Leitura: Domingo 22 CdH

Texto: 2 Co. 5, 1-9

 

Queridos irmãos, irmãos,

A parte final do Credo Apostólico fala sobre a pessoa e a obra do Espírito Santo. [Faz três semanas que o pr. Flávio pregou sobre o Domingo 20, que fala sobre a pessoa do Espírito Santo, e duas semanas atrás ele pregou sobre o Domingo 21, que fala sobre a oficina do Espírito Santo, que é a igreja]. Aqui na igreja o Espírito Santo está trabalhando com material precioso: com pessoas, como você e eu; pessoas pelas quais Cristo pagou um alto preço, derramando seu sangue. O Espírito Santo transforma essas pessoas numa comunidade de santos. Uma comunidade que é eleita para a vida eterna. O objetivo é esse. O plano é que vocês, como congregação cristã, finalmente se apresentem perante Deus, como filhos: herdeiros da vida eterna.

Para realizar esse objetivo, o Espírito Santo está trabalhando aqui na terra. Ele chama as pessoas para crer em Cristo; ele as ensina quem é Cristo e as exorta a seguir Jesus Cristo e a amá-lo; ele as reúne na igreja e dessa maneira - desde o Pentecostes - cresce a igreja de Cristo, que é destinada para a vida eterna. Vocês, irmãos, são uma pequena parte dessa igreja universal.

O Espírito Santo trabalha, também, em sua vida. Já dissemos isso no dia do seu batismo. Nós confessamos que os nossos filhos, embora concebidos e nascidos em pecado e por isso sujeitos a toda sorte de miséria, são santificados em Cristo; vocês têm um lugar especial neste mundo; vocês são separados do mundo para amar a Deus e para dedicar a sua vida a Ele; não por um momento, mas para sempre: eternamente. Com esse objetivo o Espírito Santo trabalha na tua vida, para te santificar mais e mais.

A nossa santificação é um processo contínuo, que dura até o final: desde o teu... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 21 CdH

 P.: 54. O que você crê sobre “a santa igreja universal de Cristo”?

R.: Creio que o filho de Deus reúne, protege e conserva, dentre todo o gênero humano, sua comunidade eleita para a vida eterna. Isso ele faz por seu Espírito e sua Palavra, na unidade da verdadeira fé, desde o princípio do mundo até o fim. Creio que sou membro vivo dessa igreja, agora e para sempre.

 

Texto: Mateus 22, 1-14

Leitura: Domingo 21ª CdH

Queridos irmãos,

Hoje vamos falar sobre a IGREJA de Cristo. Como devemos observar a igreja de Cristo? Qual é a verdadeira igreja de Cristo? A igreja de Roma, com as suas igrejas luxuosas, com seus altares e estátuas; com a sua adoração à Maria e aos apóstolos?

Ou as igrejas dos Neo-Pentecostais, como a Igreja Universal do reino de Deus, com a sua hierarquia, os seus bispos, as suas práticas de expulsar os demônios, o falar em línguas estranhas, a lavagem de dinheiro e as suas contas bancárias longe da Receita Federal nas ilhas tropicais.

Ou as igrejas reformadas com as suas fraquezas, a falta de evangelização, a falta de uma boa comunhão dentro das igrejas, a falta de uma boa administração, a falta de cuidado pastoral. Qual é a verdadeira igreja de Cristo? Qual igreja pode servir como bom exemplo? Será que existe uma igreja que pode servir como bom exemplo? Será que existe uma igreja que é perfeita?

A confissão da igreja não se baseou nas observações das igrejas e comunidades religiosas, que se encontram na nossa sociedade. As confissões da igreja – o Credo Apostólico, mas também o Catecismo de Heidelberg – foram baseados na Palavra de Deus. Eles nos ensinam como a igreja deve ser conforme a Palavra de Deus ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 20 CdH

 P.: 53. O que você crê sobre o Espírito Santo?

