a mulher disse: foi a serpente que me enganou! Está vendo?

Nós temos a tendência de negar a nossa culpa, apontar outra pessoa como culpada; e se isso não funcionar, vamos justificar ou diminuir o erro. Não é fácil admitir generosamente a nossa culpa. E se acontecer, se alguém faz isso, muitas pessoas nem conseguem acreditar; será que fulano foi sincero? Será que foi a sério? Isso também já mostra como é difícil admitir a sua culpa e pedir desculpas. O homem tem a tendência de esconder a sua culpa. Ele deve ser forçado a admiti-la. Pelas provas, ou por uma testemunha; ou pela GRANDE TESTEMUNHA de todas as coisas: por Deus mesmo.

Davi experimentou isso em sua vida. Ele esteve fraco e pecou; depois ele tentou camuflar o erro dele; ele tentou esconder o pecado. Mas Deus mandou o profeta ... Para ler mais, clique aqui.

Cristo: rei, guerreiro, e o cabeça da igreja.

 

 

T: Vários Textos

L: Domingo 19 CdH

Queridos irmãos/irmãs,

 

O Domingo 19 do Catecismo fala sobre Cristo Jesus, que está sentado à direita de Deus. Isso quer dizer que Cristo é Rei. Ele recebeu toda a autoridade nos céus e na terra. Ele governa. O apóstolo João viu Jesus como rei. Veja Ap. 1, 9-16;

“Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus, achei-me na ilha chamada Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Achei-me em espírito, no dia do Senhor; e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pergamo, Tiatira, Sardes, Filadelfia e Laodicéia.

Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho do homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas. Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força”

Ele viu o Cristo glorificado no meio dos candeeiros, que são as sete igrejas mencionadas. Cristo é Rei das Igrejas; Ele é o cabeça das igrejas, que segura as sete estrelas que são os sete anjos ou ministros das igrejas. Ele mandou sete cartas para as igrejas para dizer o que elas devem fazer. Cristo mandou sete ordens para continuar a lutar contra as tentações e pecados que se encontram nas ...Para ler mais, clique aqui.

Jesus Cristo é o nosso Salvador

 

 

Domingo 11 CdH

P. 29. O nome de “Jesus” significa “Salvador”. Por que o Filho de Deus tem esse nome?
R.: Porque ele nos salva de todos os nossos pecados e porque em ninguém mais devemos buscar ou podemos encontrar salvação.

 

Texto: 1 Pedro 1, 1-21
Leitura: Domingo 11 CdH

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Lemos o primeiro capítulo da primeira carta de Pedro aos irmãos, que viviam em Ásia menor. E neste primeiro capítulo Pedro lhes oferece um resumo da Bíblia. Ele faz isso nos versículos 10-12:

“Foi a respeito desta salvação que os profetas indagaram e inquiriram, os quais profetizaram acerca da graça a vós outros destinada.
Investigando, atentamente, qual a ocasião ou quais as circunstâncias oportunas, indicadas pelo Espírito de Cristo, que neles estava, ao dar de antemão testemunho sobre os sofrimentos referentes a Cristo e sobre as glórias que os seguiriam. A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar”.

A frase é longa e complicada, irmãos. Então vamos cortá-la e analisar: Pedro fala sobre as profecias do Antigo Testamento e sobre as pregações dos
Apóstolos do Novo Testamento. E ele mostra que ambos, tanto os profetas, como os apóstolos falaram sobre a mesma coisa: sobre O CRISTO. Sobre Cristo e sobre A NOSSA SALVAÇÃO. O Cristo Jesus veio para nos salvar! Este é o evangelho, que foi pregado desde o início. Esta é a mensagem principal da Bíblia.

Então chegamos a um ponto importante no nosso catecismo, quando ele começa a falar sobre Jesus Cristo. E logo, falando sobre o nome de Jesus, o
catecismo segue o ensino da Bíblia inteira que diz que Jesus Cristo é o nosso Salvador. E ele é um Salvador completo. Toda a sua vida foi dedicada a isso: à...Para ler mais, clique aqui.

Jesus, o Salvador, está dentro de nós; não precisamos de estátuas nem de imagens

 

 

T: Mt. 1, 18-25                               

L: Dom. 11 CdH

(O sermão foi feito na proximidade do natal. Alguns trechos podem ser adaptados.)