R.: Primeiro: creio que ele é verdadeiro e eterno Deus com o Pai e o Filho.

Segundo: que ele foi dado também a mim. Por uma verdadeira fé, ele me torna participante de Cristo e de todos os seus benefícios. Ele me fortalece e fica comigo para sempre.

 

Texto: Romanos 8, 9-11

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Pode um morto se levantar? A reposta é clara: não! Só se Deus quiser!  Também podemos perguntar: pode um homem que anda na carne, um homem que não é regenerado, agradar a Deus?  A resposta é clara: NÃO! Não pode. Só se Deus quiser; Só se o Espírito de Deus habitar nele.

Paulo fala neste capítulo 8 sobre dois caminhos: o caminho da carne e o caminho do Espírito; quem anda no caminho da carne, ele está no caminho do pecado; ele vive em pecado e não agrada a Deus. Ele não pode agradar a Deus, diz Paulo. Ele só pode agradar a Deus, se Deus quiser; só se for regenerado pelo Espírito de Deus; Paulo usa uma palavra bem forte aqui. Ele diz que o homem da carne está morto em pecado; ele deve ser renascido. Paulo até fala sobre uma ressurreição. Irresistível é a graça de Deus ao que está morto em pecado. Se Deus quiser, Ele vem com o seu Espírito poderoso e entra na nossa vida, porque quer habitar em nós.

Assim é a situação do crente. Paulo diz aos irmãos em Roma, mas indiretamente também a todos os verdadeiros crentes: “Mas vós não estais na carne, mas no Espírito, porque o Espírito de Deus habita em vós”. Assim é a situação na congregação de Cristo. E quando Paulo fala sobre o Espírito de Deus que habite em nós, ele também explica o que isso significa. Sobre isso fala o nosso sermão:

 

SE O ESPÍRITO DE DEUS HABITA EM VOCÊ: 

  • VOCÊ TEM A REMISSÃO DOS PECADOS; (Vs. 10)
  • VOCÊ TEM A RESSURREIÇÃO DO CORPO; (Vs. 11ª)
  • VOCÊ TEM A VIDA ETERNA; (Vs. 11b)

 

Se o Espírito de Deus habita em você, você tem a remissão dos pecados

Falando sobre o Espírito de Deus, devemos ter cuidado para não fazermos o mesmo erro que muitas pessoas fazem, quando falam sobre o Espírito Santo. Porque muitas pessoas falam sobre o Espírito Santo, pensando que nesta época é a época do Espírito Santo. Conforme aquelas pessoas, Deus se manifestou no antigo testamento como Pai; no Novo Testamento como Filho e depois Pentecostes como... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 16 CdH

P. 42. Se Cristo morreu por nós, por que devemos nós morrer também?
R. Nossa morte não é para pagar nossos pecados, mas somente significa que morremos para o pecado e que passamos para a vida eterna.

P. 43. Que importância têm, para nós, o sacrifício e a morte de Cristo na cruz?
R. Pelo poder de Cristo, nosso velho homem é crucificado, morto e sepultado com ele, para que os maus desejos da carne não mais nos dominem, mas que nos ofereçamos a ele como sacrifício de gratidão.

P. 44. Por que se acrescenta: “desceu ao inferno”?
R. Porque meu Senhor Jesus Cristo sofreu, principalmente na cruz, inexprimíveis angústias, dores e terrores. Por isso, até nas minhas mais duras tentações, tenho certeza de que ele me libertou da angústia do tormento e do inferno.

Texto: Vários textos
Leitura: Domingo 16 CdH

 

Queridos irmãos em Cristo Jesus,

Hoje vamos falar sobre uma parte da nossa vida que não agrada a ninguém. Vamos falar sobre o final da nossa vida: sobre a nossa morte! E prestem atenção, irmãos, porque normalmente as pessoas não gostam de falar sobre este assunto. Elas gostam de falar sobre a morte dos outros, mas não gostam de falar, nem de pensar, sobre o final da sua vida. Quem já pensou em sua última vontade: O que deve acontecer com os seus bens depois da sua morte? Quem já pensou no dia do seu enterro? Como quer ser enterrado? Já fez uma liturgia? Por que não? Porque não gosta de pensar nisso? Isso não é estranho? A morte não faz parte da nossa vida? Nós gostamos de controlar toda a nossa vida. Fazemos tudo para controlar toda a nossa vida, mas nos recusamos de controlar o final da nossa vida.

Quero que vocês parem por um momento e pensem nisso: Como será no final de sua vida; em sua morte? E como será a sua vida depois da sua morte?

Vamos pensar nisso: Eu lhes prego o Evangelho da nossa morte. O Senhor Jesus transformou a maldição da nossa morte numa benção.

A nossa morte:

1) Não é para pagar os nossos pecados;
2) Mas é para passar para a vida eterna;

1. A nossa morte não é para pagar os nossos pecados.

Olhando para esta frase do nosso catecismo, fiquei um pouco confuso, irmãos. Fiquei confuso, porque sempre pensei que a nossa morte era um castigo de Deus por causa do pecado de Adão e Eva. A Bíblia fala isso em Gênesis 2 e 3.
Todo mundo conhece este trecho. É uma das primeiras coisas que um aluno aprende quando começa a estudar a Bíblia. Deus criou Adão e Eva e o Paraíso. Deus colocou Adão e Eva no Paraíso e ali eles podiam comer de todas as
árvores. Mas do fruto da árvore que estava no meio do jardim, disse Deus (Gn. 3,3): “Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais”... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 16 CdH

P.: 40. Por que Cristo devia sofrer a morte?

R.: Porque a justiça e a verdade de Deus exigiam a morte do Filho de Deus. Não houve outro meio de pagar nossos pecados.

 

P.: 41. Por que ele foi “sepultado”?

R.: Para dar testemunho de que estava realmente morto.

 

P.: 42. Se Cristo morreu por nós, por que devemos nós morrer também?

R.: Nossa morte não é para pagar nossos pecados, mas somente significa que morremos para o pecado e que passamos para a vida eterna.

 

Leitura: Jonas 2

 

Queridos irmãos,

Quando era mais jovem, tive a oportunidade de visitar Roma, junto com os meus colegas do colégio. Uma cidade enorme, que tem muitas lembranças da época dos apóstolos. Pedro e Paulo. Visitamos o palácio do papa, O Vaticano, e um teatro antigo, onde muitos cristãos foram assassinados. Visitamos também túneis que ficam em baixo da terra, pois lá em baixo existem muitos corredores e catacumbas. Nós visitamos essas catacumbas para ver o maior cemitério do mundo. E nessas catacumbas foram sepultados os cristãos dos primeiros séculos da igreja cristã.

Com ajuda de um guia e algumas lâmpadas andamos pelos corredores escuros. Numa certa parte havia buracos nas paredes, lá eles sepultaram os corpos; lá não havia mais nenhum osso desses corpos, mas havia desenhos nas paredes. Desenhos antigos: o cordeiro com sete pães, e também um homem com um peixe grande, e este era repetido várias vezes. O guia disse: Esse desenho mostra o profeta Jonas com o peixe grande. Eles pintaram para mostrar a sua esperança para a vida eterna. Pois conheciam a Bíblia.

Na Bíblia encontramos essa história do profeta rebelde, que recusou ir à Nínive. Ele fugiu num barco, mas Deus o encontrou no alto mar e mandou uma tempestade. Parece que o profeta recebe a pena mortal... Para ler mais, clique aqui.

L: Ec. 12, 1-8

T: Ec. 11,9-12,8 + 2 Co. 5,1-10

 

Queridos irmãos, irmãs, em Cristo,

 

[Nesta semana estive no velório de Izabel, a irmã da nossa irmã Raquel.

Naquela ocasião li o texto de Eclesiastes 7, 2.]

“Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete,

pois naquela se vê o fim de todos os homens e os vivos que o tomem em consideração”.

Na casa de luto, todos nós vamos descobrir que somos mortais, porém

não conhecemos a hora em que se desliga a luz da nossa vida.

Os velhos devem morrer, e os jovens podem morrer. E como será a vida depois disso?

Muitas pessoas acham que não há nada depois da morte.

Nascer, crescer, morrer e ponto final!

Mas a Bíblia não fala assim.

A Bíblia diz que a vida continua depois da morte.

O pó voltará a terra como o era e o espírito voltará a Deus.

Assim fala o autor de Eclesiastes. Ele diz que há luz no fim do túnel.

Mas essa luz é fraca. Essa luz é um pontinho.

O AT não fala com tanta clareza como o NT.

Paulo fala com muito mais clareza em 2 Co. 5.

Ele disse: Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou mal que tiver feito por meio do corpo.

Eclesiastes diz alguma coisa semelhante. Veja 11,9:

Alegre-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem o teu coração e agradem aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas!

Por causa disso é bom se lembrar do seu Criador!

Tanto nos dias bons, como também nos dias maus, antes da hora da morte.

 

LEMBRA-TE DO TEU CRIADOR!

  • Nos dias bons;
  • Nos dias maus;
  • Na hora da morte.

 

  1. Nos dias bons.

 

Os dias bons são os dias da mocidade. Veja 11, 9-10:

Alegra-te jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; ande pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas. Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove ... Para ler mais, clique aqui.

Domingo 5 CdH

 

P. 12: Então, conforme o justo julgamento de Deus, merecemos castigo nesta vida e na futura. Como podemos escapar desse castigo e, de novo, ser aceitos por Deus em graça?

R. : Deus quer que sua justiça seja cumprida. Por isso nós mesmos devemos satisfazer essa justiça ou um outro por nós.

P. 13: Nós mesmos podemos satisfazer essa justiça?

R. : De maneira alguma. Pelo contrário, aumentamos a cada dia a nossa dívida com Deus.

P. 14: Será que uma criatura, sendo apenas criatura, pode pagar por nós?

R.: Não, não pode. Primeiro: porque Deus não quer castigar uma outra criatura pela dívida do homem. Segundo: porque tal criatura não poderia suportar o peso da ira eterna de Deus contra o pecado e dela livrar outros.

 P. 15: Que tipo de mediador e salvador devemos buscar?                                                                                                                                                   R. : O mediador deve ser um homem verdadeiro e justo, contudo, mais poderoso que todas as criaturas; portanto, alguém que é, ao mesmo tempo, verdadeiro Deus.

 

Texto: 1 Timóteo 2, 5-6

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

Já aconteceu de você passar por uma situação em que precisou de um advogado? Às vezes isso acontece. Alguém está com um problema; Ele fez alguma coisa errada e precisa de um advogado para resolver a situação. Ele precisa de um advogado que conheça bem a lei; que conheça também os caminhos da justiça; que tenha bons contatos e saiba falar bem; em poucas palavras, alguém que possa tirá-lo da miséria em que está.

Acontece muitas vezes que alguém precise de um advogado, um tipo de mediador que possa ajudar. Isso acontece na vida real, mas também na vida espiritual com Deus.

Muitas pessoas procuram um mediador que possa funcionar como advogado perante Deus. Deve ser um homem ou uma mulher que tem um bom contato com Deus. Uma pessoa que agrada a Deus. Muitas pessoas pensam que os santos falecidos podem ajudá-los como advogados. Elas procuram esses santos por meio de orações e pedem que o santo interfira em favor delas.

De acordo com a igreja de Roma, existem muitas pessoas santas, que podem nos ajudar - a mãe de Jesus, por exemplo, ou os santos apóstolos - mas conforme a Palavra de Deus existe um só Mediador. O apóstolo Paulo escreveu isso ao seu ‘filho espiritual’ Timóteo, dizendo: “Pois há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus, o qual se entregou a ...Para ler mais, clique aqui.