 

Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus,

Quem é Jesus para você?

Você pode ter um momento para pensar sobre isso. Esta pergunta é para todos os que estão aqui. Para as crianças, para os adolescentes, para os jovens, para os solteiros, para os casais, para as viúvas, para os visitantes. Quem é Jesus para você?

[Nesta época do ano muitas pessoas pensam em Jesus e se lembram do nascimento dele]. Jesus é o filho de Maria, que nasceu em Belém, em circunstâncias extraordinárias. Houve anjos nos céus, que anunciaram o nascimento aos pastores, que foram os primeiros a visitar Jesus. Muitas pessoas pensam nisso e colocam um pequeno estábulo em casa para mostrar que o Natal é de Cristo. Mas é só isso? Jesus é o menino fofinho do Natal?

Se perguntar às crianças, provavelmente vou ouvir que Jesus era um homem que fez muitos milagres! A Bíblia para as crianças ensina isso. Conta todas as milagres de Jesus. Uma história mais linda que a outra. Jesus curou a dor de cabeça da sogra de Pedro; curou pessoas com doenças mais sérias: pessoas cegas, surdas, paralíticas; pessoas na beira da morte e até levantou os cadáveres que já estavam no caixão; e até Lázaro, que já estava há quatro dias no sepulcro!! Muitas crianças consideram Jesus com um homem milagroso. Um tipo de super-homem!

Outras pessoas pensam logo na morte de Jesus. Jesus na cruz. Esta imagem é muito forte aqui no Brasil. Esta imagem foi cultivada pelos apóstolos, que pregaram a mensagem da cruz. Como Paulo fez isso, dizendo: “Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus!” (1 Cor. 1,18). Jesus na cruz. ...Para ler mais, clique aqui.

A providência de Deus na vida de José

 

L: Domingo 10 CdH

T: Atos 7, 9-14

 

Queridos irmãos de Jesus Cristo,

Acabamos de ler um resumo da história de José, o filho de Jacó e Raquel. A história de José serve muito bem para explicar o ensino das Escrituras sobre a PROVIDÊNCIA DE DEUS.

O Catecismo da Igreja nos ajuda a definir o que é a PROVIDÊNCIA DE DEUS. Ele diz: “É a força todo-poderosa e presente com que Deus, pela sua mão, sustenta e governa o céu, a terra e todas as criaturas. Assim, ervas e plantas, chuva e seca, anos frutíferos e infrutíferos, comida e bebida, saúde e doença, riqueza e pobreza e todas as coisas não nos sobrevêm por acaso, mas de sua mão paternal. Em poucas palavras: TUDO VEM DE DEUS!

TUDO, TUDO, TUDO!

Riqueza, mas também POBREZA; saúde, mas também DOENÇA; anos frutíferos, mas também anos INFRUTÍFEROS; chuva, mas também SECA. Muitas pessoas têm um problema com esta doutrina; Eles acreditam que só as coisas boas vêm de Deus. As coisas más vêm do Diabo. POBREZA, DOENÇA, SECA, E ANOS INFRUTÍFEROS, tudo isso vem do Diabo. Eles dizem que Deus tem nada a ver com isso.

Há igrejas que pregam assim, dizendo: A POBREZA é o salário do pecado; A DOENÇA é o salário do pecado; A SECA é o salário do pecado; O MAREMOTO foi o salário do pecado. Isso não vai acontecer se você crer em Deus; O crente será abençoado; O verdadeiro crente não sofre. Creia que Jesus e Deus darão as suas bênçãos: RIQUEZA, SAÚDE, ANOS FRUTÍFEROS, CHUVA e muito mais. O DESCRENTE sofre sim, mas o CRENTE não.

Muitas pessoas acreditam nisso. Mas será que esta mensagem é verdade? Será que esta mensagem é uma mensagem de Deus?...Para ler mais, clique aqui.

Nós usamos cookies!

Ao utilizar este site, você concorda que este site coloca cookies no seu dispositivo. Um cookie é um pequeno arquivo de texto que o site usa para fazer a função do website e tornar sua visita eficiente.

Clique no contrato para um site totalmente funcional ou veja os detalhes na página de detalhes antes de concordar.

Scroll To Top