Domingo 1 CdH

 P. 1: Qual o seu único conforto na vida e na morte?

R. : O meu único conforto é que - corpo e alma, na vida e na morte - não pertenço a mim mesmo, mas ao meu fiel Salvador, Jesus Cristo, que, ao preço do seu próprio sangue, pagou totalmente por todos os meus pecados e me libertou completamente do domínio do pecado. Ele me protege tão bem que, contra a vontade de meu Pai do céu, não perderei nenhum fio de cabelo. Na verdade tudo coopera para o meu bem e o seu propósito é para a minha salvação. Portanto, pelo seu Espírito Santo ele também me garante a vida eterna e me torna disposto a viver para ele daqui em diante, de todo o coração.

 

Texto: Marcos 10, 17-22 & Salmo 49

 

Queridos irmãos em Jesus Cristo,

 

Vocês são felizes? E por que sim? Ou por que não? O que falta na sua vida? Por que você não é feliz? O que deixa um homem feliz? Dinheiro? Dinheiro deixa uma pessoa feliz? Parece que sim! Quem tem dinheiro pode comprar o que quiser e pode fazer o que quiser. Isso deixa muitas pessoas felizes. Mas esta felicidade dura para sempre? Esta felicidade é profunda? Podemos realmente comprar TUDO o que o nosso coração deseja? TUDO? Também a vida eterna?

 

A bíblia nos dá um exemplo de um homem que foi muito rico. Ele era riquíssimo. Podia comprar tudo o que queria. TUDO? Não, ele não podia comprar tudo. Ele não podia comprar a vida eterna. E por causa disso ele veio para perto de Jesus com esta pergunta: -Mestre, o que devo FAZER para conseguir a vida eterna? E Jesus o explicou: - faça a vontade de Deus. Obedeça aos mandamentos de Deus. O homem, ouvindo isso, ficou muito feliz, pois ele cumpria todos os mandamentos.

 

Ele cumpria todos os mandamentos? TODOS? Sim, todos! Mas será que ele fez isso com amor? Jesus quer saber isso, e por isso ele disse: - Falta mais uma coisa para você fazer: Vá, venda tudo o que tem e dê o dinheiro aos pobres, e assim você será rico no céu. Depois venha e me siga. O homem, ouvindo isso, ficou muito triste. Ele descobriu a sua pobreza, quando ele ouviu as palavras do Senhor. Apesar da sua riqueza, ele ainda era pobre. Ele tinha muito dinheiro, mas pouco amor. Ele podia viver feliz, mas ele não podia morrer feliz. E quem não pode morrer em paz, nunca vai viver em paz. Então a pergunta é:

 

O que devemos saber para VIVER e MORRER EM PAZ?

1° lugar: devemos saber A NOSSA POBREZA;

2° lugar: devemos saber A RIQUEZA DE CRISTO;

3° lugar: devemos ter certeza que ESTA RIQUEZA É DADA A NÓS POR DEUS....Para ler mais, clique aqui.

T: Domingo 22B

L: Apocalipse 21, 1-8

    Apocalipse 19, 6-10

             

Irmãos,

Hoje vamos falar sobre a vida eterna, lá no céu. Quem não gostaria de passear por um dia no céu? Como seria? As pessoas estariam realmente felizes? Haveria lá sempre uma festa? As pessoas dizem, mas quem já experimentou isso alguma vez? Quem de vocês, irmãos, conhece alguém que subiu ao céu e depois voltou para dizer como é lá?

Seria ótimo, não seria? Como uma pessoa que viajou para um lugar desconhecido neste mundo. Se voltar, ela poderá contar como foi lá, como as pessoas vivam, e como era bonito, etc. Cada um já ouviu falar de uma história assim. Mas não há ninguém que já tenha ouvido uma pessoa falar sobre a sua visita ao céu.

Por isso não é fácil falarmos sobre a vida no céu. Não podemos falar sobre isso conforme as nossas próprias experiências. Infelizmente, não! Eu também não posso. Mas isso não quer dizer que não tenho nada para dizer hoje [à noite]. Pois não baseamos a nossa fé em experiências humanas – o que outras pessoas viram ou ouviram – mas o fundamento da nossa fé é isso: CREMOS no que DEUS nos diz em Sua Palavra. Cremos nele, confiamos no que Ele nos diz. Se devêssemos contar as NOSSAS experiências sobre a vida eterna, não custaria muito tempo. Mas não falamos sobre as nossas experiências. A nossa experiência não é importante. A palavra de Deus: isto é importante! Deixamos Deus nos dizer como está/é lá.

 

DEUS NOS DÁ A ALEGRIA ETERNA.

  • Depois desta vida, a alegria perfeita;
  • Agora, já o início;

  1. Depois desta vida receberemos a alegria perfeita.

 

Sobre a glória futura nós, como também os autores do nosso Catecismo, não podemos dizer muita coisa. Ninguém pode imaginar corretamente como será lá. O catecismo diz com toda razão: “Essa glória perfeita nenhum olho jamais viu, nenhum ouvido ouviu e jamais surgiu no coração de alguém”. O que veremos lá, nunca vimos antes; a música que ouviremos lá, nunca ouvimos aqui na terra. Em suma: isso ultrapassará a nossa imaginação.

Mesmo assim podemos discretamente dizer alguma coisa sobre a vida eterna. A Bíblia fala discretamente sobre isso em Apocalipse 21, 1-8. Vamos ler este trecho. [...]. Neste trecho se fala sobre O NOVO CÉU E A NOVA TERRA. João viu que toda a criação será renovada. O primeiro céu e a primeira terra passarão. Deus dará a esta terra uma nova vista. E João viu UMA CIDADE na nova terra. Uma sociedade, um lugar onde muitos homens morarão. Isso já é uma grande diferença entre o início desta terra renovada e o início da nossa terra. ...Para ler mais, clique aqui.

Texto: Rom. 8: 14-16 e 28
Leitura: Rom. 8: 1-17

 

Queridos irmãos,


Hoje é o dia de Pentecostes. Hoje nós nos lembramos que faz quase dois mil anos que Cristo derramou o Espírito de Deus sob a
igreja em Jerusalém. Sob os apóstolos e sob outros membros da igreja. Foi o início da colheita. Depois disso os apóstolos foram
enviados para Judeia, Samaria e até os confins da terra, para proclamar o evangelho da ressurreição de Jesus Cristo; eles foram
enviados para semear a palavra de Deus e para colher o resultado. Às vezes a cem, às vezes a sessenta e às vezes a trinta por um.

O dia de Pentecostes, irmãos, foi um dia especial na história deste mundo. Neste dia começou a conquista de Jesus Cristo para vencer
o mundo. Não com força, nem com violência, mas com o poder irresistível do Espírito Santo. Este primeiro dia de Pentecostes,
cinqüenta dias depois da ressurreição de Cristo, marcou o início da campanha espiritual de Jesus. Cada ano a igreja lembra-se do dia
de Pentecostes.

Mas, irmãos, isso não quer dizer que só neste dia o Espírito de Deus estava ativo. Nada disso! De fato podemos dizer que cada dia é um
dia de Pentecostes; pois o Espírito de Deus continuou o seu trabalho desde aquele primeiro dia de Pentecostes até agora Ele está
trabalhando neste mundo para conquistar espiritualmente os corações das pessoas que vivem nas trevas; para livrar todos que
vivem na escuridão, na tristeza; todos que não têm esperança; todos que pensam que não há vida depois da morte; todos que têm
medo para morrer; todos que procuram uma segurança, uma consolação, para esquecer a sua miséria, para esquecer o seu
futuro.

Há pessoas que procuram esquecer seus problemas ou aliviar a sua vida com ...Para ler mais, clique aqui